"Eve" de Anna Carey

segunda-feira, 21 de novembro de 2011


"(...) Foi o jeito desafinado que Caleb cantou aquele dia na floresta - apenas jogando sua cabeça para trás e cantando, sua voz ecoando através das árvores. Foi a comida que preparou para nós a cada manhã e cada noite, as toalhas e blusas dobradas desajeitadamente, a banheira que trouxe para Arden sem que alguém ao menos pedisse.
Eu sabia, talvez com mais certeza do que qualquer outra coisa, que este era um homem bom."
(p. 156/157 - tradução livre)


O ano é 2036 e o mundo como o conhecemos já não existe mais. Todo o planeta foi devastado por um vírus que eliminou 98% da população, há doze anos atrás. Em meio ao caos, um homem assumiu o controle de tudo, denominou-se o novo Rei e reestruturou a sociedade a seu modo.
Na época, Eve tinha apenas cinco anos e com a morte da sua mãe - assim como de tantas outras crianças -, ela foi enviada a uma escola para garotas e lá foi educada, bem alimentada, bem tratada. Eve tirou o máximo proveito desta oportunidade, sendo não só a primeira da turma como também o destaque em todo o colégio.

Ela está completando seu 12º ano de estudo, o que significa que esta se formando e será encaminhada ao prédio do outro lado do lago, onde acredita que estudará para se preparar para uma profissão. Seu sonho é ser artista plástica, pois é realmente muito talentosa.
Entretanto, no dia anterior a mudança, quando ela e outras meninas da sua turma estão comemorando em um festejo promovido pela escola, Eve percebe que Arden - uma das encrenqueiras do colégio - a encara à distância. Com receio de que ela esteja planejando algo que possa arruinar o grande dia de sua formatura - pois fora convidada a fazer um discurso, e estão dizendo que talvez até o Rei compareça ao evento -, ela vai atrás de Arden para descobrir o que a garota está aprontando e a flagra tentando fugir dali. Quando Eve tenta impedi-la, Arden lhe joga uma verdade que parece inacreditável: o prédio do outro lado do lago, aonde em breve seriam levadas, não era destinado aos estudos para uma profissão e, sim, para a procriação. 

Ao serem transferidas, as garotas seriam obrigadas a reproduzir artificialmente um filho após o outro, pois o Rei não só tinha medo da extinção dos seres humanos, como desejava mais súditos, mais mão-de-obra. Era por isto que zelavam tanto pela saúde de cada uma delas, cuidando tão bem da alimentação e as obrigando a tomar vitaminas, além das visitas periódicas da médica. Era por isto que todos aqueles anos as professoras ensinavam a todas aquelas meninas o quão cruéis eram os homens. Ensinavam as meninas a temerem e detestarem o sexo masculino que só queriam as mulheres para seu próprio prazer, usando de sua superioridade física para forçá-las a fazerem coisas terríveis.  Com muitas meninas temendo e odiando o sexo masculino, o Rei evitaria o lento processo de "se apaixonar, namorar, casar e finalmente ter filhos" e convenceria mais facilmente aquelas garotas a procriarem pelo bem da humanidade. Mas quando elas se recusam, a força é utilizada.

No início, Eve recusa-se a acreditar em Arden - que consegue fugir da escola -, mas não para de pensar naquilo tudo. Seria mesmo verdade? Decide tirar a prova disto, e é quando descobre o quanto sua vida toda foi uma mentira, uma completa ilusão. Resolve fugir. Ela parte rumo a Calífia - um acampamento indepentende do reino onde se abrigam os rebeldes e fugitivos.  Está sozinha em um mundo desconhecido e assustador para uma garota ingênua que por toda a sua vida esteve protegida pelos muros, mas nada poderia ser mais assustador do que ficar e ela sabe que não há outra escolha.

Lá fora, ela descobrirá que existem homens cruéis, sim, mas também existem homens bons. Perseguida por ordens do Rei, o caminho percorrido por Eve será mais perigoso do que poderia imaginar.


" - Benny me disse que amar alguém significa que seu mundo seria pior sem ela. - Ele sorriu - De onde ele tirou esta ideia?" ( tradução livre - p. 296) 


A ingenuidade foi uma característica da personagem principal que me divertiu durante a leitura. Mas como todas as distopias que - até o momento - tenho lido, "Eve" não é exatamente um livro divertido. Há até alguns momentos engraçados, porém não é esta a característica principal do enredo. Entretanto, não o achei tão tenso quanto alguns outros do estilo. 
Esta é uma obra cheia de aventura, com emoções em diversos graus de intensidade, e muito romance. A história possui um ritmo na dose certa o que torna a leitura rápida e muito envolvente.

Durante sua vida, Eve se permitiu acreditar em todos os ensinamentos de seus professores sem sequer ousar questioná-los, e a experiência por qual ela passa durante a trama a faz amadurecer e abrir os olhos para mundo como ele realmente é.
Caleb é o nome do herói deste enredo. O maior responsável por mostrar a Eve o verdadeiro mundo. Ele é realmente tão bom quanto ela o descreve - o primeiro quote acima -, mas está longe de ser aquele bonzinho frouxo, sem personalidade. Não mesmo. Caleb é forte, mas gentil; intenso e inteligente. Ou seja, outra paixão literária!

Infelizmente - ou não -, se trata de mais uma série. Se não houvesse continuação, eu diria a vocês ter me decepcionado com o desfecho da trama, mas como outro livro será lançado digo que isto só me deixou ainda mais ansiosa pela continuação.
Super recomendo!

As boas notícias são: a Galera Record comprou os direitos de publicação do livro que ainda não tem previsão de lançamento aqui no Brasil. E, parece que o livro vai virar série de TV, desenvolvida pelos mesmos produtores de "The Vampire Diaries". Estou super ansiosa!


Minha classificação para esse livro é de ♥ 5/7- "Muito bom".


Série "Eve":

- Livro 01: "Eve" - lançado no exterior; sem previsão de lançamento no Brasil.
- Livro 02: "Once" - previsto para Julho de 2012 no exterior.





Por Daniela Tiemi

8 comentários:

Natália Medeiros disse...

Dani, adorei a resenha. E acho que é uma obra que prende bem o leitor.


Fiquei doida para ler...

Nanda disse...

Ei Dani,

Adorei a resenha, eu quero ^^
Gosto muito deste tipo de livro, apesar que este final assim sempre me deixa agoniada rs. Que bom que vai sair pela Galera =]

bjos

Niii disse...

o que mata é esse lance de série, tô ficando claustrofobica!

sylviacheleiro disse...

Nossa que suspense!Gosto de livros assim que me deixem curiosa, as vezes leio num dia só para saber o final.
Como a Niii disse o que mata é que sendo série vc fica condicionada ao próximo livro sempre com vontade de saber como continua.
bjocas.

Lu disse...

nossa, o livro parece ser bem legal, gostei mesmo.
Espero que lancem rapidamente, quero muito ler. ^^
beijos.

Patricia Lima disse...

Já tinha visto esse livro, mas nem me interessei em saber do que se tratava... Adorei a resenha! É o meu tipo de livro e espero que lancem logo no Brasil :)

=*

Renata G. de Souza disse...

Eu não tinha me interessado tanto pelo livro *-*
Mais ainda bem vai ser lançado aqui e espero que logo kkk
Fiquei ansiosa! Amei sua resenha e o booktrailer é lindo!
Parece ser o estilo de livro que eu gosto >.<
Tomara que a série seja melhor que TVD =/ (para mim em tvd o único que se salva é o Damon =P)
Bjus =*

Fellipe disse...

Quando esse livro for lançado aqui no Brasil será um dos meus mais desejados, porque gosto muito de distópicos e esse parece ser um dos bons! E é muito bom quando você acompanha o amadurecimento da personagem durante o livro, é muito bom ver isso!
Fiquei super curioso quando a essa historia, se ja tivesse sido lançado aqui jno Brasil estaria doido procurando rs

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela