Educação e Progresso - Um sonho?

sexta-feira, 12 de março de 2010

 Essa foto representa muito bem tudo o que falta em nosso país!
Diferente das palavras reais contidas em nossa bandeira (ORDEM E PROGRESSO), notem que na foto está escrito (EDUCAÇÃO E PROGRESSO). O que me lembra a seguinte citação: "Um país se faz de homens e livros". E eu complemento: de oportunidade iguais e de educação.

Depois de ficar um tempo parada em casa, após minha demissão no meu último fatídico emprego (eu trabalhava como professora em uma creche para lá de irresponsável), voltei a ativa. Eu estou trabalhando no Projeto Mais Educação.

O Mais Educação é um projeto do governo federal, que visa preencher o tempo de crianças , principalmente, as com problemas de aprendizagem e/ou reprovadas, com atividades variadas como: reforço de matemática e letramento (digamos que é língua portuguesa contextualizada), pintura, dança, capoeira, recreação e direitos humanos. As crianças que participam do projeto possuem uma jornada integral na escola, realizando as atividades no contraturno, por isso, é importante, sobretudo, conquistarmos sua atenção através de jogos e dinâmicas, que despertam o prazer de aprender.

Porém, por mais bonito que seja o projeto, na prática quase não funciona. Não que não tenha pessoas capacitadas, mas pelo menos na escola onde estou, falta espaço e condições físicas adequadas.

Segunda-feira (dia 08/03), fui trabalhar e encontrei o colégio virado de cabeça pra baixo e escorrendo água pra tudo quanto é lado. No sábado anterior, teve um temporal enorme aqui no Rio de Janeiro, que alagou as salas do 2º andar da escola. 2º andar? Sim. O teto da escola está tão podre e caindo o reboco que quando chove, as crianças só faltam abrir o guarda-chuva. O chão fica alagado e as professoras desprovidas de qualquer motivação para dar aula. Resultado: mandaram as crianças para casa.

Eu adoro o que faço. Juro. Já trabalhei em outros lugares, mas nunca fui tão feliz quanto em uma sala de aula. Lá eu me realizo. Acordo de manhã com bom humor e disposição para enfrentar o dia... Mas, creio que qualquer pessoa sã fique desmotivada diante de um quadro desses. Falta de verba, de espaço, de recursos pedagógicos, de pagamento justo... de RESPEITO para com os alunos e com o corpo docente. Eu somente vou para lá duas vezes na semana, mas tenho certeza que as professoras que trabalham todos os dias, vão com um peso nas costas. É triste!

Para variar, na escola não temos uma sala própria para dar a aula. Para compensar, expulsaram a cantina de uma sala e nos alojaram lá. A sala não possui janela nem qualquer tipo de arejamento, para completar, a lâmpada quase não ilumina nada. Ela é retangular e a largura não deve medir mais que 2m e meio. Em nenhum momento o governo quando lança esse projetos, pensa nas condições físicas e na estrutura do espaço escolar para abrigar essas crianças. Enfim, a sala é claustrofóbica!

Enquanto, as coisas não mudam, eu vou fazendo minha parte. Vou conquistando meus alunos, que sinceramente são uns anjos de tão quietos e obedientes (pra não falar ao contrário). Eu estou dando aula de letramento, as segundas e quartas-feiras com uma turma heterogênea, que varia de 7 a 14 anos de idade, do 2º ano para o 5º ano. Tudo junto misturado. Alguns sabem ler, outros não. É minha gente, essa é nossa realidade brasileira, crianças que chegam aos 14 anos gaguejando na leitura, mal sabendo escrever o próprio nome.

Vocês lembram do que eu disse no post sobre 'José Mindlin'? Não? Então, relembrem:

"Se há um ideal a ser atingido por mim, talvez seja ser como José Mindlin um dia e semear pode onde eu passar o amor que me assola pelos livros."

Chegou minha oportunidade e vou colocá-la em prática! Uma utopia? Quem sabe... Mas deixe-me acreditar e tentar.

~ * ~
Por causa da faculdade e do trabalho agora, estou com mais dificuldade de visitar todos os dias os blogs que sigo. Perdoem-me, por favor. Sempre que eu tiver um tempinho vou dar uma conferida e comentar o que vocês escrevem, mas não pensem que os abandonei.

4 comentários:

Lariane disse...

Dominique, tens uma grande missão... quis fazer história mas pela futura profissão ser prof, acabei desistindo. Não por achar ruim, acho lindo quem tem vocação, mas para mim não serviria...

bjkas

Luka disse...

Dominique,
Só posso dizer para você ter fé e muita calma porque o professor é um agente de mudança na vida de uma criança/adolescente.

Te admiro muito.
Luka.

Daiane Santo disse...

Dominique, também tive experiências em sala de aula e vi de perto a precariedade da educação pública.Como professora de Ciências, lecionei para o Ensino Fundamantal II e fiquei desolada e com vontade de escolher outra carreira.

São tantos problemas que o professor enfrenta para fazer o aprender acontecer!Falta de verba, educandos que vieram para o EF sem preparo,com falhas em simples leituras e interpretações...


Além disso,o professor no Brasil, na minha opinião, não é bem remunerado.Há um excesso de trabalho que não corresponde a quantidade de tarefas que realiza.Por sua vez, há professores que não são tão comprometidos e empobrecem ainda mais o que já temos tão fragilizado.

Pelo seu texto, percebi que é uma grande educadora,tem vocação, por isso desejo-lhe sorte e paz, pois quanto mais fizer por estes meninos, mas luz doará para vida deles!

Sorte!

Nietzsche Pop disse...

Grande Domi, excelente trabalho o que vem fazendo, muita paciência e dedicação, e claro uma pequena dose de doidice, rssss! Bem-vinda ao clube, bjos menina!

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela