"O Atlas do Amor" de Laurie Frankel

segunda-feira, 26 de novembro de 2012


"Era muito cedo para aquilo tudo, e eu já sabia por experiência própria que são necessários nove meses não apenas para gerar um bebê, mas também para se acostumar com a ideia de ter um."
Pág. 137

O Atlas do Amor é uma homenagem a família moderna, a amizade e ao amor. Foi uma grata surpresa abrir esse livro e poder conhecer a vida das inseparáveis amigas Janey, Kate e Jill. Cada uma dessas fantásticas mulheres possuem uma história de vida diferente, mas um objetivo comum: sobreviver a pós-graduação em literatura. Entre milhares de leituras, trabalhos para entregar e aulas para assistir, essas garotas ainda tem que aplicar aulas para os calouros da graduação, o que gera muitas aulas para planejar, provas e trabalhos para corrigir. Tempo é uma coisa que falta, mediante a tantos afazeres. Mas, entre uma atividade e outra, elas buscam uma válvula de escape: Jill no namorado, Daniel, sete anos mais novo. Kate para arranjar o marido perfeito e ainda por cima tem que ser mórmon como ela. E Janey que descobriu na culinária um momento para desestressar. 

Tudo muda absolutamente quando Jill engravida acidentalmente e seu namorado lhe abandona. Porém, as duas melhores amigas do mundo, não somente apoiam sua gravidez como também estão dispostas a mudar as próprias vidas para dar ao pequeno Atlas, um lar e uma família decente. Com uma rotina rígida, as amigas dividem as tarefas e os cuidados com o bebê, tentando nesse meio tempo dar conta de todas as atividades acadêmicas e acontecimentos inéditos em suas vidas.

"Aprendi muitas coisas naqueles meses, mas a primeira e mais duradoura foi o peso - de uma família, de ser parte de uma mesma unidade - que simplesmente não se tem sozinho. Era a amizade. E, embora eu não percebesse na época, a maternidade." 
Pág. 52

O que Janey, Jill e Kate não esperavam é que o nascimento de Atlas mudaria tudo em suas vidas, inclusive, na vida de seus amigos, familiares e namorados. Amor, família e amizade... Conceitos que seriam modificados, mas amplificados em todas as suas essências. 

 ¸. • * '¨`* •. ¸. • * '¨`* •. 

Laurie Frankel é uma autora de inestimável valor. Além de possuir uma escrita envolvente, os diálogos são bem construídos e inteligentes, repletos de sabedoria e humor. É impossível não sentir-se embalada pela história e não se identificar com uma das três jovens. Durante a leitura, nos tornamos tão íntimos das personagens, que deixamos de existir para coabitar a vida delas, intensa, cheias de contratempos e reviravoltas. 

O conceito de família é bastante discutido durante toda a história, sutilmente a autora introduziu diferentes modelos familiares, fazendo-nos um convite para entender a dinâmica de cada um. Ora a mãe solteira que criou a filha sozinha, ora o casal homossexual que deseja ter filhos ou mesmo a família nuclear, formada por pai e mãe constituída por somente um filho ou até por vários filhos. E, por fim, a família formada por três amigas determinadas a darem o melhor de si mesmas para um bebê super desejado por elas. 

"Conforme o esperado, minha contribuição foram os livros. Coleções de histórias de ninar para ler em voz alta, livros de pelúcia com dez palavras no máximo que, obviamente, se destinavam a ser abraçados ou abocanhados (eu adoro imaginar que antes de "digerir" literatura é preciso primeiro mastigá-la".
Pág. 55

O Atlas do Amor é um livro relativamente pequeno, mas com conteúdo o bastante para nos fazer refletir e sentir que essa não se trata de uma história qualquer e, sim, de uma história para se degustar e apreciar cada diálogo. Admito que li a história, acompanhada de uma lapiseira, pois eram tantas citações interessantes, que se eu não marcasse imediatamente, sentiria-me completamente inconsolável depois.  

"Eu precisava focar num amor sincero, cego, onisciente, sem reservas, inequívoco, incondicional - nu e cru - para que tudo começasse a fazer sentido mais uma vez. Eu precisava encontrar o amor nos diversos lugares onde ele tinha se escondido, arrastá-lo para fora e enrolá-lo à minha volta, carregá-lo pela casa, trançá-lo em meus cabelos, deixar que chovesse para que eu pudesse senti-lo e compartilhá-lo, pudesse apreciar seu abraço e entender, de uma vez por todas, o que ele significava, pelo menos esta parte, pelo menos naquele dia."
Pág. 116

Janey que é a nossa narradora pouco confiável como ela mesmo se define, dá vida e cor a sua própria história e das suas amigas ao discutir os mais variados temas, mas o predileto das amigas era fazer um paralelo entre as próprias vidas e dos personagens dos livros. Foi puro deleite acompanhar seus raciocínios, vendo conceitos prontos desmoronarem e serem substituídos por outros mais lógicos e sábios. Um dos autores mais citados foi Shakespeare, para mim que nunca li nada do autor [vergonha], conclui a leitura decidida a ler os clássicos do inglês que arrebatou o mundo com seus romances.

Sem clichês, a história das três amigas ganha destaque, pois os rumos dos acontecimentos são totalmente desconhecidos para nós, leitores. Acompanhamos ávidos suas idas e vindas para a universidade, para casa e também rumo a descoberta do amor, do significado de amizade verdadeira e da maternidade. 

"Não é uma tragédia, meu bem, é apenas triste. Às vezes a vida é triste, mas não é nada com que não possamos lidar. Às vezes é até bom ficar triste, porque significa que fomos felizes antes e vamos voltar a ser".
Pág. 169

Laurie Frankel se tornou uma das minhas autoras prediletas, inclusive, ela está sendo considerada como a Jane Austen moderna. Responsabilidade enorme, mas muito merecida, a escrita da Frankel é formidável. Recomendo. 


Minha classificação para esse livro é de ♥ 6/7- "Excelente".
Veja a cotação do livro no SKOOB  e a opinião de outros leitores.

O Atlas do Amor. Frankel, Laurie. Editora Paralela, 2012, 240 p.

22 comentários:

Khrys Anjos disse...

Esse é a primeira resenha que resolvi ler sobre o livro e você me convenceu a querer ler o livro. Adoro histórias com bebê e amizade. Me encantei agora com o livro.

Um leve bater de asas para todos!!!!!!!!!!

Meyre Christina disse...

As vezes gosto de ler hitorias assim, sobre familia e amizade. Mas não estou nesse momento não...De qualquer forma fica a dica! Bjksss

Folhas de Sonhos disse...

Interessantíssima essa premissa do livro, discutindo o que é família. Eu acho que iria gostar de ler, ainda mais com esse ambiente literária em que a personagem vive.

abraços,
Luciana
http://folhasdesonhos.blogspot.com

Anna Claudia Cordeiro Laporte disse...

Esse livro realmente parece incrível, nunca li nada parecido analisando pela resenha.
Acho vai ser bem divertido conhecer a vida dessas três amigas e a forma como elas lidarão com uma criança mesmo tendo vidas tão atarefadas.
Além disso, mais do que a história do livro eu fiquei muito curiosa para ler devido ao fato de Laurie Frankel estar sendo comparada a Jane Austen, uma das minhas autoras favoritas.
Ótima dica!

Gabriela disse...

capa MEGA fofa! Só isso já bastou pra me conquistar.

Karen Senoo disse...

Ainda não conhecia o livro nem a autora, para ser sincera, mas pela sinopse e a resenha parece ser um livro gostoso de ler. Já disse que adoro chick-lits e este com certeza é do gênero, mas me parece ser bem mais maduro. Achei interessante e fiquei curiosa para acompanhar a trama destas três amigas ^^

Bjs
@Tibiux

Thais_Vianna disse...

Gostei bastante da história desse livro, senti muita vontade de ler. Parece um livro daqueles feitos para emocionar e fazer refletir sobre o nosso cotidiano.
Thais Vianna
@dathais

Amanda Naira arrais disse...

Ainda não li o livro mas, me pareceu bastante interessante..nunca li nenhum livro parecido, gostei do tema.. já estou participando da promo. tbm..

Dominique disse...

Karen, vc sabe que eu tb pensei que era chick-lit, a princípio? Mas, não é. Acho que ele se encaixa mais em romance contemporâneo. Rs! Mas é maravilhoso, sensível. Vale a pena conferir!


Obrigada pelo comentário. ;-)


Bjs!

Dominique disse...

Anna, tenho certeza de que vc irá amá-lo. É uma leitura gostosa, fluida, mas mto sensível. Uma história linda. Vale a pena conferir.


Obrigada pelo comentário. ;-)


Beijos!

Linny Campos disse...

Pela capa, eu não saria nada pelo livro, mas lendo a resenha, é impossível não querer ler.
Ser considerada uma Jane Austen moderna não é para qualquer um, e se Laurie Frankel é considerada uma, é porque o que ela escreve é realmente bom.

Mariane BP disse...

Sinceramente não faz muito o tipo de livro que gosto mas, pela sua resenha, me pareceu muito interessante e acabou me conquistando...
Bjos

Fernanda Rodrigues Mendonça disse...

Nao faz meu tipo de livro, então eu nao leria ://

Maaas acho q serve de presente, pra amigas (os) q gostam de um bão romancezinho xD

Maristela da Graça Rezende disse...

Esta é a primeira vez que leio alguma coisa sobre esse livro e fiquei muito surpresa com o que li. Vou ler esse livro, pois fiquei muito curiosa. Sua resenha está ótima.

Rafael Fernandes disse...

que bacana sua resenha, uma história que acho que nos faz refletir muito sobre a vida. é uma boa pedida para presente. espero ler. ^^

laura_inglorion disse...

Água com açúcar, eu adoro!

Gizeli Meister disse...

Adorei a resenha!
Não conhecia este livro, mas fiquei curiosa
agora, parece bem legal... e pelo jeito é um livro curtinho, rápido de
ler mas com uma boa história!

Manu Hitz disse...

Que lindoooooooo! Amei a resenha, amei a sinopse! Quero esse livro!
Não julgue um livro pela capa, foi o que logo pensei ao ver esta preciosidade. O que tem a capa? É linda, sensível, mas para mim, assim como o título, pareceu um chick-lit. Pensei que fosse mais um livro-mulherzinha pra pura e simples diversão. Não podia imaginar a profundidade e riqueza do tema.
Obrigada por me fazer ler a resenha e saber que preciso dessa leitura!

Lana Leng disse...

Só de ver a capa me chamou a atenção, essa autora parece ter o dom com as palavras, estou super interessada para ler. "Não é uma tragédia, meu bem, é apenas triste. Às vezes a vida é triste, mas não é nada com que não possamos lidar. Às vezes é até bom ficar triste, porque significa que fomos felizes antes e vamos voltar a ser". ADOREI!

VANNESSA QUEIROS disse...

Adorei a resenha um livro leve,emocionante com elementos que falam de família,amor,amizade.
Capa criativa,fiquei com vontade de ler.

Stéfani Corrêa disse...

Parece muito bom :D muito emocionante

Raiane Andrade disse...

o livro é muuuito bom mesmo..estou lendo e amei!!! um livro pra ler muitas vezes! ;DD

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela