"Caminhos de Sangue" de Moira Young

segunda-feira, 16 de julho de 2012


Eles vão precisar de você, Saba. O Lugh e a Emmi. E vão ter outros também. Muitos outros. Num se entregue ao medo. Seja forte, como eu sei que você é. E nunca desista, entendeu? Nunca. Num importa o que aconteça.
Eu fico olhano pra ele.
Num vou desistir, falo. Num sou de desistir, Pai.
Essa é a minha garota." (p. 29)

No primeiro livro da série "Dustlands" da escritora canadense Moira Young, "Caminhos de Sangue" (Editora Intrínseca, 350 páginas), somos apresentados a um mundo futurístico, sem uma data determinada, em que tudo que conhecemos foi destruído por um porquê que é somente sugerido, mas não totalmente esclarecido, na trama. Quando iniciei a leitura não sabia nada sobre o enredo, o que só me surpreendeu; portanto vou tentar não me estender na sinopse.

Saba e Lugh são irmãos gêmeos. Mas são diferentes. Tanto que ninguém diria que eles têm o mesmo sangue. Ele é loiro, olhos azuis e forte. Ela é morena, olhos castanhos, magrela. Ela nasceu duas horas depois dele e desde sempre foi assim: Lugh na frente e Saba o seguindo para onde quer que fosse, como a sombra seguindo o sol.

A mãe deles faleceu há nove anos ao dar à luz a irmã mais nova, Emmi. Desde então, vivem naquele deserto em meio ao nada além de terra seca - onde o calor é tão intenso que dá pra ouvir a terra rachando -, os três irmãos e o pai. A Lagoa de Prata já quase não existe. Isolados pela imensidão de terra desértica, eles jamais saíram de lá e tudo o que conhecem do mundo são as histórias que o pai conta. Mas eles não sabem até que ponto estas histórias são verdadeiras ou loucuras dele, pois ele parece cada vez mais caduco ao dizer que pode ler o futuro nas estrelas e passar horas do dia em rituais que possam trazer chuva àquela região.

Até que um dia, junto com uma tempestade de areia, chegam quatro cavaleiros em manto negro para raptar Lugh por ter nascido em solstício de inverno. Com o pai assassinato por esses homens misteriosos e seu irmão raptado, Saba decide deixar Emmi em um lugar seguro - sob os cuidados de uma amiga de sua mãe - e resgatar Lugh. Seguindo por um caminho perigoso e desconhecido, Saba se descobrirá uma guerreira determinada e incansável em busca de alcançar seu objetivo. Nem os inimigos poderosos e cruéis a fará desistir. Contudo, em sua jornada também irá se deparar com pessoas que a ajudarão a lutar e a encontrar o caminho até Lugh, como as Gaviãs da Liberdade - ladras de estrada - e Jack. Seu corvo de estimação, o Nero, também é importantíssimo na luta de Saba, além de todo o seu carisma. A irmãzinha, Emmi se mostrará forte e teimosa o bastante para não se permitir ficar para trás e seguir Saba neste caminho marcado por fome e sede, e principalmente por sangue.

"O nome dele é Jack.
Sinto calor queimar dentro de mim. Rastejar pela minha pele. Um fio de suor desce pelo meu peito. Tiro a pedra do coração, que tava guardada em segurança dentro do meu colete. Ela tá morna. Não. Quente.
Isso é estranho. Olho pro céu. O sol tá caíno no oeste. O dia devia tá esfriano. Mas parece meio-dia. Muito quente."
(p. 139)


Personagens carismáticos. Trama interessante. O livro me surpreendeu de diversas formas, a começar desmonstrando logo de cara que não seria uma distopia como as outras na linguagem que a autora decidiu usar. Para realmente dar voz a protagonista que narra esta trama,  demonstrando quanto seu linguajar é rústico e inculto, a autora decidiu utilizar de muitos "tá", "num", "olhano" e tantos outros erros ortográficos e gramaticais. Eu não estava preparada para isto e minha primeira impressão sobre o livro foi de decepção. Eu tinha certeza que não conseguiria ir até o fim em uma leitura assim. Mas, eis minha primeira surpresa: me envolvi tanto na história que pouco me incomodavam estes erros propositais.

A Saba, a protagonista desta história, não é a personagem mais carismática deste livro. Gostei muito da irmãzinha, Emmi. De Jack, e tantos outros; mas a nossa narradora, apesar de não ser odiável, também não é lá muito simpática. Ela é cabeça-dura, e não sabe lidar com as pessoas, deixá-las se aproximar; o que é até compreensível quando pensamos que viveu isolada do mundo por toda sua vida e sempre possuiu esta personalidade mais difícil. Apesar de seu relacionamento complicado com a irmã - por sempre culpá-la pela morte da mãe - a cada situação difícil que as duas enfrentam juntas, percebemos que Saba, com o tempo, passa a se importa tanto com Emmi quanto por Lugh, mas apenas demora para demonstrar e admitir. Assim como aprende a deixar as pessoas ajudá-la e permitir que se importem com ela o suficiente para arriscar a própria vida. Contudo, mesmo sendo assim tão cabeça-dura, seria impossível resistir aos charmes do corajoso, arrogante e espirituoso Jack. Ele á apaixonante! E as provocações trocadas entre os dois causam boas faíscas e risadas.

Neste livro cheio de ação, é impossível durante alguns trechos, não lembrar do filme "Gladiador": quando Saba é feita prisioneira da Jaula, onde é obrigada a lutar com suas oponentes e vencer para não morrer. Assim, a garota logo se torna o "Anjo da morte".

A leitura me agradou bastante, e eu estou ansiosa para a continuação desta série. Com certeza, quero descobrir o que aguarda para Saba, Lugh, Emmi e Jack nesta terra assolada e sem lei em que vivem.


Minha classificação para esse livro é de ♥ 4/6- "Muito bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.



21 comentários:

andressah juh disse...

Oii
Meu Deus apareci, quanto tempo!! hehehe
Então, no começo esse livro não havia me chamado muito a atenção pela capa, mas quando li a sinopse percebi que seria uma distopia incrível! E agora estou ansiosa pra lê-la, mas lançamento é complicado né... e a minha fila já tá tão grande...
Mas com certeza se a oportunidade surgir, depois dessa resenha, eu não vou pensar duas vezes!!
Beijos

Tyele disse...

Aii pelos quotes que você colocou ai e pela sua resenha.. estou meio apreensiva, não sei se conseguirei ler um livro com erros ortográficos propositais....
Mas estava tão ansiosa para lê-lo que acho que darei uma chance mesmo assim!
Beijinhos

http://tyelehopes.blogspot.com.br/

Nattacha disse...

Nossa não ocnhecia essa livro e agora ele está por todo lugar, não que eu esteja reclamando pois o livro parece ser realmente bom. O cenário que a autora criou é bem diferente do que estamos acostumados a ver, e apesar de ser uma distopia, acho que essa esta longe de ser qualquer distopia, pois pelo que parece não é apresentado ao leitor logo de cara como está essa sociedade atual em que os personagens vivem, pois eles vivem em um lugar praticamente deserto, e bem para sabermos como vai terminar essa busca acho que só lendo mesmo!
Achei um amor o Jack, acho bacana quando a essa relação nos livros, nos faz dar boas risadas \o/
Adoorei a resenha. Beijos :*

maiane rossi disse...

A história parece interessante. Mas, como a Tyele disse, não sei se eu gostaria muito de ler um livro assim como erros ortográficos propositais. Acho uma escrita forçada demais.

Natália Rivero disse...

Dani
Ótima resenha,msm!
Eu já tinha lido muitos blogueiros falarem bem desse livro,por isso cada vez que eu leio uma resenha desse livro fico mais ansiosa.
Achei interessante vc citar a Emmi como personagem preferida,eu ainda não li o livro,mas já simpatizei com ela,principalmente por deixarem ela um pouco de lado e verem ela como a causa da morte da mãe da Saba.
Pelo visto todo o mundo rústico e simples da Saba está prestes a desmoronar.
E o Jack?
Quero mto "conhecê-lo".

Só preciso me acostumar com "caino", "esfriano","num sou de...","num vou"
rsrsrs
bjs Nati

Daniela Tiemi disse...

Sim, dê uma chance! A história é bem bacana. Também achei que não conseguiria ler um livro com estes erros propositais, mas aos poucos fui me acostumando. Por mais que estivesse escrito "olhano", por exemplo, meu cérebro lia "olhando", e assim fui levando a leitura, praticamente ignorando alguns erros. O que mais me incomodou foi a falta de travessão ou aspas entre os diálogos, oq me deixava perdida de vez em qdo. Fora isto, a leitura é mto boa. Vale a pena.

Daniela Tiemi disse...

Nattacha, o Jack é mtooo amor! *_* É uma dispotia bem legal. Quero ler a continuação!
=0)

Daniela Tiemi disse...

Eu achei desnecessário esses erros da autora que a autora escolheu. Mas me acostumei a leitura, e no fim, valeu a pena. rs. Bjo.

Cláudia Charão disse...

Oi Daniela

Eu também não gosto quando fazem o personagem falando errado, ainda mais aqui que em cada lugar falam errado de uma maneira diferente rss

Esse eu estou na dúvida, só por que acabo cansando quando leio muitos na mesma linha. Bom saber que é bem diferente das outras distopias.

:)

cristiane dornelas disse...

Amei esse livro e quero demais ler ele! Muito mas muito desejado mesmo!

Cristiane de Oliveira disse...

O livro já me chamou a atenção pela capa, que é linda e como estão dizendo que é melhor que Jogos Vorazes quero ler pra ontem.
Quando vi essa capa nas redes pensei que era uma outra história e nem liguei, muito depois de ler sinopse fiquei interessada e agora que li sua resenha preciso desse livro para amanhã, quero saber tudo o que vai acontecer com a Saba e sua jornada para encontrar o irmão.
Gosto de ler as series quando estão todas lançadas mas acho que não vou esperar por essa.

Vanessa Moraes disse...

Apesar dos erros gramaticais que muitos estão criticando eu ainda sinto uma vontade louca de ler esse livro! Eu espero que não termine como a trilogia de Jogos Vorazes, ainda estou traumatizada, não por ser ruim, os livros são fantásticos! Mas foi muito sofrimento e nenhuma recompensa para os personagens, fora muitas mortes desnecessárias na minha opinião. Enfim, apesar de não ser uma série terminada - Dustlands - acho que não vou conseguir esperar!

Genilda Silva disse...

A trama parece cheia de mistérios. Vou ler, apesar de não gostar de ver o portugues escrito errado justamente num livro!!!

Suzy ♥ disse...

GOstei da resenha desse volume 1, mal espero pela próxima resenha.

Thaís Vianna disse...

Bom... A capa é linda. A história parece ser fantástica. A linguagem está me apavorando um pouco pra ler.
Mas estou doida para conhecer a Saba...rsrs
Eu me identifico com ela só pela personalidade e sinto que vou amar o livro por causa disso.
Eu quero ele...
*-*

Willian Peixoto disse...

Muito boa a resenha, esse tema me atrai bastante, vale a pena conferir.

Letícia disse...

Tava procurando um livro assim pra ler!!!Quero muito le-lo.

Andréia disse...

Lia resenha e achei a estória bastante interessante.

Jessica Lisboa disse...

Gostei da capa, tinha olhado em resenhas outros blog's mas não me atriu muito o modo em que eles disseram sobre o livro, tinha ate dessistido de querer ler o livro. Mas sua resenha me mostrou outra coisa,concerteza vou ler esse livro

Viviane Lucena disse...

Aparenta ser um ótimo livro, quero ler!

Bruna Possamai disse...

li toda a resenha , que livro empolgante , pretendo ler, vamos tentar a sorte no sorteio

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela