"A culpa é das estrelas" de John Green

segunda-feira, 6 de agosto de 2012


"Continuei olhando para o balanço, pensando que eu abriria mão de todos os dias doentes que me restavam em troca de uns poucos saudáveis. Tentei me convencer de que poderia ser pior, que o mundo não era um fábrica de realização de desejos, que eu estava vivendo com câncer e não morrendo por causa dele, que não deveria deixar que ele me matasse antes da hora, e aí comecei a murmurar idiota idiota idiota idiota idiota sem parar até que o som da palavra se desassociou do seu significado."
(p. 114)

Aos treze anos, Hazel Grace é diagnosticada com câncer terminal, a princípio um tumor na tireoide, mas com mestástase pulmonar. Por um milagre - com o uso de uma droga experimental chamada Falanxifor que não funcionava em 70% dos medicados, mas funcionou em Hazel - o tumor diminuiu e tem sido mantido sob controle por três anos. Contudo, a vida da garota não tem sido fácil, ela teve que largar o colégio por conta da doença, e não consegue respirar sem ajuda de aparelhos, além de sentir dores constantes.

A preocupação da mãe de Hazel vai além da doença; ela se preocupa também com a possibilidade da garota estar um tanto solitária e deprimida já que ela raramente quer sair de casa, lê várias vezes o mesmo livro - uma obra chamada "Uma aflição imperial" em que conta uma história de uma menina com câncer -, come pouco e passa boa parte de seu tempo pensando na morte. Hazel foi, então, obrigada a participar de um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer.

O Grupo de Apoio parece ainda mais deprimente para Hazel que faz o esforço de participar para agradar a mãe. E, um dia, um garoto novo surge no grupo e mudará a vida isolada e triste de Hazel. Augustus - ou Gus - é grande amigo de um dos frequentadores do Grupo, Isaac, e foi a pedido dele que resolveu ir. Isaac tem um tumor no globo ocular e está prestes a ficar cego, e Gus teve osteossarcoma (câncer nos ossos) há um ano e meio e por isso teve que amputar uma das pernas e agora utiliza uma prótese.

Hazel repara que Gus não para de encará-la. E, o interesse mútuo é iminente. Gus é um rapaz muito bonito, e Hazel uma garota bem inteligente, mas ela tenta resistir a deixá-lo se aproximar demais; a deixar que isto se torne algo além de uma boa amizade apesar de ele não tentar esconder seu interesse por ela e ela estar cada vez mais envolvida. É inevitável que o relacionamente entre eles não surja.

"Eu gostava do Augustus Waters. Gostava muito mesmo dele. Gostava de como a história dele terminava falando de outra pessoa. Gostava da voz dele. Gostava do fato de ele ter feito lances livres carregados de existencialismo. Gostava de ele ser o professor titular no Departamento de Sorrisos Ligeiramentes Tortos com duas cátedras no Departamento da Voz Que Me Deixa à Flor da Pele."
(p. 35)

Hazel tem medo. Ela sabe que sua morte afetará as pessoas a sua volta, e que é apenas uma questão de tempo para que isto aconteça. Assim ela se diz ser uma granada: quando explodir quer o menos possível de feridos. Por isso tenta se isolar o mundo, para ela já basta a dor que sabe que causará em seus pais. Entretanto, Gus vai surgir em sua vida para mostrar que vale a pena amar mesmo que as consequencias possam ser dolorosas.

Doloroso. Para mim, esta é a palavra que melhor descreve "A culpa é das estrelas" (Editora Intrínseca, 286 páginas) pois trata-se de um livro que traz mais que uma história linda e emocionante, mas também sensível e, claro, dolorosa. E, vai muito além de uma trama clichê sobre um amor juvenil cujo câncer ameaça separar. Esta é uma história sobre se viver com uma doença terminal e sobre uma menina que tem que aprender a lidar com a morte. Todos sabemos que morremos algum dia, mas ignoramos completamente este fato em nosso dia a dia; porém Hazel vive com a ideia da morte pairando sobre si constantemente.

Este é o segundo livro que li de John Green, e assim como "Quem é você, Alasca?", "A culpa é das estrelas" também entrou para minha lista de favoritos. Green tem um jeito peculiar, totalmente próprio, de escrever histórias que nos faz refletir sobre a vida e a morte. Escreve histórias juvenis inteligentes e marcantes, com diálogos que alternam entre divertidos e filosóficos. Eu me apaixonei por cada personagem. E o autor me fez ir além do simples compadecer por cada um deles, para realmente viver suas dores entre as linhas deste romance. Acredito que mesmo os possuem um coração mais duro, irão se emocionar. Vale a pena!


Minha classificação para esse livro é de  6/7- "Excelente".
Veja a cotação do livro no  SKOOB  e a opinião de outros leitores.



Por Daniela Tiemi

23 comentários:

Leninha disse...

Esse é o tipo de livro que deve machucar, eu adoro dramas que me façam chorar, e esse livro já me foi indicado por várias pessoas.
Estou doida para ler!
Sua resenha foi muito bem escrita Nique, com certeza muita gente irá querer ler o livro depois de lê-la, parabéns!
Beijinhos!

Khrys Anjos disse...

Sua resenha foi muito bem escrita. Meus parabéns.
Gosto de leituras que fazem o leitor parar para pensar sobre a vida e as decisões que está tomando e esse é exatamente assim. Nos faz refletir. Estou muito interessada em ler e chorar com ele já que pelos elogios que já li sobre o livro todos falam que é para preparar o lenço. O meu está sempre a mão.



Um leve bater de asas para todos!!!

Mey disse...

Pensa num livro que é tudo de bom: historia, capa, titulo. Fica até dificil de comentar. Estou com uma expectativa muito grande, que não costumo ter, normalmente fico com um pé atras com livros muito comentados, mas esse...impossivel não desejar urgentementes. Bjksss

Dominique disse...

Ai, cacete, ela morre. Tenho certeza! Rs!
Mas lerei o livro, assim que vi seus comentários no skoob, vi que precisava comprar esse livro. =D
Ótima resenha!

Bjs!

Andreia Rainha disse...

O quanto eu estou encantada por esse livro mesmo sem tê-lo lido ainda não está no gibi.

Maianerossi disse...

Ouvi ótimos comentários sobre esse livro. Tem um filme que conta uma história parecida, o nome em inglês é "Restless" e em português é "Inquietos", se não estou enganada (já fica a dica pra uma futura resenha sobre o filme). É sobre uma menina com câncer e que também se apaixona por um rapaz. Vale a pena assistir.

Agora fiquei com mais vontade ainda de ler o livr *-*

Folhas de Sonhos disse...

Olá! Nossa, não sabia que era do mesmo autor de "Quem é você, Alasca?". O livro parece bonito, sua resenha ficou muito boa. Abraços!

Cristiane Silva disse...

Esse livro é muito bom. Aprovação geral pelo que estou vendo e só coisas boas dele. Apesar de eu ter pavor desse tema com a letra c, eu quero demais ler.

Cláudia Charão disse...

Oi Daniela

Ah esse deve ser desses que quebra as pernas e é maravilhoso, a sua resenha passou bastante emoção, não vejo a hora de ler.

Bjus

Marília Maciel disse...

Adorei a resenha e não vejo a hora de ler "A culpa é das estrelas". Não conheço ainda o estilo do autor, pois não tive a oportunidade de ler "Quem é você, Alasca?", mas já deu pra perceber que ele gosta de ir fundo nos sentimentos, com histórias que fazem refletir. Todas as resenhas que tenho visto foram muito positivas até agora, e tenho certeza que não vou me decepcionar ao ler!

Angela Gabriel disse...

Esse com certeza, tem sido meu livro mais desejado. E a cada nova resenha que leio dele, quem fica com dor, sou eu.rs
Não conheço o trabalho do autor, mas tenho lido inumeras coisas sobre a carreira dele ou de como esse livro foi construido.
Puxa, baseado numa história real..
Adorei a resenha e quero sentir dor também ao ler ele. As vezes, ou melhor, muitas vezes, precisamos nos chocar com algo doloroso para que reconheçamos que nossos problemas não são tão grandes assim.
Parabens pela resenha.
Beijos

Gladys Sena disse...

Esse já está na lista pra leitura ainda deste ano, rsrs.
Vai passar na frente de vários, rsrs.
A cada resenha que leio me interesso mais.

Bjoo.

Nome de seguidora: Gladys Freitas.

Elis Elger disse...

Esse é um livro, o qual você tem que querer muito ler, pois trata de um tema diferente do que temos por ai. Mas que você pode se entregar a cada página. Sua resenha ficou bem escrita e quero ler.

Luciane Eleoteria disse...

Sempre é difícil ler um livro que fala de morte, quero muito saber como John Green descreveu este processo na vida de Hazel. Sempre leio quotes maravilhosos sobre o livro e adorei este da pagina 114.

Nattacha disse...

Gente eu li esse livro, ele é lindo *-* pois retrata uma vida tão cruel, adolescentes com cancer, que sabem que não tem muiito tempo, mas ainda assim tentam se auto conhecer e manter uma vida normal, sempre com humor (mesmo que as vezes um poucon negro). Fiquei muito admirada também com os pais tanto da Hazel quando do Gus eles são tão fortes que penso que se fosse uma situação de vida real, não seria qualquer um que faria o que eles fazem, ou vai ver são assim por querer sempre o melhor para seus filhos e decidiram viver cada dia como se fosse o ultimo, pois para eles infelizmente pode ser!
Além do relacionamento entre a Hazel e o Gus né..... são uma graça um com outro com momentos lindos, e dialogos bem poéticos! Realmente um livro lindo e emocionante de se ler!
Beijos, adorei sua resenha, descreveu muiiito bem todo o livro!
:*

JessicaLisboa disse...

Já ouvi falar muito do John Green, mas nada relacionado a algum livro que ele tinha feito. Confesso que quando vi a capa de A culpa é das estrelas, pensei que era mais um livro infantil, nem cheguei a ler a sinopse. Mas dai começaram a falar deste livro nas redes sociais e nos blog literarios. O livro apresenta uma historia de superação incrivel a personagem parece que ja se conformou que tem a doença, e sabe que um dia ira falecer. Bem ainda nao li o livro mas ele me parece ser muito emocionante,esse é o tipo de livro que faz voce repensar o que voce esta fazendo da sua vida. O autor realmente me parece saber prender o leitor na leitura e fazer com que ele sinta as mesmas emoçoes dos personagens, isso é uma coisa que eu amo em autores literarios.alem do fato dos personagens terem personalidades foretes. Não vejo a hora de poder ler esse livro e saber realmente o que voces estão falando.
Ps: Otima resenha!

Lory ricardo disse...

Mtº interessante este tema. Atual e de grande sofrimento. Dependendo do poder de veracidade do autor, deve ser a qualidade da obra.

Lívia - Carolinices Literárias disse...

Oi Dani!
Já percebi que vou adorar esse livro... rs Com certeza vai para minha lista de leitura!

Beijo

Taisevinicius disse...

Eu li este livro em dois dias e em dois dias eu ri,amei,chorei,fiquei com raiva e ao mesmo tempo querendo ler mais e mais quando livro acabou a priimeira coisa que eu fiz foi pesquisar para saber sobre ele se teria algum filme ou algo do tipo mais a unica coisa que encontrei foi imagens meramente ilustrativa da henzel e do Gus que se familiarizam com aquilo que eu estava imaginando um amor lindo e perfeito com problemas que temos que enfrentar mesmo não querendo eu li e vou relei-lo mais eu indico a qualquer pessoal

Nanda disse...

li o livro muito massa emocionante alegre irritante mais valeu a pena. Dia 05 de Junho eu e o meu amor Bianca estaremos lá na primeira fila do cinema para assistir a estreia.

Nanda disse...

frase final: eu aceito Augustus eu aceito

Nanda disse...

Tenho todos os livros do Tio Verde kkkk ou John Green todos são ótimos os que gosto mais é A culpa é das estrelas e Quem é você alasca?

Nanda disse...

leia não ira se arrepender

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela