"A Arma Escarlate", de Renata Ventura

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Porque ele é o Hugo! E o Hugo é indomável.
“Em uma entrevista com J. K. Rowling, autora da série Harry Potter, um fã norte-americano lhe perguntou se ela algum dia escreveria um livro sobre uma escola de bruxaria nos Estados Unidos. Ela respondeu que não, ‘... mas fique à vontade para escrever o seu’”. Foi assim, sentindo-se autorizada pela própria criadora da série mais famosa de todos os tempos, que a carioca Renata Ventura decidiu escrever sobre uma escola de magia no Rio de Janeiro.

Em “A Arma Escarlate” somos apresentados à escola de magia Notre Dame Do Korkovado, ou Nossa Senhora do Korkovado, em bom português (beijo, Viny!). Uma escola que, apesar de ser de magia, está no Brasil, portanto, tem tantas falhas quanto as escolas públicas “azêmolas” do país. Somos apresentados, também, ao nosso Harry Potter: o “favelado” Hugo Escarlate.

Chamar o Hugo de “nosso Harry Potter” é covardia. A inocência que emana do bruxo inglês por boa parte da saga falta ao nosso herói, garoto nascido e criado na favela Dona Marta em seus piores dias, quando o tráfico de drogas mandava na região; abandonado pelo pai e criado pela mãe solteira e pela avó, sempre sofrendo com a falta de professores na escola pública, menino vivido e experimentado nas dores de um adulto. Um simples garoto negro de 13 anos, que viveu muito mais experiências traumáticas do que muito adulto por aí.

Mas, vamos falar do livro, tentando não dizer muita coisa para não estragar as surpresas. Renata Ventura tem uma escrita certinha, redondinha, ousaria dizer, até mesmo, impecável. A história é bem amarrada, com os ganchos certos nas horas certas, o que te deixa absolutamente grudado nas páginas. A autora criou um mundo dentro do universo de Harry Potter, de certa forma, mas, ao mesmo tempo, muito diferente. Renata esbanja criatividade nas adaptações do mundo bruxo para as terras tupiniquins. Feitiços em latim? Não, iorubá, bantu e tupi. Salgueiro Lutador? Pé de Cachimbo! Beco Diagonal? Sub Saara, meu bem! E uma escola de magia inteirinha dentro do morro do Corcovado! É difícil escrever sobre A Arma Escarlate sem contar detalhes importantes da trama, pois o livro inteiro é uma surpresa e um deleite, à medida em que se vai lendo. Mas não apenas isso...

O livro é dividido em duas partes. Na primeira parte, somos apresentados à escola, aos personagens e à história de Hugo. Porém, na segunda, o livro ganha uma nuvem negra que paira acima de cada capítulo, transformando o coração do pobre leitor em uma confusão de sentimentos por vezes conflitantes. Raiva do protagonista. Ódio do bandido. Revolta. Dor. Incredulidade. Acho que não há adjetivo melhor para definir “A Arma Escarlate” do que brutal. Ou cruel. Nunca senti tamanha angústia ao ler um livro, juro a vocês! Não era medo, nervoso, excitação, nada disso. Era choque com os rumos que as coisas tomavam, incredulidade... Uma sensação sufocante! Estou tendo até dificuldade em escrever essa resenha no momento, porque ainda não consigo respirar direito, completamente tomada pelas emoções. Não digo isso por exagero: sou uma leitora bastante crítica e uma resenhista mais ainda. Quando digo que TÔ NO CHÃO, ROSANAAAAA! É porque estou no chão meeeeesmo!

Mas não se enganem, nada disso é uma crítica ruim. Muito pelo contrário! O livro é genial, incrível e está totalmente à altura da saga de J. K. Rowling. São mundos completamente diferentes, mas a “destruidora de corações”, como é considerada pela sua legião de fãs, conseguiu criar o seu com charme, criatividade e muito talento. O mundo mágico e brutal de Hugo Escarlate já entrou para a história das sagas inesquecíveis, tanto nacionais quanto internacionais. Não vou dizer “você que é fã de Harry Potter, leia esse livro”, não mesmo! Porque você não vai encontrar o mesmo mundo encantado da história inglesa. Você não vai encontrar o menino Harry, órfão inocente. Aqui é a terra do Pequeno Obá, de Hugo Escarlate. E o Hugo é indomável.


Minha classificação para esse livro é de  6/6- "Obra Prima".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

A Arma Escarlate. Ventura, Renata. Editora Novo Século, 2012, 488 p. 


 

8 comentários:

Ricardo Eletron disse...

Hugo é indomável é? Indomável mesmo é um cavalo que deu um bom coice na cara daquele nojentão do Hugo (não conheci ninguém que gostava dele). Cacete quer dizer que apesar de desse livro ser um tipo de harry potter que vive em favela, vende droga, mal caráter, sem carisma, com um péssimo roteiro vc vem dizer que gostou?! Porque vc não fala de uma vez a verdade pô, que está sentindo saudade do harry potter e não há outro livro melhor do tipo, e quando tem são péssimos livros, AAE não só apresenta referências toscas a outros livros e a cultura brasileira como possui diálogos bestas estilo sotaque paraíba e caipira, ilegível, assim como os seus feitiços, com os nomes mais feios do mundo. Pessoal não deixem esse livro toscão feito nas coxas fazer vc pensar que o Brasil só tem isso pra oferecer como drogas, miséria, atraso, e sub-desenvolvimento. Podemos ser mais que isso, só precisamos escrever como um estrangeiro. Rezo por todos vcs, e sonho que o Brasil vai melhorar muito em sua literatura.
Odeio A Arma escarlate QUERO COMÊ-LO NO CAFÉ DA MANHÃ!!!!!

Karine disse...

Olá, querido hater que vive para fiscalizar o livro da Renata, a.k.a Israel, tudo bem? Continua sem ter o que fazer mesmo, não é? Aqui em casa tem um cesto de roupa esperando pra ser lavada, que tal?
Bjs, abçs.

Ricardo Eletron disse...

hihihihihihihihihi. Vou bem, e vejo que hoje em dia minhas manifestações estão causando mais risos do que indignação, gostei, porque assim eu não estou mais rindo sozinho, ah isso é que é vida. Tem mais não posso lavar suas roupas porque depois vou vendê-las pro mercado negro, pra depois pagar todas as propinas pros policias, ok?

Vivian Rocha disse...

Gostei bastante do livro e dos ganchos... Só pela história em si eu não diria que o livro é bom, mas atraves da sua resenha vi outros pontos que achei legal... Não sei se compraria o livro, mas se tivesse a oportunidade lereia por ser de uma autora brasileira e saber como ela encaixou esse universo dentro do brasil...
Bjs

Gustavo Mendes disse...

Nossa fiquei apaixonado pelo livro. Sou super fã de Harry Potter, e como um bom fã não posso perder este livro. Indo para a lista de desejados !

Beijos

http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

Kris Oliveira disse...

Eu já havia visto esse livro mas até agora não havia tido muito interesse em fazer a leitura, mas a sua resenha levantou tantos pontos que o livro ficou mais atrativo na minha visão. Se eu tiver a oportunidade o lerei sim ^_^

Karine disse...

Olha, leia sim, leia mesmo. Falo de coração.

Karine disse...

Uhu!!! Kkkkkkkk. Se vc é fã não pode perder meeeesmo!

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela