"A Seleção" de Kiera Cass

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013


Apesar de a Dominique já ter resenhado o livro A Seleção de Kiera Cass aqui no blog, venho através desta resenha colocar meus pontos de vistas sobre a leitura, mas principalmente reafirmar os elogios feito pela minha amiga blogueira.

Diferente de outros livros distópicos que apresentam um enredo denso, violento e que se aprofundam mais em uma trama política, A Seleção é um livro leve, divertido e muito romântico. Entretanto cumpre muito bem seu papel de entreter o leitor, tanto que é praticamente impossível largar a leitura. 

Logo nas primeiras páginas conhecemos um pouco sobre a vida difícil de América Singer, que pertence a uma casta cinco. A nação em que ela vive - antigo Estados Unidos da América que após a  4ª Guerra Mundial e muitos conflitos, se tornou Illéa -, divide sua população em castas que vão de 1 a 8; sendo a 1 pertencente a reis e cleros, e a última, a número 8, dos viciados, fugitivos e sem-teto. A casta de América não é a pior ou melhor, há comida em casa para a família, mas nem sempre o suficiente e vivem com certa dificuldade. A casta cinco pertencem aos artistas: músicos, cantores, atores de teatro. E, América além de tocar diversos instrumentos, é uma ótima cantora.

Quando é aberta as inscrições para a Seleção para futura esposa do príncipe Maxon, a mãe de América vê a solução dos problemas da família. Obviamente, América não pretende se inscrever e ter que aturar o enfadonho príncipe Maxon, além do mais, seu coração já pertence a uma pessoa: Aspen, seu vizinho que pertence a casta seis. Ele trabalha muito para ajudar a família e os irmãos a não passarem fome, mas muitas vezes não é o suficiente. Ele sabe que jamais proverá uma vida boa a América, e ela sabe que sua família - especialmente sua mãe - não irão concordar com esta união. Mesmo assim, eles mantêm um relacionamento escondido há dois anos.

Depois de muita insistência por parte de sua mãe e do próprio Aspen para que ela se inscreva, e tendo a absoluta certeza que não teria nenhuma chance de ser escolhida, a garota faz sua inscrição. A Seleção é aberta para todas as meninas de  Illéa com idades entre  16 a 20 anos, independentes de sua casta. Muitas garotas enxergam uma chance de melhorar de vida, já que as Selecionadas que são eliminadas voltam, no mínimo, para uma casta três. Além de que, as famílias das participantes recebem um bom dinheiro enquanto suas filhas permanecem no palácio. 

Uma semana antes do resultado da Seleção, Aspen termina o relacionamento com América, e a garota parte para o castelo com seu coração despedaçado. Ainda assim, não tem nenhuma intenção de se relacionar com o Príncipe, seu principal objetivo é aproveitar a comida e ficar o tempo suficiente para que sua família possa juntar um bom dinheiro. Talvez até mesmo o fato de estar na TV - sim, a Seleção é televisionada para todo o país acompanhar a escolha da futura rainha -, possa ajudá-la mais tarde a encontrar mais lugares para cantar e tocar, e assim melhorar de vida. Não há razão para que ela não aceite participar.

Entre jantares, festas e vestidos novos, entre as intrigas e uma competição acirrada entre as participantes, América causará muita inveja ao se destacar como uma das favoritas do Príncipe Maxon. Contudo, o que começa como boa amizade entre ela e o Príncipe, pode aos poucos surgir sentimentos que deixarão América confusa. O Príncipe demonstra ser uma pessoa de bom coração, é compreensível e amigável, romântico, e até divertido, um verdadeiro cavalheiro, mas que se torna completamente desajeitado quando se trata de acudir damas em prantos. A autora teve o cuidado de criar um personagem encantador, mas humano o suficiente para ter seus momentos vulneráveis. 

Eu estava ansiosíssima para conhecer o Príncipe Maxon com tantas leitoras suspirando pelos cantos por ele. E, claro, que seria impossível não me apaixonar também. Ele conquistou completamente meu coração, e a Dominique, ciumenta como é com suas paixões literárias, não está nada feliz com isso. Haha!
Agora tudo que me restou ao finalizar a leitura foi uma DPL (Depressão Pós-Livro) por querer mais. Esperar até Abril para ter "A Elite" em mãos é uma  verdadeira tortura.

América é um boa protagonista, por ser forte e divertida. O relacionamento entre ela e o Príncipe nasce aos poucos, com eles se conhecendo e mesmo assim, ela ainda tem duvidas, claro. Ela saiu de uma relação de 2 anos, com um cara que acreditava que casaria, como iria se apaixonar tão facilmente por outro? Não, isso não acontece da noite para o dia, mesmo que as qualidades de Maxon sejam tão irresistíveis. A autora teve o cuidado de conduzir muito bem toda a trama, desde o relacionamento entre os personagens até mesmo a parte histórica e política que apesar de não ser o foco principal do enredo, não deixa de ser explicada. Há alguns pontos obscuros, mas que acredito que serão revelados entre os próximos livros. Também senti falta de conhecer melhor o rei e a rainha que possuem praticamente nenhuma participação na história, mas Kiera Cass não deixou de explicar a razão disto, e tudo indica que conheceremos melhor estes personagens na continuação.

Toda essa mistura de distopia com "reality show" com um príncipe à procura de uma esposa, pode parecer bem clichê, mas deu certo. Aliás, o elemento "conto-de-fada" adicionado a história é o que o torna atraente. Um palácio, lindos vestidos e um príncipe encantador, quem não quer? Isso, misturado com personagens interessantes, uma narrativa bem conduzida e fluida, cenas divertidas e drama na medida certa, como não daria certo? Ah, e claro, uma capa belíssima!

Enfim, na minha opinião, a autora acertou em todas as medidas ao escrever esta história. E só posso desejar que o dia 23 de abril chegue logo e eu possa matar a saudade do meu (viu, Dominique?!) Príncipe Maxon!

Leitura recomendadíssima!


Minha classificação para esse livro é de  6/7- "Excelente".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

A seleção. Cass, Kiera. Editora Seguinte, 2012, 368 p.


Participe do TOP Comentarista de Fevereiro aqui no blog Livros, Filmes & Músicas e concorra a um exemplar de  A Seleção. CLIQUE AQUI, leia as regras com atenção e boa sorte! ;-) 


22 comentários:

Livia Santana disse...

Preciso ler esse livro!

Parece tão bom (principalmente depois a sua resenha) e (confesso) me apaixonei pela capa, tanto desse quanto a de 'A Elite'!

Eu realmente não sabia/lembrava que era uma distopia, para mim era um romance que se passava lá na Inglaterra, sei lá, kk.

Mas a sinopse da sua resenha me lembrou um pouco 'Jogos Vorazes'... Tem muitas semelhanças?

Bjs!

s2

Daniela Tiemi disse...

Oi, Livia!

Apesar de JV e A Selecao serem distopias, sao completamente diferentes. Os dois sao otimos, mas enqto JV segue para um linha mais dramatica, politica e violenta, A Selecao eh um livro leve, divertido, e extremamente romantico (ok, JV tb tem romance, e o Peeta eh um dos meus amores! Mas Maxon tb conquistou meu coracao!rsrs).

Enfim, cada um segue uma linha, mas os dois sao mtos bons.

Bjo.

Cris Sampaio disse...

Adorei, e vou ler pra ontem, vou baixar, já queria ler, e vc e Dominique gostaram, é boa leitura na certa ;)

Participando da promoção!

Ana Paula Barreto disse...

Este é um dos livros que mais quero ler. Pelo que tenho lido a respeito e como você bem colocou, a autora acertou em cheio em todos os elementos.
E acredito que o que mais me fascina é esta mistura de conto-de-fadas com a distopia. Não consigo imaginar um livro assim e é por isto que tenho tanta curiosidade!
bjs

Kelry Caroline disse...

Ainda nao li A Maldição do Tigre, mas se o Ren for parecido com o Maxon, então já fico instigada a ler. rs

Karen Senoo disse...

Já faz muito tempo que estou querendo ler esta distopia. É bom encontrar algo diferente do clima devastador e de violência que encontrei em vários outros do gênero. Achei a ideia bem interessante e fiquei curiosa para conhecer este novo mundo. Parece um mundo de debutantes kkk Com certeza vou ler este livro! :)



Bjs
@Tibiux

Livia Santana disse...

Obrigada, Dani! Esse negócio de a Seleção também ser transmitida para o povo me deixou com a pulga atrás da orelha! Bjs!

Nattacha disse...

Aiii faz tanto tempo que quero ler A Seleção e essa vontade só aumenta a cada resenha como a sua que leio, enchendo o príncipe Maxon de elogios assim *-* Mas pudera né, que cavalheiro
Mas também o que me deixou encantada por esse livro, foi por ser uma distopia, mas não aquelas de sempre com quase todo o foco para o governo sabe. Aqui a coisa toda aparece mais sutilmente, tem mais romance, e eu bem que adoro romances.

Quero demais ler esse livro <3
Parabéns pela resenha, eu adorei!
Beijinhos :*

Sabrina Mazzoni disse...

Eu to apaixonada com esse livro. Ainda não pude adquiri-lo, mas por vontade não foi. A cada comentário fico na expectativa, principalmente sobre o piloto da série. E também estou na torcida pela promoção. :)

Thamires Perrone disse...

quem nunca gostou de um conto de fadas? acho impossivel ne HAHAHAH esse parece aquele livro cliche mas que da certo!
ja to desejando ele faz tempo, quero mt ler <3

Cláudia Charão disse...

Oi Dani

Ah você sabe que amei o livro, ixi se a Dominique é ciumenta vai ter problemas, afinal o Maxon foi o favorito de muitas leitoras hahaha o pobre Aspen ficou de lado.

Daniela Tiemi disse...

Sim, eu sei! Sua resenha e a indicacao da Nique foram os principais motivos para eu decidir ler este livro.

Maxon <3 !

Sabe que uma coisa q vc disse na sua resenha sobre Aspen e eu concordo: ele desistiu logo no comeco e praticamente jogou America nos bracos de outro. Com essa atitude de desistir antes de tentar, ele perdeu a graca. Sou mto mais Maxon! *_*

Bjo.

Cristiane Silva disse...

Muito bom esse livro e estou doida pra ler. E já querendo o próximo! Adorei essa história *-*


cristiane dornelas

Maria Pereira disse...

Cara tô doida pra ler esse livro a capa e linda compraria só pela capa mais com a sua resenha vô compra de qualquer jeito o/

Cláudia Charão disse...

é foi ali que ele perdeu para o Maxon :) não gosto dessas desculpas para abandonar o barco. Essa atitude também justificaria ela se interessar pelo outro, gostei muito de como a América lidou com tudo.


Bjus

camila rosa disse...

Eu acho que esse livro deve ser bem legal mesmo, também com uma capa linda dessas como não dar uma boa impressão, eu queria muito ler esse livro ele parece ser muito bom quem sabe eu consiga né.

Gabi :333 disse...

Já li A Seleção eu to anciosíssima pra ler The Elite,não vejo a hora de ver no que vai dar essa história >< e claro que torço pra que America fique com Maxon!!<3

quem não quer um príncipe desses né!!kkk' adoro romances <3<3

parabéns pela resenha,eu amei!
beijosss

JessicaLisboa disse...

Poxa mais uma triologia (desse jeito vou fica pobre,ainda mais), faz um bom tempo que eu não leio um livro que fala sobre divisão de sociedade ou coisa do tipo. Não sabia que o livro havia um triangulo amoroso, pensava que só se trava de um livro que ditava sobre um tipo de sociedade ficticia, agora fiquei curiosa para saber sobre esse triangulo amoroso que há nesse livro alem de conhecer o príncipe Tambem adorei a capa desse livro.

Vanessa Gobbo disse...

Só pela capa já fico louca para ler :D Adorei a resenha!

Nátila Peixoto disse...

Ain... como eu quero ler esse livro, a capa é tão linda! Depois de ler sua resenha fiquei com mais vontade ainda de ler.

VANNESSA QUEIROS disse...

Oi Dani,o livro começa a chamar a atenção pela capa.
Sua resenha está maravilhosa,deu mais vontade de ler e acompanhar essa seleção para escolher a princesa do Príncipe Maxon, acompanhar a disputa e torcer por America e pelo romance deles. Nossa o Livro "A Seleção" está sendo adaptado para série de TV .

A capa do livro Elite está bonita

Mayara Milesi disse...

Ahhh to doida pra ler esse livro, sua resenha está show!!!
Ele parece ser lindo, tenho certeza que eu vou adorá-lo *.*

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela