"O Diário da Mariposa" de Rachel Klein

terça-feira, 25 de setembro de 2012



"Tudo o que eu queria era não ser inteligente demais, sensível demais, bonita demais ou nada que fosse demais. Normal. Mas aqui ninguém é normal."

O Diário da Mariposa da autora Rachel Klein, é um mergulho vertiginoso na alma de uma adolescente sensível, inteligente e extremamente perturbadora. 

No colégio Brangwyn, um internato somente para garotas, existe o mais diverso possível de problemas e todas as internas possuem algo para esconder desde problemas familiares ao uso de drogas, a gravidez na adolescência a descoberta da sexualidade. Através das páginas do diário de uma narradora misteriosa, que o leitor poderá conhecer um pouco mais sobre a vida das internas do colégio Brangwyn, desde seus maiores temores até aos seus desejos e segredos. 

A narradora misteriosa ainda nos contará sobre seus conflitos e perdas: o suicídio do pai e suas consequências para a vida da família. Ela precisará saber lidar com seus próprios medos e aprender a resolver seus conflitos, enquanto tenta a se adequar a rotina do colégio interno, onde ao mesmo tempo em que não acontece nada de interessante, surge toda a sorte de acontecimentos inesquecíveis para a vida de qualquer garota.

Entre longas horas dedicadas aos estudos e o confinamento forçado, as garotas desenvolvem amizades intensas, brigas, neuroses e fazem de tudo para fugir da rotina. Em um certo dia, surge uma nova interna misteriosa e sombria que mudará a vida de todas as outras garotas.  O que acontece quando um elemento sombrio entra sorrateiramente em suas vidas? Afinal, quem é Ernessa Bloch?

  ¸. • * '¨`* •. ¸. • * '¨`* •.

Rachel Klein é uma autora fantástica, extremamente inteligente, capaz de criar um emaranhado de mistérios e um suspense enorme existentes somente na mente de sua narradora misteriosa e nas páginas de seu diário. Uma vez que você começa a ler O Diário da Mariposa, não consegue mais largar.

"Ele estava tão infeliz que não conseguia sentir nada. Ele odiava a vida. E não conseguia se lembrar de como era o amor. Era tudo a mesma coisa para ele." (Pág. 122)

Poucos livros conseguem perturbar-me a ponto de eu concluir a leitura com o sentimento de ter perdido algo ou pior ainda, perguntando-me: afinal, quem é Ernessa? Apenas uma garota misteriosa ou realmente uma vampira? A narradora misteriosa não é confiável, logo na primeira página temos o conhecimento de que ela precisou ser internada em um hospital psiquiátrico, então, será toda a tensão entorno de Ernessa, uma obra de sua mente doente, fragilizada pela perda do pai ou realmente existe algo sombrio na nova interna?

São essas perguntas e outras discussões que podem classificar facilmente esse livro como uma leitura papo cabeça. As internas por não terem como extravasar suas energias devido ao confinamento, leem os mais diversos autores desde os indicados pelos professores até os escolhidos por elas próprias. Questões sobre o significado e o valor da vida são as discussões preferidas entre elas, que ainda fazem um paralelo entre as obras de autores muito famosos no campo da psicologia: Proust e Nietzsche. Mas também existe as internas que gostam de livros água com açúcar e escrevem poesias melosas, dramáticas. [Super me identifiquei, pois quando era adolescente escrevia muitas poesias melosas]

"As garotas querem dor e angústia, mesmo vindo de um homem. Havia muito disso nos poemas delas. Descendo em espiral para os poços escuros do desespero, sendo sugada para baixo, sufocando. Todas são incompreendidas e choramingam por um garoto tonto ou alguma dor imaginária. Viver é um grande clichê. Até mesmo o desejo pela morte vira uma grande obviedade nos poemas delas." (Pág. 209)

O que mais me impressionou, no entanto, foi a escrita da autora. A forma como Rachel Klein conduz a narrativa é impressionante, a trama evolui aos poucos, bastante devagar até chegar ao ápice. No decorrer da leitura, temos a oportunidade de conhecer cada uma das internas e suas histórias, ao mesmo tempo em que montamos o quebra-cabeça que é a vida da narradora, seu passado e seu presente se confundem a ponto dela não saber identificar-se. A narradora é intensa, todos os seus sentimentos são a flor da pele, ela fica obcecada pela melhor amiga a quem acredita piamente que precisa defendê-la de Ernessa.

"Ela se insinuou para dentro do meu diário do mesmo jeito que se insinuou para dentro da vida de Lucy. Não consigo parar. Não é algo sobre ela. É sobre a escola, minhas amigas, meus professores e meus livros." (Pág. 105)

Acredito que amantes de suspenses e jogos psicológicos irão apreciar muito a leitura e não conseguirão largá-lo até chegar a última página. Mesmo tendo finalizado a leitura, eu não conseguia desligar-me do clima tenso e dos mistérios, admito que reli o último capítulo duas vezes para ver se havia entendido, finalmente, fiquei com a seguinte pergunta na cabeça: quem é Ernessa? O que é Ernessa? Recomendo!



Minha classificação para esse livro é de  5/7- "Muito Bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB  e a opinião de outros leitores




7 comentários:

Manu Hitz disse...

Dominique, que resenha gostosa de ler! Vc conseguiu criar o clima de suspense ideal pra me matar de curiosidades sobre o livro. Quem é Ernessa? Tb quero saber.

Gladys Sena disse...

Nossa bem instigante!

Gosto de suspenses, mas não sei se leria esse livro...

Bjo.

Cristiane Silva disse...

Legal esse livro. Eu não conhecia e até que gostei, parece ser bom. Queria ler também!

LaSorciere disse...

Oi querida!
Eu li e achei o livro arrastado até a metade. Depois até melhora, mas não chegou a me convencer.
Bjks

Maianerossi disse...

Gosto desses livros em forma de diário desde que li "O diário de Anne Frank'' e ''O diário secreto de Laura Palmer". Não sei se entendi direito, mas a autora do diário não tem nome mesmo? E porque Mariposa? Será que tem continuação? Interessante isso tudo...

JessicaLisboa disse...

Gostei da resenha, gosto desses livros que me deixa muito curiosa que não vejo a hora de poder chegar na ultima pagina pra saber o que acontece. Gostei bastante da personagem principal ela é bem intrigante. Curiosa para ler esse livro!

Elisabeth elisabethdasilva.cor disse...

Olá! Acabei de ver o filme e gostei! Agora, estou curiosa pra ler o livro. Parabéns, Dominique Sampaio! Espero que a autora Rachel Klein, prenda minha atençaõ, assim como você conseguiu com sua resenha.Bjs para todos.

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela