"A última carta de amor" de Jojo Moyes

segunda-feira, 18 de junho de 2012


"Quando você me olhava com aqueles seus olhos ilimitados, deliquescentes, eu me perguntava o que você podia ver em mim. Agora sei que isso é uma visão tola do amor. Você e eu não podíamos deixar de nos amar, assim como a Terra não pode parar de girar em torno do Sol."
(p.128)

Antes de iniciar esta resenha, tenho que confessar algo muito importante: sou uma romântica incurável. E, definitivamente, Jojo Moyes me comoveu ao me apresentar uma história de amor tão bela.

"Nunca vou deixar de amar você. Nunca amei ninguém antes
e nunca haverá ninguém depois de você."
(p.175)

Em "A última carta de amor" (Editora Intrínseca, 384 páginas), somos apresentados a duas histórias paralelas que ao fim irão se entrelaçar.

Em 2003, conhecemos Ellie Haworth, uma jornalista que recebe ordens de sua editora para uma tarefa nada agradável. Como a sede do jornal Nation está sendo transferida para outro local e com esta mudança, diversas matérias antigas tem sido desenterradas, Ellie ficou responsável por procurar nos arquivos, páginas femininas de 40 ou 50 anos atrás para fazer uma matéria demonstrando o contraste do comportamento feminino daquela época para os dias atuais. Em meio a estes arquivos antigos, Ellie encontra uma carta de amor datada de 1960 de um homem apaixonado que assina como B. para uma mulher casada.  Como Ellie se relaciona com um homem casado há quase um ano - enfrentando críticas de seus amigos e problemas neste relacionamento que parece tão superficial quando ela deseja por algo mais intenso -, aquela carta encontrada desperta o interesse da jornalista que decide se aprofundar naquela história e descobrir quem eram aqueles amantes e como a história deles termina.

Na década de 60, Jennifer Stirling acorda em um hospital após um acidente de carro com amnésia. Ela não se lembra de que é casada com Laurence Stirling - um empresário riquíssimo e influente, mas também muito frio e distante, e sempre muito ocupado com seu trabalho. E, desde que retornou para casa, Jenny tem se esforçado muito para se adequar a rotina, ser uma boa esposa e voltar a ser a "Jenny de sempre" para o marido e amigos, quando, na verdade, ela nem se recorda quem fora esta Jenny. E, mesmo se esforçando tanto, ela não consegue se livrar da sensação de que algo importante está faltando em sua vida; algo que não consegue se lembrar. E não há ninguém com quem possa conversar sobre isto. Ela e Larry quase não se falam, e sua mãe se recusa a lhe contar detalhes do acidente.

Um dia, Jennifer encontra, dentro de um livro que estava guardado em seu guarda-roupas, uma carta. Uma carta de amor endereçada a ela e assinada por um misterioso B. Ela não se lembra, mas pode sentir através daquelas cartas apaixonadas e pelos sentimentos que elas despertam nela que era este o vazio que vinha sentindo. Ela estava apaixonada por outro homem antes do acidente, e agora ela precisa descobrir quem ele é e onde ele está.

"Peço-lhe que não me julgue pela minha fraqueza. A única forma de eu poder suportar isso é estar em um lugar que não a veja nunca, em que eu não seja assombrado pela possiblidade de vê-la com ele. Preciso estar em um lugar onde a pura necessidade impeça que você ocupe cada minuto,
cada hora dos meus pensamentos. Aqui isso é impossível."
(p. 172)

Este é o primeiro romance que tenho o prazer de ler da autora inglesa, Jojo Moyes. Fiquei surpreendida com a qualidade narração, o cuidado da autora em alternar passado e presente na história de forma que me prendeu à trama e me surpreendeu diversas vezes com rumo dos acontecimentos. A autora não só narra de forma bela, mas também estrutura muito bem o enredo, e torna seus personagens tão reais. O tema que Moyes escolheu tende a ser um tanto polêmico. Muitas pessoas são inflexíveis quando o assunto é traição. Mas adentrando na intimidade dos personagens, se não aceitamos totalmente, pelo menos, compreendemos os motivos que os levam à infidelidade.

Jennifer, que parece ter pouca ou nenhuma opção devido a época em que vive, é corajosa o suficiente para tomar decisões que poucas mulheres de seu tempo tomariam, mas os empecilhos são maiores contra os que ela é capaz de lutar. Já Ellie, por mais que não admita, está em um relacionamento complicado e não tem coragem de mudar; ela realmente acredita que por estar apaixonada não tem outra opção além de se submeter a situação que seu relacionamento se encontra. Ela demora a compreender que não é vítima circunstância e, sim, da escolha que fez.

De fato, esta é uma história de amor tão cheia de desencontros que não pude me livrar da agonia que senti pelo destino de cada personagem. Poderia o destino ser tão cruel com pessoas que se amavam tanto? Temos tão pouco controle sobre nossas vidas quando não só as nossas próprias decisões, mas também as de outras pessoas nos afetam? Existiria o tempo certo para a coisa certa acontecer?

Fiquei emocionada, com o coração apertado, apreensiva, me irritei com as conspirações do destino, chorei e alguns momentos até me diverti com alguns diálogos engraçados. Enfim, foram páginas que despertaram uma montanha-russa de emoções. Desfrutei cada sentimento dos personagens, vicariamente*.

E, para os românticos incorrigíveis como eu, recomendo a leitura deste livro. Pois é uma daquelas histórias de amor inesquecíveis. Daquele tipo de amor que o tempo não modifica, não abranda ou extingue. Daquele tipo de amor que muitos desejam viver.

"E, se sentir que foi a decisão acertada, saiba ao menos isso: em algum lugar deste mundo há um homem que a ama, que entende quão preciosa e inteligente e boa você é. Um homem que sempre a amou e que, por mais que tente evitar, desconfia que sempre a amará."
(p. 262)


Minha classificação para esse livro é de  6/7- "Excelente".

Veja a cotação do livro no  SKOOB  e a opinião de outros leitores.

Por Daniela Tiemi


 
*Vicariamente, segundo B., significa um prazer obtido através do prazer de outra pessoa - ou, neste caso, personagem. rs.

33 comentários:

marinna bastos disse...

Também sofro do mesmo "mal", sou uma romântica incorrigível! Daquelas que lê livro de banca porque sabe que terá um final feliz ^^
Esse livro pode ter um tema polêmico, traição, porém pela sua resenha ao meu ver acho que vou amar e chorar litros!!

Amei a resenha!

bjs

Cristiane dornelas disse...

Ai eu quero muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito ler esse livro! Amei ele assim que vi o lançamento, mas até hoje não comprei o meu ¬¬ e também tenho uma duzia pra ler e pouco tempo, então já viu né. Ah, mas eu quero ler esse!!! Louca nesse livro!

Andressa disse...

Olá!
Poxa, a sua resenha foi muito favorável ao livro, me deixou curiosa! Confesso que a capa não me chama nem um pouco a atenção, e o título soou pra mim meio clichê, mas a história então está de parabéns pelo visto. No começo da sua resenha pensei "ué, ela está falando de Lembra de Mim?" heheh depois percebi que é bem mais profundo que o livro da Sophia Kinsella. Gosto muito da literatura britânica, os meus romances preferidos vem de lá e geralmente são muito bem escritos mesmo.
Parabéns pela resenha, está ótima
beijos!

Maianerossi disse...

Como a colega abaixo disse, a capa não chama mesmo muita atenção. Mas eu amei a resenha. Também sou uma romântica incurável, ou pelo menos, eu acho que sou. E histórias de romance com alguém que perde a memória é perfeito pra mim. Sou apaixonada por histórias assim desde que assisti "Como se fosse a primeira vez". Parabéns pela resenha!

Karolyne Kazakeviche disse...

que livro mais fofo e meigo, parece ser tão lindo! quero muito ler.
Capa linda...

Vanilda Procopio disse...

Pelo jeito você gostou mesmo do livro! Eu, ao contrário, não sou tão romântica assim e às vezes até fujo das histórias cheias de desencontros, mas sua resenha foi tão apaixonada que me deu vontade de conhecer essa história. Vamos ver se mais para frente eu me jogo nessa carta de amor.

Cláudia Charão disse...

Oi Daniela!

Maravilhosa a sua resenha :) ouvi falar bem do livro, mas não sabia que era tudo isso, acho que iria gostar - apesar da aflição é bom acompanhar os desencontros, o lance das duas épocas também é bem promissor.

Bjus

Daniela Tiemi disse...

Cláudia, achei o livro lindo! E o final não é nada clichê, sabe?! Acho q vc iria gostar. Bjo.

Daniela Tiemi disse...

Oi, Andressa! Poxa, eu achei lindaaaa esta capa! rs. Agora q vc comentou, realmente a minha sinopse faz lembrar do livro "Lembra de mim?" de Sophie Kinsella - eu ajh li e adorei! rs -, mas as histórias são bem diferentes. Este livro tá bem mais para um drama q comédia como o de Kinsella. rsrs.

Bjo.

Andressa disse...

A sim, o Lembra de Mim é uma comédia né.. amei aquele livro! Que pena que é mais pro drama :/ ou não né, às vezes pode se tornar um bom livro justamente por isso... Obrigada pela resposta, beijos!

Luciara disse...

oi Dani,

que resenha linda, adoreiiiii demais, senti grande emoção.
Não li esse livro e nem pretendia, mas você me deixou curiosa, pois amo um bom romance e esse parece ser lindo.
beijos.

Ana disse...

Oi !! Estava navegando na net e achei seu blog! M A R A V I L H O S O!! Parabéns! Queria convidar todos para visitar uma página muito interessante também: www.internetdinheiro.com.br/70832 Vcs vão se surpreender! Mais uma vez parabéns! Perfeito!

Carolinices Literárias disse...

Oi Dani!
Tô querendo muito esse livro!
Curiosa para saber tudo dessa história! =)

Sabrina Mazzoni disse...

Também sou amante de romances, e esse em especial mexeu comigo. Jojo também me comoveu.

Nattacha disse...

Aiii fiquei toda derretida com o ultimo paragrafo, sou uma romantica incorrigível, e fiquei impressionada com o seu texto, passou tanto sentimento! Fiquei morrendo de vontade de ler o livro, já tinha visto comentatios sobre o livro, mas nada não tocante assim! E esse jogo entre passado e presente que a autora fez, deve ter ficado muito bom mesmo! Agora desejo muiito fazer a leitura desse livro! Lindo, lindo, lindo!
Beijos :*

Izabelle Christine disse...

Adorei! Quero muito ler esse livro! XD

Suzy ♥ disse...

Gostei da capa, achei bem elaborada!

Bruna Oliveira disse...

Adorei os trechos do livro!

Nathália Gomes disse...

Nossa, depois de ler essa resenha me apaixonei de vez... Eu já sou uma românica assumida e daquelas que se derrte msm com filmes e livros dessa tmáica rs To muito curiosa pra ler esse livro e sei que trará bons ensinamentos. Parabéns pela resenha, aguçou ainda mais meu desejo de ler!

Natália Rivero disse...

Detesto livros com o tema traição...Todavia acredito que esse livro será diferente,talvez pelo fato da autora narrar em duas épocas diferentes.
Mas só pela resenha já sinto antipatia pela Ellie,espero que no final ela abra os olhos e parta para outra.

bjs Nati

Daniele Henrique disse...

Oii,
Quero muito ler esse livro, inclusive estou participando da promoção.
O título me chamou bastante atenção e sua resenha bem desenvolvida só fez com que eu aumentasse minhas expectativas para ler o livro.
Parabéns pelo blog, amei o Design bem inovador, nuca vi algo parecido...
Só fiquei curiosa pra saber de que filme é a foto do seu banner.

Tay disse...

Adorei a resenha, faz tempo que esse livro vem me chamando atenção principalmente por estar relacionando a cartas e eu simplesmente AMOOOO cartas *-*
bjus ;*

Eduardoalvesp disse...

Eu adorei, doido pra ler o livro!

Elení Ribeiro Leite disse...

Oi Parabéns pela resenha! Fiquei interssada em ler o livro!

Andréia disse...

Li a resenha e amei. Que livro lindo.Meu Deus! Eu quero esse livro.

Leoisa disse...

Já estava querendo o livro , agora depois desta resenha, estou loucaporele..

Cristiane de Oliveira disse...

Amei a resenha quero muito ler essa linda história, sou da época das cartas de amor e hoje mesmo estava falando sobre isso com meu marido que me enviava muitas.
Gosto muito dessa mistura de presente e passado.
A capa está tão linda.
Já li outro livro lançado aqui da Jojo chamado "Em busca de Abrigo" e gostei da escrita dela espero gostar desse também.

Márcia Sonoita disse...

Bons tempos estes heim, de cartas , de espera sem imediatismo, não sou fã de romances , mas este faço questão de ler, quero sentir toda a boa vibração que a resenha me deu !

Thaís Albuquerque disse...

Que lindo, amo cartas! Muito mesmo! :) Quero muito ler este livro!

Andressa Nunes disse...

Adorei, o livro deve ser lindo, vou ler com certeza

Lais disse...

Parabéns pela resenha
Quero muito o livro
;)
Beijo

Fernanda Claret disse...

Nossa, pelo visto esse livro balança mesmo o leitor... Tenho lido só resenhas positivas. Adoro quando os livros nos emocionam. Quero muito ler logo esse =)

Leninha disse...

Acho que agora já estou pronta para ler esse livro!
Depois da decepção que foi @mor, que basicamente era escrito em forma de e-mails, demorei a querer ler esse, já que tem cartas envolvidas.

Acredito que já superei, kkk

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela