"Conselhos amorosos de Emily Bronte" de Anne Donovan

sexta-feira, 14 de setembro de 2012


Desde pequena, Fiona é apaixonada pela escritora Emily Bronte, autora do livro O Morro dos Ventos Uivantes. Segunda filha de quatro irmãos, proveniente de uma família simples, ela mora na cidade de Glasgow, na Escócia.

Fiona leva uma vida normal como qualquer jovem da sua idade até o dia em que sua mãe falece, deixando-a com as irmãs gêmeas na pré-adolescência e com o pai - incapaz de reagir e inconformado com a morte da esposa, entrega-se a bebida sem importa-se com nada além da sua dor. Patrick, o irmão mais velho, apesar de sempre vir em auxílio a família, tem sua própria vida em Londres. Sua tia Janice ajuda como pode, mas tem também sua própria vida e uma bebê para cuidar. 

Entre a convivência familiar repleta de conflitos e desafios, seus primeiros casos amorosos, a morte da sua mãe, entre outros acontecimentos que poderiam ocorrer com qualquer pessoa, Fiona demonstra uma força avassaladora, mesmo quando parece que vai sucumbir, ela se reergue e renasce inspirada na sua autora preferida e na família Bronte.

~ ~ ♥ ~ ~

Conselhos amorosos de Emily Bronte é um romance maravilhoso sobre os caminhos que nossas escolhas nos levam, sobre relacionamento familiar e também sobre a descoberta do primeiro amor, do sexo, principalmente, sobre amadurecimento de uma jovem que foi obrigada bruscamente a transformar-se rapidamente de menina a mulher.

Verdade. Encarar a verdade.
Eles estavam todos felizes, encarando a verdade. Só que eles não sabiam qual era a verdade. Se eu fosse no embalo, estaria escondendo a verdade pelo resto da minha vida. E se eu trouxesse a verdade à tona? Jas disse que podia perdoar tudo a Amrik. Mas será que podia perdoar a mim? Pág. 323

Apesar do título sugerir um chick lit ou livro de auto-ajuda, o romance criado por Anne Donavan está longe de satisfazer ambos os gêneros, menos ainda para quem espera realmente encontrar uma espécie de manual amoroso à Bronte. A história de Fiona é permeada de tragédias e pequenas conquistas pessoais, permeada com uma atmosfera dramática, ela torna-se mais leve quando surge o romance com Jas, um rapaz lindo, meigo e apaixonado pela moça. Para amantes da Bronte como eu, irá encontrá-la em pequenas passagens citadas por Fiona, porém mais intensamente irá encontrar Emily Bronte na própria Fiona. Sim, para mim, Anne Donavan criou Fiona a semelhança de Emily Bronte do século XXI. 

É nos pequenos detalhes que pegamos semelhanças: segunda filha de vários filhos; o irmão mais velho das Bronte também chamava-se Patrick; a mãe das Bronte faleceu, quando eles ainda eram bem jovens; o pai das Bronte põe fogo nas cortinas da sala, assim como o pai de Fiona; ambas, Fiona e Emily são apaixonadas por poesias, pelas artes, são caladas, extremamente reflexivas; outro detalhe: Emily odiava sair de Hawort e quando se ausentava de sua cidade, ficava extremamente doente, Fiona, por outro lado, não é diferente, não quer cursar a Universidade em outro lugar e odeia ter que sair da cidade de Glasgow. 

"Seja do que for que são feitas as nossas almas, a dele e a minha são iguais". 
(Citação de O Morro dos Ventos Uivantes)

As semelhanças não param e estendem-se também para o caso de amor mais apreciado e querido da literatura - O Morro dos Ventos Uivantes. O amor sombrio de Cathy e Heartcliff - um amor para toda vida e também na morte, assemelha-se a paixão meio doentia e avassaladora que Fiona tem por Amrik, ao mesmo tempo que nutre um amor puro por Jas. Assemelhar-se não significa igual. Os sentimentos e as emoções que emanam de ambos os romances é que são semelhantes e não a história.

Essas semelhanças podem ser fruto de uma mente em busca de resposta para a constante relação de Emily Bronte e Fiona, ou quem sabe, eu esteja certa. Finalmente, posso dizer que ao mesmo tempo que Fiona é uma personagem fascinante, ela é perturbadora, toma decisões erradas a todo momento, mas possui tantos sentimentos profundos e emoções conflitantes, que tornar-se impossível não ser influenciado. A todo momento, eu torci pela sua felicidade e pela felicidade da sua família, tão abalada pela morte prematura de uma mãe e esposa sensacional. É muito bonito ver como depois da "tempestade", as coisas vão tomando forma e lugar na vida dessa família, como cada um encontra um espaço e constrói a sua própria história, sem a presença da genitora. 

Aliás, Anne Donavan constrói sua história trazendo a baila vários temas atuais como: gravidez na adolescência, alcoolismo, depressão pós-parto, família nuclear, homossexualismo, produção independente (lésbicas que buscam parceiros para produzir um filho), entre outros assuntos muito interessantes, abordados de forma sutil, mas aproximando-se o máximo possível da realidade. 

Impossível elogiar mais o romance. Ao mesmo tempo, admito que um leitor menos experiente terá bastante dificuldade em compreender a história e o clima tenso, fazendo-se necessário uma leitura prévia do romance de Emily Bronte e um conhecimento mínimo sobre sua vida. Os amantes das irmãs Brontes, com certeza, se deliciarão com a leitura desse romance inteligente e inspirador. Recomendo!



Minha classificação para esse livro é de  5/7- "Muito Bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB  e a opinião de outros leitores


19 comentários:

Eliane Gomes Fernandes disse...

Adorei sua resenha. Eu tb sou apaixonada pelos livros das irmãs Bronte e decididamente vou colocar este livro na minha lista de desejados. Não conhecia a autora nem este título, mas fiquei encantada com sua resenha!

Beijo

Eliane (Leituras de Eliane)

Cristiane Silva disse...

Adorei o livro só pelo nome dele. Não chama atenção pra quem gosta de Emily Bronte? Demais! Eu adorei e queria ler. Bem legal esse livro =D

Beliminhaversao disse...

Eu li a prova desse livro e gostei bastante, só achei que o nome do livro não tem nada a ver com o que a estória quer passar, a Emily não dá conselhos a Fiona, mas sim, permeia sua vida como uma sombra de forma sutil.

Manu Hitz disse...

Gostei muito da sinopse do livro. Já li Emily Bronte e sempre gostei da historia desse amor.
Realmente o título parece mais uma coletânea amorosa. Mas sua resenha impecável deixa bem claro que se trata da história possível de uma mulher, que descobre sua força quando a única saída é lutar. E ainda tem irmãs menores pra ajudar a criar.
Pode ser a história de qualquer uma de nós.

Maianerossi disse...

Nossa, adorei a história! E eu aqui pensando que o livro era um chik-lit ou algum livro análise da Emily Bronte, nada a ver. Na verdade, o título do livro pode ter sido meio que uma jogada de marketing pra vender mais, já que a família Bronte faz um tremendo sucesso. De qualquer forma, gostei da história!

Gladys Sena disse...

O título realmente não ajuda, rsrs.
Parece muito interessante!
Está na lista.

Bjo.

samyaquino disse...

Olá Dominique!
Tu conseguiste realmente encantar com a tua resenha. Nossa, é impossível não querer pegar o livro neste exato momento e devorá-lo. A história parece ser realmente muito interessante e a forma com que a autora criou a vida da personagem foi muito inteligente. Me encantei com Emily Bronte quando li "O morro dos ventos uivantes" e este livro parece ser adorável, por unir um clássico a um romance atual.
Adicionei-o na minha lista de desejados e espero adquiri-lo logo, pois parece ser muito interessante esta ligação que a autora criou.
Parabéns pela belíssima, encantadora e maravilhosa resenha, Dominique. ;)

Beijos,
Samy.

Adrianatbnu disse...

Vi ele na livraria e fiquei bem tentada, embora confesso que tinha uma ideia bem diferente do livro. Amo o trabalho das irmãs Brönte, na verdade ainda não li o livro de Anne, mas está na lista e sei que é bom, pois assisti a adaptação da BBC.

Dominique disse...

Adaptação de "Conselhos..." ou "O Morro dos Ventos uivantes"? Adoro essas adaptações inglesas.

Bjs!

Adrianatbnu disse...

Não, é que eu falei que gosto das irmãs Brönte, mas só li a Charlotte e a Emily, ainda não li o livro da Anne Brönte, só vi a adaptação do livro dela "A moradora de Wildfell Hall, é uma história bem triste, mas muito bonita. Mas acho que das três a Charlotte é minha preferida amo Jane Eyre!

JessicaLisboa disse...

Gostei da resenha, adoro livros desse genero sempre fico intrigada com a historia. Gostei de saber que que o livro tem semelhança com O Morro dos Ventos Uivantes, concerteza essa historia ja esta na minha lista de desejados.

Dominique disse...

Estou a tempos com Jane Eyre para ler. Minha best friend disse que é esplêndido. Vou tirar um tempo para lê-lo. =D

Dominique disse...

Depois que vc salientou que deve ser uma jogada de marketing, refleti um pouco e cheguei a mesma conclusão. O livro é muito bom mesmo, mas realmente com outra título dificilmente alguém imaginaria seu conteúdo. Mas, de qualquer forma, acredito que o título descaracterizou a história. =S

Bjs!

Dominique disse...

Sim, Manu, é uma história incrível, que poderia acontecer com qualquer uma de nós.
Na verdade, eu acho que já cometi uns erros semelhantes aos da Fiona. #vergonha! Rsrs! Acho que se minha vida fosse um livro e eu uma leitora anônima, iria querer matar aquela personagem tão estúpida, as vezes. Rsrsrs!

Como dizem: a arte se espelha na vida. =D

Dominique disse...

Eliane, leia sim e depois me diga o que achou. Adoro encontrar amigos que leram o mesmo livro que eu, principalmente, os bons, para podermos conversar.

Obrigada pelo comentário!

Maianerossi disse...

Pois é, lendo a resenha pareceu que o título descaracterizou a história mesmo.
Não curto muito esses autores que tentam lucrar a custa de outros. Exemplo disso é o livro "A cabana" que depois de ter feito sucesso veio um outro autor (não lembro quem é) e fez o "De volta à cabana".
Acho que a Anne podia fazer sucesso com o livro não precisando colocar um título desses meio apelativo, mas sabe lá o que passa na cabeça dela, né!? rs.

Dominique disse...

Samy,

Fico contente em saber que minha resenha influenciou você a desejar ler o livro. Realmente, é uma história maravilhosa "Conselhos Amorosos..." e ao mesmo tempo perturbadora, você não imagina quantas burrices, Fiona comete, assim como, os personagens dos clássicos que nos encantam.

Acredito que você irá gostar!

Obrigada pelo comentário!

Dominique disse...

Ei, Maiane,
Fiquei encasquetada com esse título, fui pesquisar o título em inglês e veja: Ser Emily ou Sendo Emily, podendo ainda ser Tornando-se Emily. Fiquei pasma!

Logo, foram os tradutores do Brasil, que atribuiram esse título nada a ver a história de Donovan. Interessante, no mínimo, né?

Achei que o título em inglês tem muito mais significado para a história. =D

Obrigada pela discussão construtiva.

Maianerossi disse...

Caraca, uma diferença bem grande. O título em inglês é bem melhor mesmo. :)

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela