Nove meses de gravidez

sábado, 30 de abril de 2011


 É impossível fingir que posso controlar
O que estou sentindo, é muito forte pra negar
Pra que resistir, se eu sei que você também quer
Sabe que eu não vou seguir sozinha
Você tem as chaves do meu coração

(Back at one, Brian Mcknight e Ivete Sangalo)

Eu poderia dizer que ao longo de quase 10 anos de relacionamento com Cristiano, eu me apaixonei por ele várias e várias vezes com uma intensidade diferente. Cada vez que eu me apaixonava por ele, mais eu amadurecia. Quando eu comecei a namorá-lo tinha apenas 14 anos de idade, uma menina apenas. 

Mas hoje eu o amei com uma intensidade absurda, que chegou a doer. 

Ao longo de 9 meses de espera pela nossa filha, eu olho para trás e percebo como mudei, como amadureci e como ainda tenho muito o que crescer. Ao longo desses meses, eu recapitulei a minha vida. Confesso que era como se eu tivesse aberto o livro de minha vida e o tivesse lendo desde o começo, quando eu nasci... 

Compreendi minha mãe em suas exigências e cuidados excessivos (como se amar e querer proteger fosse um pecado). Entendi que apesar de não ter tido a presença de um pai na minha vida, em nada ele me fez falta, pelo contrário, o amor de minha mãe foi o suficiente para suprir qualquer necessidade. E graças a ela, hoje sou uma pessoa completa e digo com todo orgulho, que se eu puder ser metade da mãe, que ela foi para mim, Luiza será tão sortuda quanto eu ainda sou. 

Com a chegada de Cristiano, ao longo dos anos, eu me descobri como mulher apaixonada, voluntariosa, cheia de vontades e desejos, e muito confusa em diversos momentos. Não tenho vergonha de dizer que ele foi o pilar do nosso relacionamento em diversas vezes. 

Hoje eu descobri que finalmente estamos no mesmo patamar. Ele não precisa ser o pilar, nem eu preciso mais ser incentivada a continuar a subir. Ambos chegamos em um momento em que somos a estrutura e o alicerce um do outro. 

Desde ontem, a bebê começou a ficar quieta demais e com movimentos bem lentos. Acostumada a vê-la fazendo altas cambalhotas na barriga e a ser chutada a madrugada toda, a não achar posição confortável para nós duas, eu logo me preocupei. Não que ela estivesse em perigo, nem nada. Eu sabia que ela estava bem, somente queria ter certeza de sua presença, queria sentir novamente aquele movimento gostoso quando ela mexe. 

Muito sonolenta, mas decidida, convidei o Cris para me ajudar a "acordá-la", às 6h da manhã. Juntos começamos a conversar com ela e a acariciar a barriga. Falamos de nossas preocupações e como queriamos que ela falasse com a gente. Como uma boa menina, Luiza mexeu bem devagar, demonstrando para os pais, que não somente estava bem, como também nos entendia a seu modo. 

Durante esse momento, eu falei para Cris, dos meus medos e preocupações. E ele simplesmente me acalmou. Ao me abraçar e dizer o quanto me amava, eu me senti a mulher mais sortuda do mundo. Ele estava comigo e entre nós dois estava nossa filha, apenas esperando o tempo certo para nascer.

E nessa certeza, eu escrevo para vocês, que os medos que eu senti no início da gravidez, já se dissiparam. Há 9 meses atrás, eu era bastante individualista e um tanto egoísta, pois somente pensava na minha própria satisfação. Descobri que possa desfrutar da vida, estudar, trabalhar, namorar, ser mulher, ser amiga, ser filha, irmã, ser eu mesma, construindo-me aos poucos e ainda SER MÃE. 

Que venha a Luiza, que ainda não nasceu para mundo, mas já iluminou as nossas vidas. 

Prévia do ensaio gestante no Jardim Botânico/RJ.

A família da Luiza. (Da esquerda para direita: vovó Solange, eu, Cristiano e titio Luiz) 
Minha pequena leitora logo chegará.


Ps.: Luiza está atualmente com 36 semanas e 6 dias. Quanta ansiedade! 

4 comentários:

Vanvan disse...

Dominique me emocionei com o seu post, também sou blogueira e também estou grávida de 9 meses, na verdade a minha menina chega já nesta próxima segunda-feira, preparei até um post também que vai ao ar no dia. É um momento mágico esta chegada das nossas futuras eternas companheiras que, tenho certeza que tanto eu quanto você torcemos para que sejam tão leitoras viciadas quanto nós.
Tudo de melhor para você e para sua abençoada família, de coração.

Um grande beijo.

Vanessa Meiser
http://balaiodelivros.blogspot.com/

janda disse...

dominiiiiiiique!!

Vc foi escrevendo, escrevendo e eu pensando "ai meo deos, a Luiza nasceu hoje!!"

Nem preciso dizer que vc não é a única nervosa pelo nascimento dela, né??A nossa skoobebê será a mais paparicada de todas!!

beijão querida!

Adriana disse...

Nique, amei seu texto! Fiquei me lembrando de quando minha pequena nasceu e...é tudo tão parecido! Acho que quando a gente encontra a pessoa certa, tudo flui, tudo dá certo...hoje voce me fez voltar no tempo e te digo uma coisa, se as coisas já mudaram, quando voce tiver a Luisa nos braços a mudança é muito maior...e muito melhor! Parabéns! Bjinho e que vc tenha um parto absolutamente tranquilo!

Nica Morgan disse...

Tenho certeza que você será uma ótima mãe Nique :)
Nossa, fico muito feliz por você ter encontrado a pessoa certa para vc dividar a sua vida, um companheiro!
Você está linda com essa barriga Nique :D Imagino a ansiedade que você deve estar passando! Mas sei que vai dar tudo certo :D Estou torcendo aqui por você!

Tudo de bom pra ti e pra sua família linda :D

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela