"Cinquenta tons de cinza" de E. L. James

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013


Anastasia Steele é jovem, inteligente e bastante centrada. Quando conhece o multimilionário, Christian Grey, sua vida modifica-se instantaneamente. Christian é um jovem acostumado a ter o que deseja. Atraente e dominador, imediatamente ele se interessa por Anastasia, quando a estudante vai entrevistá-lo para o jornal da universidade. Também magnetizada pela vibrante energia que emana do empresário, Anastasia não resiste e cede aos desejos do seu coração. Porém, o que a jovem não imagina é que estará embarcando em um perigoso jogo de poder e sedução, que pode destruí-la completamente.

Cinquenta tons de cinza já rendeu muitas discussões por toda mídia e também entre meus amigos. Dentro dos principais meios de transporte, impera entre os leitores de conduções, o tal do romance sado entre uma jovem estudante e um milionário. Pronto. Falou em coisas proibidas - sexo + sadomasoquismo + dominação - Bum!, todos querem ler, esgotando todos os exemplares nas livrarias do país. Inclusive, eu comprei para dar de presente ao meu primo no natal, que adorou o presente.

Muitas críticas, alguns dizem que gostam, outros dizem que detestam e outros pior ainda, viram a cara em desdém. Sou a típica leitora que defende a ideia de que para criticar tem que ler o produto. Crítica sem argumento para mim, não é válida. E eis o que penso sobre o romance:

A ideia da autora E. L. James foi bastante ousada e deu certo. Ela aliou os ingredientes certos para gerar uma grande discussão, além de imiscuir em sua história, assuntos poucos discutidos, como o sadomasoquismo e o fetiche por dominação, atribuindo ainda um vocabulário escrachado, não tinha como passar despercebido.

A história é cheia de furos e clichês, mal escrita aqui e acolá, deixando a desejar bastante quando o assunto ocorre fora da cama ou melhor dizendo, sem sessões tórridas de sexo. Durante a leitura realmente dá para perceber uma certa semelhança com Crepúsculo, mas para mim esse fator está no perfil de Anastasia Steele que assemelha-se ao da Bella Swan. Fora esse fator, a história contada por Stephanie Meyer não deve ser comparada com a de E.L. James.

Acredito que a autora tinha todos os ingredientes em seu poder para construir uma história convincente, mas restringiu-se ao sexo por sexo e a mania de dominação de Christian Grey. Eu queria que Christian convencesse quanto personagem, fosse mais frio, cruel e fiel aos vícios, e não que abrisse mão rapidamente por causa de uma menina sem graça. Ok, ok, ele poderia render-se posteriormente, mas não no início da construção da história.

E cá para nós, que homem lindo e milionário vai se apaixonar por uma garota atrapalhada e pouco atraente? O que essas autoras veem de mal em garotas cheias personalidade, dotadas de senso de moda e que sabem andar em um salto alto sem tropeçar ou parecer atrapalhada? Peloamordedeus! Esse papo que gostou da simplicidade, da ingenuidade, da inocência dela é clichê demais. A criatura pode ser tudo isso, tendo um senso mínimo de moda e etiqueta.

Enfim, apesar de ter criticado bastante a história, eu gostei. Contraditório isso. Cinquenta Tons serve muito bem como entretenimento, ótimo para desestressar e manter o assunto com os amigos em dia. Aliás, quem diz que ler Cinquenta Tons é uma retrocesso a luta das mulheres pela independência, está falando balela, li e meu ponto de vista sobre o mundo, sobre homens e sobre sexo não mudaram, se você tem que ser uma "dominada" no relacionamento homem x mulher será independente do que E. L. James escreva. E tenho dito.



Minha classificação para esse livro é de  3/6- "Bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.


Cinquenta Tons de Cinza. Editora Intrínseca, 2012, 455 p.



22 comentários:

Karine Coelho Lima disse...

Boa resenha, best friend. Concordo com muita coisa, como vc já sabe. Rsrs. A verdade é que o livro prende a gente (admito), não sei pq. Não gostei por causa da submissão moral da Ana: uma coisa é a submissão na cama, nada contra os jogos de prazer, mas só ali. Fora da cama é outra coisa. Ele mudar por ela pode ser bonito, mas aí ele perde a personalidade. Bom, e fora todos os absurdos sexuais da trama... Acho que, no fim das contas, 50 Tons é como um filme pornô: muito sexo e pouca história. Mas tá valendo se conseguiu apimentar a relação das pessoas por aí afora. Rsrs. Parabéns!

Aline disse...

De fato, também achei o livro mal escrito e com uma história fraquinha. Nada contra clichês, portanto que a história e seu desenrolar sejam bons e/ou interessantes.

Os diálogos, muitas vezes, são risíveis, sendo a melhor parte do livro, as cenas de sexo. E a personagem principal viveu esses anos todos numa bolha? Tudo era novidade para ela, parecendo que nunca havia ouvido falar de certas práticas sexuais básicas. Ser virgem não implica ser ignorante sobre esses assuntos.

Agora, não diria que o livro seja um retrocesso para a luta pela igualdade da mulher, mas não há como negar que Anastasia, assim como Bella, adota uma postura de auto-anulação perante seu par romântico. E isso é, de certa forma, preocupante, pois como personagem principal e voz ativa no livro, ela tem o poder de influenciar pessoas, para o bem ou para o mal.

Enfim, é uma leitura válida mais pelas cenas de sexo do que o enredo, assemelhando-se, nesse ponto, a um filme pornô, como disse a amiga acima.

Vanessa Riper disse...

Olá!

Concordo com tudo o que vc disse... acredito que pra uma distração, ou pra passar o tempo o livro é mto bom. Realmente é mal escrito, tem umas coisas meio exageradas, mas ao contrario do que todo mundo que não leu o livro fala, Cinquenta Tons de Cinza não é uma história somente pornô, os dois se apaixonam realmente, tem um romance na história, então acho que vale mto a pena ler!

Bejos!

Vanessa Riper disse...

Olá!

Concordo com tudo o que vc disse... acredito que pra uma distração, ou pra passar o tempo o livro é mto bom. Realmente é mal escrito, tem umas coisas meio exageradas, mas ao contrario do que todo mundo que não leu o livro fala, Cinquenta Tons de Cinza não é uma história somente pornô, os dois se apaixonam realmente, tem um romance na história, então acho que vale mto a pena ler!

Bejos!

Manu Hitz disse...

Ah, já falei tanto por aí sobre essa onda hot que encantou, polemizou, abriu discussões... mas, principalmente, atingiu novos leitores. Acho isso o principal. Tem livro para todo mundo, todos os gostos e interesses.
Não é bem o que gosto de ler e até arrisquei, pra poder opinar. Infelizmente o que li - em algumas páginas - não me interessou mesmo. O trecho escolhido ficou pesado, achei desnecessário. Mas é uma opinião. Minha irmã adorou, comprou os outros.

Mayara Milesi disse...

Eu já li esse livro, confesso que eu gostei mesmo concordando com vários pontos do que você disse, eu acho que ela quis deixar ele se apaixonar por uma atrapalhada pra ser parecido com Crepusculo e sobre a sua pergunta sobre o que as autoras tem contra as mulheres de personalidade forte eu te recomendo um livro, na verdade, nao sei se você já leu, mas ele se chama Toda Sua, é uma trilogia tambem, ela é da Sylvia Day e a personagem é uma mulher forte e decidida e encontra com um CEO tambem forte, destemido e dominador... é bem legal na minha opniao melhor que 50 tons.

Voltando ao 50 tons, eu nao achei o livro tudo isso, várias pessoas falam que ele é forte, mas já li livros mais fortes que ele, mas de modo geral o que me prendeu na historia nao foi o sexo e o sadomasoquismo e sim a historia de Christian eu fiquei intrigada...

beijos

*Nossa escrevi demais kk

Kelry Caroline disse...

Legal, to lendo o livro;
Eu não sei prque todos "a maioria" não gosta da trilogia da E.L James! Eu particulamente adoro!

Amanda.. disse...

Eu achei mais ou menos.. tipo o grey é lindo, rico.. gostoso e tals.. mas a Ana me irritou bastante..achei a que a historia poderia ter ido alem do que foi.. a autora tinha potencial pra isso mas, a historia de grey poderia ser mais abordada.. enfim.. no geral é bom.. mas não acrescentou,nem vai marcar nada em mim.. serviu pra distrair.. a historia de grey poderia ser mais abordada..

Amanda Naira Arrais

Daniela Tiemi disse...

Hahahaha! Otima resenha, Nique! Eu concordo com suas criticas ao livro. Eu faco parte dos que nao gostaram, ate tentei ler o segundo livro na esperanca de q melhorasse, mas larguei... Nao eh meu estilo de livro, quer dizer, ate gosto de livro HOT mas tem que ter uma historia legal, oq nao eh caso deste livro, para mim.
Bjo.

Mey disse...

Li o livro e não achei tudo aquilo não...Achei Grey sem sal e tals, fora outras coisas q conforme eu ia lendo, ia pensando: -Ah, tá...me engana que eu gosto. Mas não posso dizer que detestei. Leria o segundo livro só para ver qual é... Bjksss

Cristiane Silva disse...

O que você classificou como bom, eu colocaria como SAI CORRENDO NÃO COMPRE NÃO LEIA! Um porque já veio com fanfic de crepúsculo - se isso já não é motivo pra sair correndo, calma que tem mais. Dois que é ma escrito. Três que não tem história. Quatro que é ridículo e não vale o título de erótico. Cinco que é uma repetição de expressão dos infernos e irrita pra caramba. Pra mim só o segundo livro valeu a pena. Só, e nem é lá essas coisas...
Tenso, viu....
cristiane dornelas

Maianerossi disse...

Concordo com você sobre o livro estar mal escrito em algumas partes, isso que me levou a deixar de lê-lo. Sinceramente, não gostei, pelo menos até a parte que li. Achei um vocabulário muito forçado, não gosto de livros assim.

Beatriz Rampasso Crinha disse...

Ainda não tive a oportunidade de ler este livro mas pretendo adquiri-lo em breve. Gostei muito da resenha e estou super curiosa para realizar esta leitura.

Karen Senoo disse...

Eu li a versão em inglês e não achei lá grande coisa. O gênero não é meu preferido. Sou a favor de livros hots com conteúdo e até o momento não teve nenhum que realmente me cativasse.



Bjs
@Tibiux

Fran Alves disse...

Eu li em Ebook, mas não sei... eu não gostei. Foi justamente os cliches e frases repetitivas, e aquela maldita Deusa Interior, que me irritaram durante a historia. A historia pode até distrair mas não é lá grande coisa. Sei que tem gente que amou...


O Sr Grey só esta tudo isso porque é bonitão e rico... porque é um malinha também como a Ana...


Essa é a minha opinião


bjuus
@fran_alves

jepreira disse...

Tenho gostado da história. É boa como ela conduz apenas focando nos dois, durante grande parte do livro.

Mariane disse...

Oi Dominique!
Aplausos para a sua resenha! Eu simplesmente amei!
Também li a trilogia e achei a autora um pouco fraca tanto no texto quanto no enredo.
Mas acabei gostando da história para distrair...
Ela foi sim muito inovadora em trazer os contos eróticos para a "literatura" descaracterizando um pouco a pornografia. Mas, de qualquer forma, achei um pouco demais.

Também acho que criticar sem ler é ignorância completa. E não concordo em nada quando dizem que essa leitura influencia as mulheres a serem submissas. Alô!!! Cada um deve agir conforme pensa, por si próprio. Quem se deixa levar por um livro desses, com certeza seria influenciado por qualquer outro livro, independente do assunto.
Parabéns mais uma vez!
Bjos

Fran Alves disse...

Concordo com vc qdo fala que esta mal escrito e a historia é meio pobre qto a enredo... mas gostei dele tb pelo fato que não é uma supertrama ... é bom para qdo se esta com ressaca literaria rsrsrs


a unica coisa que me irritou foi ver varias frases repetidadas ... ah e tb a Deusa Interior dela ... Aff

alyne guedes disse...

Eu adorei pra mim um dos melhores lançamentos de 2012.

Daniela Tiemi disse...

kkkkkkkkkk! Esse lance de "Deusa interior" me irritava! =P

Livia Santana disse...

Ô livro que eu estou enrolando para ler...

Christian é muito chato, gente. Que mania é essa de ficar chamando a menina com o sobrenome e tudo? E concordo com o que você falou, Dominique, o cara, zilionário, gato e dominador vai querer uma garota (na minha opinião) chata, inexperiente e desastrada? Aham, sei.

Os meus problemas com Cinquenta Tons de Cinza se resumem a 1) personagens e; 2) falta de verossimilhança. Os diálogos, às vezes, são meio cabeludos, a Ana está pensando o tempo todo "não, não, não" e no minuto seguinte diz "sim". Por que?, eu me pergunto. Isso em relação ao contrato dos dois, certo?

E, sinceramente, a Deusa Interior é um personagem à parte e desnecessária, ainda por cima. Só serviu para me irritar.

Eu estou na página 323 e decidi recentemente tentar ver o livro com uma história de humor para ver se eu avanço com a leitura.


É, eu estou sendo dura demais com o livro, mas realmente ele perdeu o meu respeito.
Bjs!
s2

Samuel disse...

Detestei esse livro. Personagem principal fraca, mal escrito, linguagem quase infantil, sem conteúdo... A única coisa que essa escritora fez foi descrever cenas de sexo!

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela