"Perdida" de Carina Rissi

terça-feira, 19 de novembro de 2013



Sofia é uma mulher moderna e independente que sonha em alcançar o último patamar da profissão que escolheu. Para isso, ela se dedica arduamente e tem que aguentar as exigências de um chefe para lá de mala. Apesar de tentar muito, Sofia quase não tem tempo para os amigos, muito menos para o amor. Aliás, a última coisa que se passa na cabeça dela é se casar um dia. Os únicos romances em sua vida, são aqueles que ela vive nos livros com suas heroínas e príncipes perfeitos.

Habituada com as facilidades de viver em uma cidade grande e de utilizar os mais avançados recursos da tecnologia, quando a moça deixa seu celular cair em um vaso sanitário após uma noite de baladas, ela não tem outra opção, a não ser comprar um aparelho novo. Ficar sem celular é inaceitável!

Eis que ao comprar o novo celular, algo misterioso acontece e Sofia se vê perdida no século XIX, sem ter a mínima ideia de como voltará para seu próprio século. Desesperada e sem os recursos mínimos para sobreviver em um tempo em que ela somente ouviu falar nos filmes antigos e leu nos seus romances, Sofia conta com a ajuda do adorável, Ian. Sem saber onde procurar ou que procurar, Ian e Sofia viverão as diversas e curiosas aventuras que os levarão rumo a um destino inesperado.

❤ ~   

Ler um romance e viajar para outro tempo é bom demais. Em Perdida, Carina Rissi nos convida a embarcar com Sofia para o século XIX e viver um lindo romance ao lado de Ian. Porém, o que era para ser uma leitura deliciosa e descontraída, para mim, se transformou em momentos de puro tédio.

Sofia praticamente respira modernidade e tecnologia desde que nasceu. Do chuveiro com água encanada, banheiro, condicionador e shampoo, celular, notebooks e afins, fazem parte do seu cotidiano. Maravilhas da modernidade que no século XIX, não existia e que quando vai parar lá, ela sente uma falta louca. Como se não bastasse ser enviada para o passado por causa de algum objetivo que ela desconhece, tudo a sua volta a surpreende e a faz analisar a vida por um ângulo diferente. Como nos romances que Sofia costuma ler, ela é salva pelo adorável Ian, um jovem milionário, dono de propriedades, que imediatamente se apaixona pela complicada moça.

Carina Rissi tentou criar uma história estilo conto de fadas moderno com muito romance, aventuras e boas doses de risadas, mas sua personagem é forçada e complicadinha demais. Ela ama romances históricos, suas mocinhas apaixonadas e príncipes perfeitos, mas quando vai parar dois séculos no passado, estranha e detesta tudo, desde os vestidos bufantes, a carruagem, chapéus, etc. Também vem com aquele estereotipo de mocinha que não curte moda, comprar vestidos lindos e que não se importa com a aparência. Ah, peloamordedeus, também insiste em querer fazer o trabalho dos empregados e se enfiar na cozinha. Fica também naquela eterna dúvida se está ou não apaixonada, em querer se aproximar e não poder... etc, etc, etc. 

Outro detalhe que me incomodou é o excesso de gírias usadas pela personagem e expressões comuns no nosso tempo, mas não no século XIX. A autora ao me ver, forçou demais os diálogos ao introduzir tantas gírias, uma atrás da outra, apesar de estar claro sua intenção de fazer um paralelo entre o vocabulário usado no século XIX comparado ao do XXI. E apesar da autora deixar explícito que os demais personagens daquele tempo, não entendiam o significado das expressões que Sofia estava falando, na história a personagem reforçava uma gíria com outra gíria e assim sucessivamente, parecendo uma grande tola no final das contas. Enfim, Sofia é uma perfeita chata! 

Juro que tentei gostar da leitura, mas me irritei muito com esses detalhes e tantos outros. Procura-se um marido foi uma leitura muito melhor. Mas, não desistirei da Carina Rissi. Para mim, ela continua sendo uma das autoras brasileiras no gênero chick-lit que tem mais potencial. 


Minha classificação para esse livro é de  2/6 - "Razoável".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

Perdida. Rissi, Carina. Editora Verus, 2013, 472 p.



9 comentários:

Ingrid Sodré disse...

Sobre esse livro, apenas o conhecia de vista e li o enredo por curiosidade, afinal, a capa chama atenção. Então, essa foi a primeira resenha que li e me desanimei mais do que antes. Não sou muito fã de gírias, então é possível que abandonasse se iniciasse a leitura.

http://umadosemaisforte.blogspot.com.br/

Oliveira disse...

Tinha vontade de ler esse livro, mas ter tantas gírias assim, não é algo que goste. Uma pena.

Andréia Renata disse...

É um bom livro e eu gostei, estou ansiosa pela continuação e pelo filme, mas realmente a quantidade de gírias incomoda e parece algo forçado para ficar mais aparente a diferença de épocas

marcia castro disse...

amei a resenha

http://livroseumamor.wordpress.com/

Giselle de Oliveira disse...

Acho que essa é a primeira resenha que leio sobre ele que não gostou do livro. Bom gosto é gosto e cada um tem o seu , eu gostei mas é assim mesmo. Estou muito ansiosa pela continuação e quero muito ler o outro livro da Carina.

Julia disse...

Não li esse livro mas quero ler o livro a sua resenha foi uma das poucas que vi que a pessoa não gostou do livro e gostei porque você deu outro ponto de vista mas a história parece ser bonitinha e ter essa pegada conto de fadas que é o que acaba chamando atenção e espero com todas as minha forças que a sofia não seja como você descreveu porque odeio essas personagens cheias de não me toque não gosto disso nem daquilo

Amanda T. disse...

Ah uma pena você não ter curtido :/ eu sempre escutei falar tão bem da autora, ambos os livros dela estão na minha listinha de desejados. Ganhei este em um TOP comentarista, espero conseguir lê-lo esse ano mesmo! Pelo menos agora estou com minhas expectativas controladas!

Beijos,
http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

Inês Gabriela A. disse...

Mas gente, primeira resenha "negativa" que leio desse livro e tenho que dizer que me identifiquei. Não com relação a esse livro, porque não li ainda, mas os pontos que você citou são coisas que eu sempre acho em livros de autores nacionais principiantes que me incomodam. Personagens forçados, estereotipados e tal. Não consigo gostar de coisas desse tipo e aprecio sua resenha sincera!

Thaís Melnik disse...

Quando fui lendo sua resenha comecei a me lembrar de outros livros que tem uma menina moderninha, independente, que não quer se casar, personagem comum. Já li outras resenhas que falavam sobre a autora, mas sempre ouvi bem. Esses detalhes do uso de muitas gírias também me irritam. É uma pena o livro ser razoável.

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela