"Garotas de Vidro" de Laurie Halse Anderson

quinta-feira, 21 de março de 2013


Eu não deveria. Não posso. Não mereço. Sou uma gorda gigante e tenho nojo de mim mesma. Eu já ocupo espaço demais. Sou uma hipócrita feia e malvada. Sou um problema. Sou um lixo. Quero dormir e não acordar, mas não quero morrer. Quero comer como uma pessoa normal, mas preciso ver meus ossos ou vou me odiar ainda mais e poderia arrancar meu coração ou tomar todos os comprimidos já fabricados na história. (Pág. 197)

Garotas de Vidro da autora Laurie H. Anderson narra a história de Lia, uma garota de dezoito anos, obcecada pelo próprio corpo, a ponto de desejar emagrecer até ser tão leve que será capaz de voar, desaparecer. Ela está doente, mas sua obsessão por emagrecimento não a deixa perceber como está se destruindo e a todos ao seu redor.

Durante a leitura conhecemos os pensamentos mais íntimos de Lia sobre si mesma e sobre o mundo. Sua estima por si mesma é tão baixa, que inúmeras vezes, ela murmura para si mesma: "estúpida - feia - estúpida - vaca - estúpida - gorda - estúpida - criançona - perdedora - estúpida - perdida". 

A todo momento, Lia reflete sobre seu passado e sobre sua amizade com Cassie, sua melhor amiga, também obcecada por emagrecimento. Antes de  morrer, Cassie liga para Lia exatamente 33 vezes, torturando-a mais ainda, principalmente, quando descobre que sua melhor amiga morreu sozinha em um quarto de motel.

Após esse lamentável episódio, Lia perde totalmente o controle. Cada alimento que vê, ela conta as calorias e as soma, impondo um regime cruel para si mesma. Para controlar a ansiedade e manter-se lúcida, ela se autoflagela, nem a ajuda de seus pais, da madrasta e da doce irmãzinha, a impede de autodestruir. Seus pensamentos são confusos e pioram quando Lia começa a ver o fantasma de Cassie, fato que atormenta mais ainda a garota. 

Garotas de Vidro é uma leitura vertiginosa rumo ao desespero. A narrativa da autora Laurie H. Anderson é tão intensa e desesperadora, que os sentimentos da Lia passam a ser nossos, deixando a leitura sufocante. Admito que demorei mais de um mês para terminar a leitura, pois não conseguia compreender Lia e suas motivações, sentia-me sufocada com seu relato e autoflagelamento e juro, eu não conseguia enxergar uma luz no fim do túnel para a garota. Cheguei a pensar: se você quer tanto desaparecer, criatura, se mata logo! Porque morrer aos poucos e causado por si mesmo é doentio, e Lia não conseguia compreender que estava doente, no fundo do poço.

Se a intenção da autora foi mexer com nossos sentimentos a ponto de tentarmos entrar na mente de uma garota anoréxica, ela conseguiu. Um relato verdadeiro, forte e intenso, terminei a leitura, desejando nunca sentir uma parcela do que Lia sentia, e agradecendo a Deus, por mesmo um pouquinho acima do peso ideal, eu estar sempre totalmente a vontade com meu próprio corpo.

Se você curte leituras fortes que mexem com seu psicológico e emoções, vai curtir a história de Lia.


Minha classificação para esse livro é de  2/6- "Razoável".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

Garotas de Vidro. Anderson, Laurie Halse. Editora Novo Conceito, 272 p.


5 comentários:

Isabela Castro disse...

Nossa que tenso o.O Distúrbios alimentares são bem complicados, mas tenho um pouco de preconceito com esse tipo de livro pq sei la, eles são esquisitos, parecem uma cartilha educacional disfarçada de história.. pelo menos eu li um que era assim, não me envolveu e era a mesma coisa que a gente sempre escuta sobre o assunto... x.x
http://coisasdebelaa.blogspot.com.br

Karen Senoo disse...

Já li esse livro e também não achei assim tão bom. Foi interessante pois nunca tinha lido algo do tipo mas foi difícil entender certas atitudes da personagem principal. Tentei ter pena, e em vários momentos eu tive, mas poxa ela tem uma família que enxergou o seu problema e quis ajudar então foi tenso enxergar essa sua autodepreciação durante o livro inteiro. Eu também estou acima do peso e certamente tenho problemas familiares mas nem por isso me corto ou faço greve de fome :S Isso é o que eu acho, pelo menos kkk



Bjs
@Tibiux

Ana Paula Barreto disse...

2/6, sério? A maioria das resenhas que leio elogiam o livro. Mas que bom que existem opiniões diferentes, assim podemos ver os dois lados da moeda (de quem gostou e quem não gostou tanto assim).
Eu gosto do tema e acho que se a autora foi sensível, deve ser um bom livro. Não me desanimei em nada. Acho que preciso ler e tirar minhas próprias conclusões. No mínimo podem sair boas reflexões sobre o que foi dito.
bjs

Nattacha disse...

Sabe, a sua é a primeira resenha que vejo que cotou o livro beem abaixo da media. O que é otimo, pois sempre temos que ver os pontos positivos e negativos de uma leitura, e claro que cada leitor tem seu gosto!
Sabe eu gostaria muito de fazer a leitura desse livro, curto ler coisas bem densas as vezes, e como esse é um livro que vaii tratar de um assunto bem polemico, que por mais que se façam campanhas e tal acontece e muito......
Bem, acho que só fazendo a leitura para saber pra qual time vou!
Beijinhos :*

Naty C disse...

Como gosto de leituras fortes acho que vou gostar do livro. É a primeira ficção sobre o tema que vejo, fiquei bem interessada.

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela