"Tess of the D'Urbervilles" de Thomas Hardy

quinta-feira, 8 de novembro de 2012


Muitos best-sellers citam clássicos, e entre os autores que mais me deparo estão: Jane Austen, as irmãs Bronte, J. D. Salinger, Charles Dickens, entre outros. Mas não tenho visto Thomas Hardy sendo mencionado em muitos livros. Mais recentemente o encontrei sendo citado em um livro que tem enlouquecido a maioria da mulherada por aí. Sim, estou falando de "Cinquenta tons de cinza" de E. L. James. Ana, a protagonista de James, é apaixonada por livros e ganha do sedutor multi-milionário Christian Gray uma edição raríssima da obra de Hardy. Não, eu não gostei do livro de E. L. James, mas não estou aqui para falar dele. Mas há males que vem para ao bem, e ler "Cinquenta tons de cinza" me fez querer falar sobre Tess com vocês.

Li "Tess of the D'Urbervilles" há alguns atrás, depois de conferir a série da BBC e me apaixonar por esta história tão trágica. É um livro difícil de achar em português; consegui encontrar uma edição bem antiga na biblioteca pública da minha cidade. E, não é uma leitura fácil por diversos motivos: entre eles, as descrições detalhadas de Hardy do cenário campestre  em que a história ocorre, mas  principalmente pelo destino tão sofrido da protagonista. O autor é famoso por seus livros funestos, por fazer da desgraça algo constante na vida de seus personagens, e a pobre Tess não poderia ter um destino diferente nas mãos de seu criador.

O livro nos conta uma história de amor um tanto triste vivida por uma desafortunada e pobre, porém jovem e bela, camponesa do séc. XIX e seus infortúnios ao descobrir que seu sobrenome pertence a uma linhagem nobre.

Tess Dubeyfield, a filha mais velha da humilde e numerosa da família do Mr. John Dubeyfield e Mrs. Joan Dubeyfield, é enviada por seus pais à procura de seus parentes, com intuito de melhorar financeiramente de vida ao ver a  filha mais velha casada com algum parente rico.

A desgraça de Tess está materializada no suposto primo – na realidade, ele não é primo de Tess, pois só carrega o sobrenome por ter comprado o título nobre  – Alec D’Urberville, encantado com a beleza e graça da virginal Tess, a seduz, tirando dela a única coisa que possuía: sua honra. Tess pagara por este “pecado” do qual não foi autora e sim vítima por toda sua vida.

Entretanto, Alec D’Urberville não é o personagem mais interessante da história, afinal ele é o vilão, dissimulado e mau caráter. Mas, ainda há o herói Angel: um livre pensador, que parece não se importar com as “regras” da sociedade e busca trilhar seu próprio caminho e possuir seu próprio modo de ver o mundo. Parece o homem ideal para resgatar Tess das humilhações passadas e viver feliz para sempre. Mas nem mesmo Angel, que possui uma mente aberta para os padrões de sua época e sociedade, consegue aceitar as condições de Tess, tomando atitudes pelas quais mais tarde poderá se arrepender.

Impossível não se compadecer pelos infortúnios de Tess e não se revoltar com a hipocrisia da sociedade de sua época; com a condição que uma mulher poderia ser submetida. Nem todos apreciam o excesso de pessimismo do autor Thomas Hardy (novelista e poeta inglês - 02 de julho de 1840 – 11 de janeiro de 1928), mas se refletirmos sobre o enredo veremos que a trama de "Tess of the D'Urbervilles" é muito mais que uma trágica história de amor: a dominação masculina, a injustiça social, a hipocrisia crista da época também são abordados nas entrelinhas do belo romance.



Minha classificação para esse livro é de 6/7- "Excelente".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores



Além do livro há também as adaptações para o Cinema e TV:

Não assisti ao filme, dirigido por Polanski em 1979, mas vi a série da BBC e super recomendo para quem não tiver a oportunidade de ler este livro que é tão, tão difícil de achar. Eis os links para mais detalhes: Série da BBC - Filme (1979).

Daniela Tiemi

24 comentários:

Carolina Lopes disse...

Daniela, quando vi que vc postou resenha de Tess of the D'Urbervilles não acreditei. Estou querendo esse livro há anos, desde quando vi o trailer da série da BBC.
Achei a edição da editora Itatiaia, é a mesma da sua?

Bom, não li Cinquenta tons de cinza e nem pretendo em um futuro próximo... mas que bom que esse livro foi citado. Dessa forma, com todo o sucesso dessa série, provavelmente, lançaram uma nova edição de Tess of the D'Urbervilles (assim como O Morro dos Ventos Uivantes).

Adorei a resenha!!! Como estou falida nesse final de ano vou ver se alguém aqui em casa não quer me fazer uma caridade. ;)
Beijos

Amanda Naira arrais disse...

Não li esse livro, apesar de já ter lido alguns clássicos, é como você disse alguns são difíceis de encontrar..

Os livros clássicos as vezes possuem uma linguagem difícil sem contar que a história é demorada, lenta, poucos eu tive vontade de ficar grudada com ele, apesar da historia ser boa.

Adriele Santana disse...

Eu vi a série tem algum tempo e fiquei super curiosa para ler o livro e infelizmente ainda não achei em lugar nenhum :/

Quando li 50 tons fiquei feliz por ver que citaram um autor diferente, na maioria dos livros você sempre vê que falam sobre os mesmos autores "Jane Austen e etc."

Adorei sua resenha e fiquei ainda mais curiosa para ler esse livro, se for tão bom quanto a série tenho certeza que vou amar.

Beijos!

Thais Vianna disse...

Não sou muito fã de romances, mas esse particularmente eu acho que gostarei. Achei interessante e triste, na verdade, acho que irei chorar muito ao ler.

Thais Vianna
@dathais

Karlinha disse...

Olá flor, ótimo post. Que bom que vc leu Tess e assistiu a série da BBC e o filme?

;]

Mey disse...

Sinceramente nunca havia ouvido falar desse autor ou o livro, mas pretendo pesquisar na biblioteca publica de minha cidade, que possui varios titulos raros e antigos. Adoro historias assim, tristes e tals. Bjksss

Anna Claudia Cordeiro Laporte disse...

Conheci o autor estudando literatura no colégio, quando você fala sobre sua obra nem sempre ser apreciada pelo excesso de acontecimentos trágicos com as personagens me lembra um estudo que fiz, "A sociedade não queria sua própria realidade sendo mostrada nos livros liam, o a sociedade queria utopia, queria fugir, esconder-se dessa realidade, apagar a vergonha de seu comportamento".
Li apenas resenhas nunca de fato cheguei a ler uma obra, mas tenho esse autor com um dos celebres, tais como Jane Austen (minha favorita) e Charles Dickens. Vou tentar conseguir esse livro em algum sebo na internet, porque na minha cidade não encontrei em nenhuma biblioteca.

Hortencia Helena disse...

Thomas Hardy me foi apresentado por uma amiga que ama clássicos e é meio contra a literatura contemporânea hahaha. Taí um livro que vou querer dá uma lidinha... Se não fosse por vc e minha amiga não seguiria o gosto da Anastasia hahaha
bjs

Karen Senoo disse...

Uau, eu gosto bastante de romance histórico mas ainda não conhecia Thomas Hardy. Me interessei bastante pela narrativa, achei legal, só fiquei com pena da personagem principal, coitada :S

@Tibiux

Mariane BP disse...

Olá!
Adorei sua resenha.
Eu não conhecia Thomas Hardy e acabei conhecendo através do livro Cinquenta Tons....
Me parece ser muito interessante e, pelo que você colocou, penso que talvez ele puxe para a linha do Morro dos Ventos Uivantes e Jane Eyre, pelo peso drama, talvez?
Bom, conseguiu despertar minha atenção, espero encontrar uma edição à venda!

Khrys Anjos disse...

Não conhecia esse autor. Adoro romances de época e pela sua resenha acho que irei gostar desse. Realmente a mulher que viveu naquela época viveu para sofrer. Ainda bem que nesse sentido evoluímos um pouco. Ainda falta muito para melhorarmos mas já dá para viver sem as regras rígidas com as quais as mulheres eram oprimidas.

Um leve bater de asas para todos!!!!!!!

Flávia de Melo disse...

Que bela resenha! Livros de época, para mim, são os maiores merecedores de nosso respeito. Fiquei apaixonada por esse livro e o que você falou sobre ele, mas acho que não vou conseguir lê-lo, pois, como você disse, além de ser um livro muito difícil de se achar, minha cidade não tem muitos livros assim. Assistirei ao filme. Abraços!

Chrisna Tayná disse...

Como falaram aí embaixo sobre a editora Itatiaia eu procurei mas não consegui achar nada.. mas consegui achar aqui http://loja.abril.com.br/detalhes/colecao-o-prazer-da-leitura_tess_vol-15-483053
Eu fiquei sabendo desse livro pelo %0 tons e com essa resenha me deu mais vontade de ler.. Acho que agora vou começar a ler livros clássicos, alguma dica?!?
Bj!

Melissa de Melo disse...

Então..eu também através do 50 tons e que me interessei em conhecer os livros classicos, sua dica foi muito interessante,

Andimara disse...

Orgulho e Preconceito, de Jane Austen, é maravilhoso.

Gisele Steingreber disse...

Olá!!! Parabéns pelo trabalho :) To louca pra ler Tess of the D'Urbervilles. Onde encontro uma versão em portugues para comprar?

joana disse...

ola eu ando a muito tempo a procura deste livro para ler mas não consigo encontrar em português começo a achar que só foi editado em português no Brasil vocês leram em português? e fácil encontar o livro ai?

Nayara disse...

Olá! Achei a venda nesse site. É um site confiável.. já comprei livro nele outras vezes. Segue link:
http://www.livrariacultura.com.br/Produto/LIVRO/TESS/101377

E ainda está com frete gratis!!! rs

joana disse...

ola muito obrigada pela ajuda ; )

Verônica disse...

olá! Nunca tinha ouvido falar no livro "Tess of the D'Urbervilles". Quando li 50 tons, fiquei muito curiosa e pesquisei sobre essa história. Agora estou lendo outro livro "A Sombra do Vento" e Tess of the D'Urbervilles foi citada novamente. Pesquisando mais sobre esse clássico cheguei até esta página.

Bem esse livro esta na minha lista de espero, quero muito ler essa história.
Até :)

Alyne disse...

Oi, Daniela! Tudo bem? Sei que essa postagem é meio antiga, mas estou fazendo um favor para uma prima e procurando o "Tess..." em português para ela.
O título tem tradução ou a edição brasileira manteve o nome original?
Desde já, agradeço!

janecy disse...

Não achei mais o livro na cultura, preciso compra-lo alguem sabe onde encontra-lo?

Marta disse...

tens o monte dos vendavais da emily bronte, é lindo, apresentei num trabalho para a escola...

allana chris disse...

- Nossas, nunca tinha ouvido falar em "Tess of the d'urbvilles"........... Mas depois de ler 50 tons de cinza, fiquei muito curiosa para lê ele..... <3 (:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela