A Batalha do Apocalipse

domingo, 29 de agosto de 2010

A Batalha do Apocalipse é o primeiro livro publicado pelo autor Eduardo Spohr, que alcançou em poucas semanas, após o lançamento, o tão desejado lugar entre os 10+ da Revista Veja. Conquistando rapidamente o grande público, Spohr já era famoso anteriormente pelo meio nerd, onde publicou pela primeira vez em uma versão independente "A Batalha do Apocalipse". Acrescento que além de excepcionalmente criativo e extremamente detalhista, Eduardo Spohr é brasileiro e nos lembra que nessa terra de palmeiras e sabiás, também mora autores talentosos que esperam apenas serem descobertos para vir a tona obras únicas e inesquecíveis. Com vocês, a tão esperada resenha, do melhor dos melhores livros que já li na minha vida.

Você já imaginou como seria o fim do mundo tão amplamente falado na bíblia? E se o fim do mundo acontecesse por culpa da irresponsabilidade dos humanos e da inveja dos anjos?

A Batalha do Apocalipse narra a trajetória de Ablon, o anjo renegado, pelo mundo e pelo tempo. Há milhões e milhões de anos atrás, uma rebelião começou a ser organizada no céu por Ablon, o primeiro general, contra o tirano Príncipe dos Anjos, Miguel, que possuía inveja dos seres humanos por eles serem seres criados por Deus e por possuírem a dádiva do livre-arbítrio, donos de suas próprias escolhas e vontades. Ele também acreditava que os seres humanos eram naturalmente maus e inferiores por terem sido formados do barro, por isso, alimentava um ódio incomensurável, causando inúmeras tragédias e catástrofes, como o dilúvio e também a queda e destruição de nações como Atlântida e Enoque.

Revoltado contra essas perversidades, Ablon reúne dezoito querubins para iniciar a rebelião, que finalmente, poria fim ao reinado do tirano. Porém, traído por Lúcifer, conhecido como o arcanjo negro, Ablon e seus companheiros são expulsos do céu e caem na haled, ou seja, na terra. Mil aventuras e perigos, Ablon vive na terra, assim como, seus amigos renegados. Caçados por Miguel e posteriormente por Lúcifer, que também foi expulso do céu, passando a viver no Sheol, o inferno, os renegados tiveram que se separar para poderem sobreviver até o dia do ajuste de contas, onde finalmente, poderiam depor, o Príncipe dos Anjos.

Narrado ora no passado, ora no presente, o que de certa forma, quebra a harmonia e a sequência cronológica dos fatos, Eduardo Spohr conseguiu driblar muito bem e fazer desses flashbacks um mergulho delicioso na história da humanidade e nas aventuras do anjo renegado pelo mundo. Enquanto no presente, soam as trombetas anunciando o início do apocalipse, no passado, Ablon percorre cidades antigas e desconhecidas pela humanidade, como Atlântica e Enoque.

Durante suas andanças pelo mundo, ele conhece a feiticeita de Endor, Shamira, por quem se apaixonará. Eles se conhecem na Babilônia, onde Shamira é feita refém e onde também encontra-se aprisionada, Ishtar, a última renegada. Após o desfecho de suas histórias na Babilônia, Shamira e Ablon voltam a ser encontrar em momentos cruciais durante a longa história da humanidade. Ablon perpassa pela China Feudal, pela Roma e depois por Jerusalém, onde chega momentos antes de Cristo ser crucificado. Esse flashback foi emocionante e uma das partes que mais apreciei no livro. O perigo, a ação, a emoção, cada minuto e dia que corre são extremamente importantes para a conclusão da missão que Ablon abraçou. Simplesmente imperdível!

Até a chegada do ajuste de contas, Ablon coleciona uma série de inimigos perigosos, que dariam tudo para arrancar-lhe o coração e apagar-lhe a essência. Seu maior inimigo é o Príncipe dos Anjos, Miguel. Porém, outro igualmente perigoso e cruel, é Apollyon, um general perverso, caído junto com Lúcifer, mas que odeia Ablon há milênios. Ambos já haviam enfrentado-se em um duelo no passado, porém, o passar do tempo fermentou o ódio e a ira que tinham um pelo outro, aguardando apenas o dia em que finalmente travariam a luta que decidiria suas vidas. Claro que Lúcifer, o mais ardiloso dos arcanjos, não poderia estar fora dessa lista. Por ter traído Ablon e seus amigos, Lúcifer conquistou um inimigo para toda a eternidade. Devo acrescentar que ele é ótimo no livro. Perverso, ardiloso, irônico, falso, todas essas características fazem dele um personagem notável e como ele mesmo diz: o diabo tem várias faces e ele prova o porquê. O inimigo mais misterioso de Ablon é o Anjo Negro, um ser abominável comandado por Miguel, que ninguém sabe da onde surgiu e quem ele é, pois seu rosto é escondido por uma máscara. Outros inimigos menores também aparecem durante a narrativa, mas nada que retenha Ablon por muito tempo. Enfim, o que não falta é inimigo para nosso anjo renegado.

O mais interessante é que Spohr não apenas explora as passagens bíblicas e a história da humanidade, a mitologia também está presente em algumas aventuras de Ablon, tanto a ocidental quanto a oriental. Ele explica, por exemplo, a existência dos deuses antigos, quem eram eles e como surgiram, o porquê eram adorados. O sobrenatural também é abordado, como a presença de espíritos na terra e porque eles continuam entre nós. Spohr não esqueceu de Avalon e do povo das fadas, tão falados por Marion Zimmer, em "As Brumas de Avalon". Como adoradora dessa saga maravilhosa, fiquei emocionada de vê-la citada em "A Batalha do Apocalipse".

Com personagens singulares, ele constrói a personalidade de cada um com maestria. Tirando Ablon, é claro, que é um personagem com uma personalidade forte e marcante, outra personagem igualmente espetacular é Shamira. É impossível não ansiar por vê-la novamente na história, já que ora eles estão juntos, ora separados. Deixo claro que o romance entre eles não explode e não chega a acontecer, durante seus encontros fica claro que eles se amam, mas que não podem ficar juntos, por isso, não se entregam um ao outro. A união e a amizade que os une é mais forte do que qualquer coisa que já tenha existido. A cumplicidade e o entendimento um do outro é extraordinário, existente somente nos amores impossíveis.

O livro é imenso, detalhado, com muitos personagens e épocas diferentes. Por isso, no finalzinho do livro, há um glossário e uma linha do tempo, onde o leitor pode consultar quando estiver em dúvida.

Enfim, Spohr conquistou uma fã muito animada. Eu AMEI o livro e recomendo para todos aqueles que apreciam viajar nas páginas de uma grande história. Eu estive presente no lançamento do livro aqui no Rio de Janeiro, onde tive o prazer de conhecer meu novo autor preferido. Ele é simplesmente fabuloso! Simpático, gentil e atencioso, ele não apenas ganhou uma fã, mas uma amiga. Lembro como fiquei super, mega feliz quando ele lembrou meu nome. kkkkkkkkk!!! Eu já vinha trocando emails e conversando pelo twitter com ele, mas pessoalmente, foi muito mais legal. Ok, ok, momentos piegas de uma fã descontrolada. Mas quando gosto de um livro, eu sou assim mesmo, falo com entusiasmo e convenço meus amigos a lê-lo. Então, o que você está esperando? Corra e peça já seu exemplar. Você não irá se arrepender!

Ps: Conversando ontem com algumas amigas no Clube do Livro Saraiva sobre a difícil tarefa de resenhar esse livro, chegamos a conclusão que minha resenha deveria ser resumida pela palavra: FODA! Mas como uma palavra não faz uma resenha, resolvi encarar a madrugada e parte da minha manhã de domingo e fazê-la acontecer. Mas que essa pequena palavra, de apenas 4 letrinhas resume o livro, ahhh, resume. =D

Gostou da resenha e quer conhecer o autor? Encontre-o no twitter e no skoob.

Veja as fotos e saiba tudo o que aconteceu no Lançamento da "A Batalha do Apocalipse" aqui no Rio de Janeiro. 

Quer um exemplar de A BATALHA DO APOCALIPSE? Fique ligado aqui no blog. Ainda essa semana, sairá uma super promoção. 
 

Minha classificação para esse livro é de ♥ 7/7- Obra-Prima.

22 comentários:

Aliane disse...

Ficou muito boa a resenha Dominique! O livro é foda e prende a atenção do leitor do início ao fim. Não tem como não se identificar com algum personagem ou como não se encantar e torce por Ablon e Shamira. Quando li o livro logo percebi que seria só uma questão de tempo até que as críticas por parte não só dos evangélicos, mas dos religiosos chegassem, infelizmente. Eu mesma sou evangélica, e sou megaboga fã do livro, mas sempre soube separar as coisas. Separar minhas crenças das coisas que leio, assisto, enfim. Mas fui criada (créditos a minha mãe)a saber apreciar uma boa obra seja ela de que universo for. Bom, e por isso que faço questão de divulgar. Amei o livro e digo que acho uma obra-prima literária. Acho que o Eduardo é um autor e uma pessoa maravilhosa, torço pelo sucesso dele como torço por meus amigos, doidera isso, não?!rsrs Mas é assim q me sinto! E que venham mais livros, pq se depender de mim e creio que da Dominique tb (se é q vc me permite Dominique =P), o Eduardo não ficará desempregado tão cedo! rsrs
Acho que já falei demais.rsrs Adorei sei blog Dominique.
Bjus

PS:Eu apareço em uma das fotos no seu blog no dia da sessão de autógrafo do ABdA.rsrs

Aliane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Yeshua Emanuel disse...

E o que deixa o livro um pouquinho mais extraordinário, é a profundidade das personagens, cada uma com sua própria história e seu próprio passado, abrindo, assim, espaço pra mais infitos contos sobre cada um... isso me empolga muito, só de pensar que poderia ter um livro inteiro só sobe o Orion (o personagem que eu mais gostei :D) por exemplo :P

Taty Books disse...

Tinha visto outra resenha desse livor e já fiquei curiosa... Mas a sua foi mais especifica e adorei.
Adoro temas sobrenatural e vou comprar com certeza esse livro.

Bjinhos


Ps- Sou a @tatymagnago rs

Hérida Ruyz disse...

Dominique...minha querida.
Não faz isso comigo! Eu ja queria muito ler esse livro, agora, sabendo que ele é "foda" eu vou ter que rebolar e dar um jeito de conseguir ler A Batalhando Apocalipse.
Você conseguiu me deixar mais ansiosa do que já estava. kkk
Bjs

αηδψϊηћα ஐβϊττψஐ disse...

Por vc ter falado tanto vou começar a ler... Dps volto com calma para conferir... não quero estragar nada lendo resenhas...rs

Bjos =)

janda disse...

Eu podia falar outras coisas, mas me atenho à minha resenha resumitiva do livro: FODA!!

=D

simples assim.

Nanda disse...

Nique,

Maldade ne, já tava na minha lista no skoob agora preciso conseguir urgente! Super resenha, amei. Parabéns, pq da pra ver que é difícil mesmo de resenhar, eu quero ^^

Aproveitando 2 coments em um para te parabenizar pelas novas parcerias, seu blog merece ^^

beijoo

Kézia Lôbo disse...

Bahhh estou super curiosa sobre esse livro... Desde que saiu so vejo mega elogios, e ele pe super comentado
E a tua resenhaa ficou muito boa mesmo, tu se gastou hueheuheuehu!!!

Iris disse...

Que resenha ótima, Nique! Adorei. Morri de rir com "palavrão não faz resenha" HAHA Deu pra sentir como vc gostou do livro.
Eu vou fazer o curso de escrita com o Spohr! Não tenho dúvidas que amarei e aprenderei muito
:*

Juliana - Juliana Soares disse...

Poxa Nique (espia a intimidade...rs), este livro deve ser muito legal mesmo. Depois que li tua resenha fui espiar onde vendia. Me interessei mesmo. Gosto de tudo que é tipo de livro, mas estes que "prendem" bem o leitor são show de bola!
Obrigada por compartilhar!
Bjocas

Juliana - Juliana Soares disse...

Ah! Como eu assino o New pra receber atualizações do seu blog.
Eu cliquei num icone ao lado do icone do twitter e nao consegui...
Bjocas

Daniela Tiemi disse...

Nossa, amiga, sua resenha ficou ótima! Com tanto entusiasmo q vc demonstrou, eu me pergunto pq é que ainda não comecei a ler este livro??! rsrs. Enfim, estou super enrolada com as leituras, resenhas, o blog... Logo eu volto ao ritmo de antes e espero em breve já poder começar a ler este livro. Queria ter visto o Eduardo na Bienal, mas estava uma loucura (um inferno, para ser exata) de tão cheio... Não consegui fazer nem um terço do que tinha planejado. =0/
Bj.

Aline disse...

Indo pra segunda leitura do livro. Agora edição com comentário, mapas e trechos da Bíblia.

Mel disse...

Dominique, que prazer eu tive em achar seu blog. Geralmente eu não vejo criticas de livros na internet antes de lê-los. Gosto de ter o prazer de descobrir por mim mesma se gosto ou não da história. Sabe aquilo de não gostar de jiló, mas nunca ter comido? Mais ou menos por aí. Gosto primeiro de ler o livro e depois ver se minha opinião sobre ele está sendo compartilhada com outras pessoas. Li A Batalha do Apocalipse e Filhos do Éden e digo que nenhum autor até hoje conseguiu que eu prendesse a respiração e só soltasse no final do livro. A obra de Spohr é realmente prima! Fatalmente se tornará um clássico da nossa literatura, basta que pessoas como eu e você divulguemos a obra desse autor maravilhoso assim como muitos outros autores! Parabéns pelo trabalho feito aqui nesse site e estarei por aqui sempre fazendo uma visitinha! Bjs Melina

Fátima Menezes disse...

Poxa, não sei o que dizer. Assim como o livro, sua resenha está foda. Parabéns, linda. Foi a melhor resenha sua que já li aqui. Bem detalhada, explicada e desenvolvida. Apaixonei-me pelo livro através dela.

Recentemente, comprei Herdeiros de Atlântida (Filhos do Éden #1). Deveria ter comprado A Batalha do Apocalipse primeiro. Parece que as duas histórias estão bem ligadas. Ainda ia demorar um pouco para ler Filhos do Éden, mas sua resenha me fez levá-lo para os cinco próximos livros que lerei (e há livros de parcerias que tenho de ler, rs). Ow, arrependi-me por não ter comprado A Batalha do Apocalipse também. Será se entenderei a história sem tê-lo lido?

Essa temática abordada pelo Eduardo é uma das minhas favoritas. Anjos, demônios, apocalipse... tudo isso me intriga e me fascina. Parece que a abordagem do autor é das melhores. Há todo um contexto histórico, um bom respaldo. Fico muito feliz por isso.

Aaah, estou me segurando para não entrar num site e comprar A Batalha do Apocalipse!!! E morrendo de inveja de você! Conhecer o Eduardo pessoalmente, que sonho!

Beijos,

Fátima Menezes - @fatimamd http://recantodecaliope.blogspot.com

Marília Maciel disse...

Já li o livro e posso confirmar: é FODA mesmo! Rico, cheio de detalhes, com uma leitura envolvente, A batalha do apocalipse é PERFEITO! Mereceu cada prêmio que ganhou. Parabéns ao autor Eduardo Spohr pela brilhante obra!
E parabéns Dominique, pela ótima resenha!

Ada disse...

O livro é bom, mas falta o feeling the romance para agradar ao púplico feminino

Enderson dias disse...

maravilhoso esse livro , muito bom msm
recomendo

Enderson Dias disse...

ganhei o livro de uma amiga e naum sabia q tinha essa edção tão rica assim , se poder me mandar pelo menos a foto da capa , agradeceria
enddias2@hotmail.com

Jairo Luis disse...

ecelente

Jairo Luis disse...

adorei bem detalhado cm personagem muito bons parabens

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela