"Da magia à sedução" de Alice Hoffman

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012


 "Kylie estende uma das mãos e vaga-lumes reunem-se em sua palma. Quando os sacode e eles se elevam no ar, pergunta-se se possui algo que outras pessoas não possuem. Intuição ou esperança - não saberia como denominá-lo. Talvez o que possua seja a simples capacidade de saber que algo mudou e ainda está mudando, sob esse escuro e estrelado céu."
(p. 109)

Não se deixe enganar pela capa nada convidativa, pois ela esconde uma história envolvente e muito bem narrada por Alice Hoffman. Apresento o livro que deu origem ao filme homônimo; uma adaptação de sucesso para telonas nos anos 90, estrelado por Sandra Bullock e Nicole Kidman.

Por mais de duzentos anos, as mulheres Owens haviam sido responsabilizadas por tudo o que saía errado na cidade”, assim começa “Da magia à sedução” que conta a história de duas irmãs: Sally e Gillian.

Apesar de serem muito próximas uma da outra quando crianças – dormiam sempre juntas e abraçadas, frequentemente tinham os mesmos sonhos; podiam às vezes terminar a frase uma da outra ou até adivinhar o que a outra desejava para sobremesa, por exemplo -, eram duas meninas completamente diferentes. Sally era a mais velha – exato 13 meses mais velha que Gillian -, tinha cabelos negros, era responsável, racional e organizada. Já Gillian tinha cabelos louros, era preguiçosa, desorganizada e voluntariosa. “Noite e dia” era o que diziam as tias por quem foram criadas.

Ao crescer, Gillian torna-se uma mulher extremamente sedutora. Ela parte o coração de todos os homens – dos mais jovens aos mais velhos, e dos solteiros aos casados – antes de resolver deixar a pequena cidade em Massachussets em que vive rumo ao mundo, aos seus dezoitos anos.
Enquanto isto, a obscura Sally que passa seus dias cuidando da casa ou se escondendo nos livros, se apaixona por um rapaz, o tímido vendedor de uma loja. Eles se casam, têm duas filhas, e pela primeira vez em sua vida, Sally se sente normal. Os vizinhos a cumprimentam na rua ao invés de desviar de sua direção; eles a convidam para tomar um chá em suas casas e aqueles que antes nem passavam em frente à casa da família Owens, agora a frequentam em festas que Michael e Sally preparam para as filhas.

Mas parece que as mulheres Owens estão fadadas a infelicidade amorosa. Não muitos anos depois de casados, uma fatalidade tira Michael da vida de Sally e das meninas.
Gillian passa de um relacionamento a outro, até finalmente se prender a homem violento de quem não consegue se desvincular.
Será alguma maldição da qual as irmãs não podem fugir?

"São surpreendentes os lugares a que o amor transportará uma pessoa. É espantoso descobrir exatamente até onde se está disposto a ir."
(p. 83) 

Sempre tive vontade de ler este livro, já que assisti ao filme várias vezes e sempre gostei, mas tinha certo receio. Não por conta da comparação entre o filme e o livro, pois sempre tenho em mente que jamais serão iguais, mas por já ter me deparado com uma ou outra resenha negativa sobre ele - além dessa capa que nunca me atraiu.
Porém não resisti quando surgiu à oportunidade de lê-lo e, certamente, foi mais uma prova de que resenhas e opiniões sobre uma obra variam do olhar de cada pessoa e deve-se sempre tirar suas próprias conclusões de uma leitura. No fim, eu gostei das diferenças entre o livro e o filme. Na obra de Alice Hoffman, a história tem mais qualidade, sem os clichês adicionados a produção cinematográfica, especialmente ao desfecho do enredo.

“Da magia à sedução” me surpreendeu positivamente. A história é instigante e possui um toque mágico peculiar - aqui a magia são superstições do dia a dia -, os personagens são excêntricos - mas em um momento ou outro nos identificamos - e a narrativa é quase poética. 

Se o leitor não procurar nesta trama um romance focado em grandes histórias de amor, e sim, em relacionamentos de um modo geral, especialmente os familiares; então sem dúvida irá se deliciar ao imergir nesta trama mágica e sedutora.


Minha classificação para esse livro é de ♥ 5/7- "Muito Bom".


Por Daniela Tiemi

18 comentários:

Max disse...

Olá Daniela,

Também gostei muito do filme. Não sabia que ele tinha sido baseado em um livro. Vou incluir o título na lista de livros para comprar. Gostei muito de seu texto. De fato, as resenhas sobre um livro variam muito de acordo com quem as escreve. Confesso que por não ser um grande admirador de histórias românticas uma resenha minha sobre O Morro dos Ventos Uivantes não ficaria tão empolgante quanto uma produzida por alguém com mais familiaridade com o gênero. Perdi a conta de quantos livros, cuja opinião da crítica especializada era negativa, se mostraram muito mais interessantes do que os elogiados por ela. No fim, apesar das resenhas e críticas, cabe a nós lermos e comprovarmos por nos mesmo se o livro vale a pena ou não.

Bjos.

Naniedias disse...

Adorei a resenha! Não sabia que tinha o livro ><
Eu devo ter algum problema, porque não achei a capa tão ruim assim... não estou dizendo que é belíssima e nem chega perto das capas mais bonitas que temos por aí, mas também não a achei tão feia >< hahahahahah


Beijos,
Nanie - Nanie's World

Sora Seishin disse...

Oi Dani!
Eu amooo esse filme, já vi várias vezes. Não sabia que era baseado em um livro!
Agora quero ler para saber quais são essas diferenças que você falou.
Beijos,
Sora - Meu Jardim de Livros

Claudia Charão disse...

Oi!

...Não se deixe enganar pela capa nada convidativa...

Bom ter dito isso, ela não ajuda muito. Ah eu vi esse filme, nem sabia que tinha livro. Parece bom, sempre achei instigante o lance da maldição e gosto de livros sobre relacionamentos "normais", familiares.

Bjus

Adrianna Alberti disse...

NECESSITO DESSE LIVRO *______*
Eu amo o filme e não sabia que era livro, apesar de quase nunca gostar das adaptações de livros, alguns livros me surpreendem depois de ver os filmes e acabo observando uma boa adaptação para filme...
Onde vc comprou??? *-----*

Daniela Tiemi disse...

Oi, Adriana!
Não tenho o livro. Li através do Livro Viajante do Skoob. Mas quero comprá-lo tb, vou procurar e depois volto aqui pra t informar melhor!

Bj.

Adrianatbnu disse...

Eu nunca vi esse filme, e realmente a capa do livro é horrível eu não compraria ele nunca pela capa, acho que nem leria a sinopse.
Gostei da resenha se tiver oportunidade vou ler sim.

Aline T.K.M. disse...

Simplesmente adorei o post. Tinha já curiosidade em relação ao filme e não sabia que tinha livro. Agora, poxa, estou com muita vontade de assistir e de ler. Apesar de a capa não ser lá mto atraente, eu achei até bonita, sabe.

bj
escrevendoloucamente.blogspot.com

Fellipe ramos disse...

Essa capa não é mesmo atrativa, se fosse só pela capa eu nunca iria ter vontade de ler esse livro, mas lendo a resenha fiquei um pouco curioso, se tiver uma oportunidade leria o livro, mas é mais provável que eu no máximo assista o filme, que eu nunca tinha visto falar, e é uma pena que tenha muito mais clichê que o livro!

Niii disse...

essa capa é meio trash mesmo =x
haha
acho que eu pararia nela e nem continuaria, mas que bom que surpreendeu vc!

bjos

Nii
Faz Parte...

Paola Cariello disse...

Simplesmente amoo esse filmee, mas não sabia que havia um livro!
Quero leeeer *-*

Carolinices disse...

Oi Dani
Eu não sabia que o filme tinha sua origem em um livro. Na verdade, nunca consegui vê-lo inteiro.

O nome me chama muito a atenção, e depois de ler sua resenha fiquei com muita vontade de ler o livro!

Bjos

Erica Marts disse...

Eu quero ler esse livro principalmente por causa do filme que adoro. Mas essa capa é muito feia. Hoje em dia eu não espero mais ver o livro nas telas porque o que acontece é 5% do livro e o resto veio da imaginação de um roteirista meia boca e coisas que fazem vender.

----Leituras & Fofuras----
www.leiturasefofuras.com.br

Quel disse...

Vou ter o prazer de finalmente ler este livro em breve. Estou super ansiosa!
Então, só tenho um comentário a fazer. Esta capa que tanto foi menosprezada na resenha é uma das representações de Perséfone. Um mito grego que toda mulher deveria ler, pois, Perséfone (ou Prosérpina em alguns casos) é raptada por Hades, deus protetor do mundo inferior, por quem depois de comer uma romã se apaixona e passa a comandar este mundo com ele. O mito também servia para explicar as quatro estações. Enfim, poderíamos pensar, o que faz as mulheres de hoje em dia descerem ao inferno (submundo)?
Bom, só queria defender esta capa porque acho que ela tem uma relação interessante com a história.

Daniela Tiemi disse...

Oi, Quel! Muito obrigada pela sua observação sobre a capa. Eu conheço um pouco sobre o mito de Perséfone, mas não sabia que a imagem tinha relação com o mito.
Abraços.

Raquel Siqueira disse...

E mais uma vez volto ao blog. Acabei de ler o livro, literalmente, faz menos de duas horas. Estava tão acostumada com a história do filme que acabei sentindo uma pontinha de decepção. As diferenças são absurdas e para ser sincera não acho a retórica da Alice Hoffman das mais empolgantes. Quando se trata de magia, jogos de sedução/poder e histórias contadas a partir da visão feminina não há ninguém que se compare à Marion Zimmer Bradley, conhecida pelas Brumas de Avalon e pelo Ciclo Darkover. Voltando a Alice, a história não é ruim mas parece que fala algo talvez um pouco mais de magia.

sidnei luis fermino disse...

Oi adorei...muito obrigado, me fez se
interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reversoescrito pelo autor Darlei... se trata de um livro
arrebatador...ele coloca em

cheque
os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de

forma
brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar

verdades
sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da

livraria
cultura e digite reverso...a capa do livro é linda

www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

Alice disse...

Amei o blog!! E estou louca pra ler o livro também! bjs

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela