"A Filha do Sangue" de Anne Bishop

segunda-feira, 21 de julho de 2014


Era poder demais. Nem os Sangue estavam destinados a deter tal poder. Nem a feiticeira jamais controlara todo esse poder. (Pág 53)
A pequena Jaenelle, futura Rainha e Feiticeira mais forte que jamais existiu finalmente chegou após centenas de anos depois de uma antiga profecia ser revelada sobre sua chegada. Em um mundo onde a magia é algo vital, as rainhas e feiticeiras é que o dominam e os homens mesmo os mais poderosos são seus subordinados. Os Sangue são uma raça de alta longevidade, poderosos, carregam a magia em sua essência e nasceram para honrar as Trevas. Seus poderes são definidos conforme as cores de suas joias que são lhes concedida em uma cerimônia poderosa. Quanto mais escura a joia, mais poderosa é a pessoa. 

Os Sangue estão sendo corrompidos e destruídos dentro de sua própria sociedade, pois no reinado da rainha Dorothea iniciou-se a escravidão dos machos fortes que controlados por anéis de obediência em torno do pênis, lhes dedicam total servidão senão quiserem enlouquecer de dor no órgão genital. Antes de Dorothea, os machos se dedicavam de corpo e alma por livre e espontânea vontade as suas rainhas se assim desejavam, mas agora são brutalizados na infância e corrompidos, obrigados a lhes satisfazer os desejos mais obscuros. Em um jogo de poder perigoso e fatal, os machos violentam jovens e futuras feiticeiras, quebrando-lhes completamente, deixando-as loucas por puro medo de seu domínio. Eles odeiam as mulheres. Apavoradas, as feiticeiras colocam anéis de obediência tentando conter a impetuosidade dos machos, forçando-lhes a lhes servir. 

Daemon e Lucivar Yaslana são o exemplo de machos poderosos que foram escravizados por Dorothea. Séculos e séculos de escravidão não foram suficientes para tornarem-os obedientes e fiéis, apesar de serem controlados pelo anel de obediência, a rainha e as feiticeiras os temem, mas também os desejam. Eles são poderosos por serem filhos de Saetan, Senhor Supremo do Inferno.

Suas esperanças residem na chegada da Feiticeira, aquela que trará a honra de volta aos Sangue com sua magia. Entretanto, Saetan, o Senhor Supremo do Inferno, não imaginava que a Feiticeira prometida estaria ainda presa em um corpo de criança e, por isso, facilmente manipulável e corruptível. Apesar do perigo, ele toma a decisão de ensinar-lhe, ser ser mestre e guardião e teme o dia em que as maquiavélicas rainhas Dorothea ou Hekatah descubram sua existência. 

Apesar de conter magia pura, Jaenelle não consegue se proteger da própria família que atribui seu jeito excêntrico a loucura e a interna em um hospital psiquiátrico infantil, onde ocorre atrocidades com as meninas internadas lá. Contando apenas com Saetan, Daemon e Lucivar, a menina precisará de toda a proteção de seus guardiões para se livrar da loucura ou da morte iminente.


A Filha do Sangue é uma leitura excepcional, original e completamente surpreendente. Foi extremamente difícil resenhá-lo, pois se trata de um livro rico em detalhes com muitos personagens e uma sociedade repleta de dogmas e hierarquias seja no mundo terreno ou no inferno. Entender o funcionamento da sociedade, a hierarquia e a função que cada um desempenha é fundamental para a compreensão da história. Para auxiliar a editora Arqueiro criou um resumo de personagens, hierarquias dos sangue/castas e a classificação das joias conforme a cor. Admito que precisei checar várias vezes para poder me situar na história, mas depois que eu me ambientei com a história, apreciei bastante a leitura.

Anne Bishop é uma autora surpreendente, pois ela conseguiu construir um mundo totalmente diferente de tudo o que eu já li. A sociedade dos Sangue está corrompida e vive entre os escombros do que fora no passado. A esperança de todos residia em uma profecia que revelava a chegada de uma poderosa Feiticeira que mudaria tudo, no entanto, séculos e séculos se passaram e nada, ninguém mais sequer lembrava. A escrita de Bishop é impetuosa, a brutalidade e a violência sexual são características fortes durante toda a história e ela não poupa detalhes. Inclusive, violência sexual contra crianças, incesto e mutilações são comuns. 

Seus personagens são riquíssimos, misteriosos, cheios de segredos obscuros, o bem e o mal coabitam neles, sendo o senso de justiça de alguns mais forte do que em outros e é isso que os define. Todos temem a Rainha Dorothea e sua corte de feiticeiras, elas são maquiavélicas e não veem limites para suas maldades, entre elas, quebrar / enlouquecer feiticeiras poderosas que poderiam colocar em risco o seu reinado. Jaenelle é encantadora, travessa e inteligente, seu poder não tem limites, mas ao mesmo tempo é inocente e ingênua. Apesar da brutalidade reinante durante toda a história, as passagens com a Jaenelle são bem mais suaves e até divertidas, pois ela consegue deixar Saetan e Daemon, dois homens experientes e com séculos de idade, completamente abismados e assustados com suas travessuras com a magia. Jaenelle não conhece limites, se ela pode fazer, não reflete sobre as consequências. E se não sabe, procura alguma pessoa que a ensine. E assim, ela conquista uma legião de admiradores e que dariam a vida para protegê-la. Daemon e Saetan também são personagens fascinantes. Principalmente, Daemon que ao que tudo indica aspira ser o consorte de Jaenelle quando ela tiver idade suficiente para ascender ao trono. Ele é perigoso, cruel e indomável, mas ao lado da menina, se torna atencioso e gentil. 

A diferença devia-se a Jaenelle e ás incontáveis maneiras que ela tinha de o deixar preocupado, intrigado, fascinado, encolerizado e encantado. Mais ainda, agora que esse período estava tão distante no tempo, ela estava lhe proporcionando - ao Sádico entediado e exausto - uma infância. Jaenelle coloria os dias de magia e de encantamento e Daemon via agora, como se fossem novidade, todas as coisas a que deixara de prestar atenção.

Eu estou ansiosa para ler a continuação da saga, pois o final do livro é de tirar o fôlego. Não é um livro fácil de ler, mas a genialidade da autora supera qualquer dificuldade. Recomendo a leitura!


Minha classificação para esse livro é de  5/6- "Excelente".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

A Filha do Sangue. Anne Bichop. Saída de Emergência Brasil, 2014, 432 p.


 As Joias Negras:
  • A Filha do Sangue #1;
  • Herdeira das Sombras #2;
  • Rainha das Trevas #3.

 

4 comentários:

Gih Pinheiro disse...

Não fazia ideia de que era disso que se tratava o livro, adorei! Ótima resenha. Beijos
http://gkastmaker.blogspot.com.br/

Agnes Cristy disse...

Amei a resenha e irei ler quando eu terminar o livro que estou atualmente lendo: " O codigo do apocalipse", super recomendo!

escritasdeverao.blogspot.com.br

Rayme disse...

deu para perceber que você gostou mesmo do livro eim! :P
já li muuuitas resenhas deste, mas como o gênero dele não faz muito o meu estilo, nem fico curiosa =/

Sara disse...

Huuumm.....
Não sei se gostei kkkk livros desse gênero tem que ter uma história muito "sei lá" pra eu gostar. É relativo kkkk Pelo que li não consegui me interessar muito, e ainda é saga/série, então complicado..... mas se eu pegar e ler vamos ver no que vai dar kkk e.e D:
beijos! :D :33

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela