"A Mecânica do Coração" de Mathias Malzieu

quarta-feira, 23 de novembro de 2011


“Um conto de fadas excêntrico e fantástico para adultos.” – diz o Houston Chronicle na quarta-capa deste livro. Eu, digo mais: uma versão em papel de um filme deliciosamente assustador de Tim Burton.

Não à toa, “A mecânica do coração” teve seus direitos vendidos para o cinema e se transformará em breve num filme de animação em parceria do autor com o diretor Luc Besson. Fica a dica porque coisa boa virá, fato!

“A mecânica do coração” é um conto de fadas, mas sem fadas. É uma história sombria ocorrida no final do século XIX e que em suas primeiras páginas tem a narrativa e o ponto de vista de um bebê! Só que este bebê, chamado Jack, nasceu no dia mais frio do mundo e, por isso, seu coração está congelado. Numa manobra arriscada e inovadora,  a parteira resolve substituir o coração do menino por um relógio cuco, que irá bombear o sangue para seu corpo. A partir daí, Jack é avisado: apaixonar-se é um risco altíssimo, seu coração não aguentaria e ele poderia morrer.

Não se assuste se nas quase duzentas páginas nós acompanharmos a vida de Jack desde bebê até os sete anos, quando ele conhece a pequena cantora e se apaixona. Ele passa a procurá-la em todos os lugares, se matricula, aos dez anos, numa escola, mas somente aos quatorze anos ele finalmente encontra Acácia. E o livro termina com ele já com dezoito anos. Embora pequeno, não é um livro que recomendo que se leia rápido, pois o gostoso é absorver cada frase nele escrita, pois a narrativa é um poema (comumente conhecido como poesia em prosa), como pode ser observado em: “Voltar à época em que eu amava sem estratégia, quando eu investia de cabeça baixa sem medo de esbarrar nos meus sonhos” ou “Quero tirar a máscara de morcego romântico. Quero amor à luz do dia.”

A bem da verdade, tanto o estilo fantástico beirando o absurdo quanto a narrativa me lembra meu próprio livro, “O Incrível Mundo do Senhor da Chuva”, e talvez por isso eu me sinta tão próxima deste Mecância do Coração. Ambos flertamos com o surrealismo fantástico, ainda que sendo real. Há passagens especialmente interessantes que fazem ambas as obras dialogarem: “Nunca corri tão lentamente”, “meu cérebro está tão cansado de permanecer sob meu crânio”, “se tiranossauros sorrissem” e “Ele ri com um riso de criança de bigode.”

Curiosa, fui fuxicar na internet como era Mathias Malzieu, pois no livro não tem sua foto. Com surpresa, vejo que ele é um francês bem apessoado, beirando os quarenta mas com cara de trinta e nove. Numa das fotos ele aparece ao lado de uma mulher lindíssima, com traços espanholados, longo cabelo negro e...epa! Esta é a história do livro! Então eu paro e percebo que Mathias Malzieu, que é popular em seu país por ser vocalista de uma banda de rock, dedicou este livro à namorada; um livro amoroso e carregado de sofrimento, um livro em que ele é Jack em todos os sentidos, em busca de sua Acacita, um livro que, tal como o século XXI, flerta com diversos elementos da cultura pop (Pinóquio, Cinderela, o mágico Houdini e Méliès e, para mim, uma própria recontagem d’O Mágico de OZ, sob o ponto de vista do Homem de Lata, que tudo que quer é um coração novo).

Um livro que é uma sombria declaração de amor. Quer algo mais romântico do que isso?


Janda Montenegro.

9 comentários:

Folhas de Sonhos artesanatos disse...

Nossa, parece linda essa história. E o luc Besson às vezes dirige uns filmes bons, mas só às vezes. Fiquei realmente curiosa para ler esse livro, melancólico, beo e delicado. ótima dica.

abraços
http://www.folhasdesonhos.blogspot.com

Natália Medeiros disse...

Nossa o livro parece ser espetacular, além do mais adoro historia de contos de fadas, faz com que sonhemos com coisas dificeis de acontecer porém mostra exatamente o que se passa dentro dos leitores mais romansticos e sonhadores.


PS.( Adoro as resenhas da Jansda)

Nanda disse...

Ei meninaz,

Eu estava lendo e achando que o texto da Nique estava diferente e no final que vi que era da Janda rs.

Enfim, amei a resenha, não sabia que este livro tinha este lado poético, achei lindo. Eu quero ler. :)

bjos

Patricia Lima disse...

Consegui esse livro pelo Skoob e não vejo a hora de lê-lo!
Acho essa capa linda, e a história é diferente de tudo que já vi. Assim que li a sinopse, também logo pensei em Tim Burton :)

=*

Lívia Carolina disse...

Oi Janda!
Que resenha linda!

Fiquei encantada e querendo muito ler o livro para conhecer Jack e mergulhar nesse conto que me parece incrível!

Bjos

Daniela disse...

Uau!
Que resenha maravilhosa! Adorei o seu ponto de vista sobre este livro que já está minha wish list há um tempinho.

Acabei chegando no blog por outro motivo e já estou seguindo!

Parabéns!
Ele é maravilhoso!

Daniela / @daride

Daniela Tiemi disse...

Também achei linda sua resenha, Janda! Me deixou com mta de ler esta obra. Bjo.

Jozi Elen Fleck disse...

Fazia tempo que não passava por aqui! A vida tá corrida demais! Curti muito a resenha, vou indicar a obra para meus amigos e alunos! Abraços a vocês!
Jozi
O Lugar das Cores Escritas

Fellipe disse...

Quando eu vi a capa desse livro fiquei curioso para lê-lo, e agora lendo a resenha sobre ele fiquei ainda mais , pelo jeito o livro é bem bonito e bem escrito, ainda bem que irá virar filme, vou assistir, com certeza!! Achei bem criativa essa ideia do autor!!

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela