Antes do 174

terça-feira, 7 de setembro de 2010



"Antes do 174" é o primeiro livro da autora Janda Montenegro, que em apenas dois dias conseguiu compor essa obra, que apesar de pequena, contém profundidade e reflexão.

No dia 12 de junho de 2000, o sequestro do ônibus 174, paralisou a cidade do Rio de Janeiro. O assaltante e sequestrador Sandro do Nascimento foi morto por asfixia dentro do camburão da polícia, logo após ao término da tragédia. Geisa Golçalves, grávida de três meses, foi morta durante a operação da polícia. Por mais incrível que pareça, de acordo, com relatos das vítimas, Sandro estaria blefando para a polícia quando dizia que iria matar a todos do ônibus, pois lá dentro, ele afirmava que não iria ferir a ninguém. Porém, ao tentar balear Sandro, um policial erra o alvo e acerta Geisa. Assustado, Sandro dá dois tiros na vítima. Esse é o término de mais um drama policial carioca, remontado ficcionalmente pela autora Janda Montenegro.

A autora Janda Montenegro reconstitui a cena de momentos antes do sequestro do ônibus. Por onde Sandro passou, o que pensou e como foi sua vida como sobrevivente de um dos episódios mais dramáticos do Rio de Janeiro: a Chacina da Candelária. Sua vida de menino de rua não foi nada fácil, ela deixa claro em uma narrativa crua e direta. Através do olhar de um marginal, de um ser que não existe para a sociedade, temos uma ideia de como eles se formam e quem eles acabam se tornando, mas principalmente, temos uma ideia, de quem somos e por que não fazemos nada para mudar essa realidade.

Mais do que um livro ficcional, Janda Montenegro traz um livro que nos faz refletir o tipo de sociedade em que vivemos, com sua mazelas e toda a sorte de lixos existentes. Desde a comida que jogamos fora aos pequenos luxos que gastamos com nossos bichos de estimação, é abordado, nessa crítica da sociedade.

No livro, um dos "pensamentos" do deliquente, seria sobre as pessoas que tem rosto e os que não possuem rosto. Ou seja, os que possuem  rosto são as pessoas que são visíveis para a sociedade, as que tem um poder aquisitivo e uma vida no mínino estável. Por outro lado, as sem-rostos, são os marginais, os bandidos, os pobres, aquelas pessoas que passamos todos os dias na rua e fingimos que não vemos. Essa foi uma das partes mais tocantes para mim, pois ao refletir sobre minhas ações, concluí que eu sou uma das pessoas que ao passar por outra, dita "estranha", abaixa a cabeça, olha para o outro lado e finge que não vê. Afinal, elas são algumas coisa para mim, se não as vejo? É nesse ponto, que a narrativa ataca cruelmente, dizendo que esses seres marginais à sociedade, não são nada além de sombras.

"Mas você não sente nada disso, não tem expressões faciais, até porque não tem face. Você não se importa. Apenas observa. Sabe que tudo isso é uma espécie de mágica, de se falar exatamente as palavras que se quer ouvir. Você sabe disso, porque essas são pessoas que dizem coisas, você, não, não sabe dizê-las, porque não tem voz. Você pede. Pede com os olhos. Mas, para que as pessoas entendam, é necessário olhar para você, e nem sempre elas fazem isso. Na verdade, quase nunca fazem. Você não se importa. Sabe que é difícil olhar para alguém que não existe, quanto mais entender um pedido de alguém que não fala. É difícil, nem mesmo você entende. Talvez, se estivesse do lado de lá do rosto você compreendesse ainda menos do que consegue entender agora. Mas isso são suposições e você não tem o direito de supor, porque quem supõe é porque tem ao menos duas opiniões, duas chances e você não tem nenhuma, nunca teve, nem nunca terá. Para você, é apenas um, quando é. E não é um para que você não tenha dúvidas, não, nada disso. É apenas um, porque um é mais do que suficiente, é mais do que você merece, e é mais do que você conseguirá ter em toda a sua vida."

A frase acima me deixou tão mal, que fiquei sem tocar no livro por duas semanas. Eu não conseguia digerir o que aquelas palavras queriam me dizer, senti-me de mãos atadas e totalmente confrontada com a realidade. Veja bem, eu trabalho em uma região, dita perigosa e rodeada de comunidades (favelas). Meus alunos, a maioria, são de lá, quantos serão como Sandro? Depende de quem que eles não se tornem futuros marginais? Essas questões perpassavam em minha cabeça e cada vez que eu os olhava, via neles, Sandro. A diferença estava clara, no final, ponderei, eles estão em um colégio que faz tudo para que eles não se tornem mais um criminoso. Uma escola que além de oferecer comida de qualidade, professores qualificados e uma infra-estrutura de primeiro mundo, principalmente, se preocupa com o futuro deles. Quem eles tem, então? Eu respondo. A escola. E ela está fazendo sua parte.

Enfim, com uma narrativa rápida e crua, Janda desmistifica o lado negro da sociedade e suas mazelas. "Antes do 174" é um livro que vale a pena ter na sua estante.




Janda Montenegro é formada em Letras-Literaturas pela UFRJ e como guia de turismo internacional. Está cursando Pós Graduação em Produção Editorial. É autora de "Antes do 174". Nas horas vagas, ela é organizadora do Encontro Literário dos Skoobers RJ e começará a dirigir o encontro "Nós autores", que ocorrerá mensalmente, na Saraiva Rio Sul.



Quer comprar o livro? Aproveite! Ele está sendo vendido por apenas R$10 + Frete, se você comprar diretamente com a autora. Envie um email para jandamontenegro@gmail.com e diga que viu esse anúncio, no blog "Livros, Filmes e Músicas". Quem comprar, ganhará exclusivamente, o primeiro capítulo do próximo livro "O incrível mundo do senhor Chuva".


Janda, minha querida amiga, de skoob, de encontros, de coquetéis, hehehe, e, principalmente, amiga de coração. FELIZ ANIVERSÁRIO!!! Que Jesus possa abençoá-la hoje e sempre. Muito sucesso na carreira literária. Adoro você!

Minha classificação para esse livro é de 6/7 - Excelente.

24 comentários:

Lariane disse...

ainnn, linda resenha. Mas, vejo q não é para mim!

BRECHOZINHO DA MEL disse...

Nossa, lendo a resenha fiquei sem ação...imagina lendo o livro.Acho que todos deveriam ler eu quero ler.

La Sorcière disse...

A gente vive em uma sociedade onde a violência é banalizada e quando paramos para pensar seriamente no assunto, ficamos como vc ao ler o livro: paralisados e sem ação.
Excelente resenha:)
Bj

Tatiana disse...

Não sei nem o que dizer... Coisas como essa acontecem e dão nó na nossa cabeça. Infelizmente... Quero ler o livro!!!

Ah, e feliz aniversário à autora^^

disse...

Adorei a resenha, principalmente pelo assunto do livro, algo que dificilmente encontramos por aqui. Já fiquei sem ação com a resenha, imagina o livro então :)
Ótima indicação!!
Parabéns à autora pelo níver!!!

Taty Books disse...

Parabens a autora!

Assunto polemico, e adoro essas coisas... A nossa vida não é so romances e coisas "legais" o tempo todo. Enfim, adorei e quero ler o livro.

iluj disse...

parabéns otima resenha, o livro c certeza é muito bom pela resenha já dá pra ver, lembro desse epsodio do onibus, c certeza é uma boa garantia de boa leitura..

Luh 182 disse...

Excelente resenha,o episódio do ônibus realmente não tem como esquecer.
Como disse a Taty Books a vida não é só romances e coisas legais o tempo todo.

Promos Mel disse...

Parabéns pela resenha. Não gosto muito de livros nessa linha, de acontecimentos trágicos.

Guiomar Baccin disse...

Legal a resenha! Gosto muito do blog

Bruna Kitty disse...

ameiii a resenha!!!
adoro livros com assuntos trágicos, e a autora parece ter abordado o assunto de forma maravilhosa!

Daiane Santo disse...

Vi o filme 174 assim que saiu, pois o trailer era convidativo há várias reflexões. E não me enganei. O filme propõe a análise de quem foi o Sandro antes do assalto. Isso nos faz pensar muitas coisas: a influência da família, sociedade, a falta de um lar, a não educação moral e ética...enfim, quero muito ler o livro também, pois nos proporciona crescer e analisar as coisas como exatamente são e, principalmente, qual o nosso papel e contribuição tanto para as coisas positivas, quanto para as negativas.

Aline disse...

Adorei a dica de livro. A historia parece ser de muita sensibilidade, nao pelo assunto abordado que eh forte, mas pelo fato que atinge o leitor, gosto de livros do genero, pois gosto de emocionar com o personagem.

Fiquei com vontade de ler agora.

Lorena Vianna disse...

Vi o filme baseado nessa obra, e é realmente chocante. Não tive oportunidade de ler a obra, mas sei que o filme não faz juz ao que nós podemos interpretar através das palavras. Essa é uma realidade a qual nós nos recusamos a enxergar, a triste realidade que ninguém se incomoda em mudar, e os poucos que tentam não conseguem o apoio necessário. Esta leitura é um ótimo meio de despertar o lado humano que nós deveríamos ter e, no entanto, ocultamos. Ótima resenha, parabéns, beijos.

Shane disse...

Não costuma ler livros com acontecimentos trágicos, mas deve ser bom mesmo assim!

Natália Alexandre disse...

Escreveu em 02 dias? Nossa.

Sabe que não tive coragem de ver 174? M as o livro eu já gostei. Infelizmente retrata a realidade.

Bjssss

Sisá disse...

Nuossa, adoreeeeeeeei!!!! Já tá incluido na minha lista de presentes que quero ganhar! *-*

Pamela disse...

Não curto esse tipo de história, mas infelizmente como já comentaram aqui, ele retrata a nossa realidade nua e cruelmente.

Cíntia Mara disse...

Histórias reais são interessantes, mas temos que ler preparados, né? Porque deve ser muito triste.

Ótima resenha =)
Parabéns à Janda

Beijos

Lili disse...

Gostei da dica do livro Dominique! Não conhecia a autora...

Vou procurar no skoob =)

Parabéns pela resenha!

Beijos
lili

Caio Rodrigues disse...

Adorei, Ótima resenha.
Parabéns, quero muito ler.

Italo _correa disse...

UAL Nique,esse livro parace profundo.
Ei vi o filme que fala dessa história,se não vc não viu recomendo,se não me engano o nome do filme é o número do ônibus no caso 174.
Gostei muito da resenha fiquei com muta vontade de ler. Mas um livro que mostra o cotidiano das principais cidades brasileiras e mais um talento brasileiro.

Lu disse...

Nossa Nick, só sua resenha já me emocionou. =)
Sou muito fraca para esses livros, já começo a ler chorando. =/
Infelizmente nossa realidade é triste e a desigualdade é enorme.
Aposto que esse livro me faria chorar bastante. ^^
vou anotar a dica.
beijossssssssssssss

Fernanda disse...

Nunca tinha ouvido falar desse livro... caramba, parece ser bom... e com certeza deve fazer pensar, e muito.

Bjs

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela