"Tony & Susan" de Austin Wright

quinta-feira, 11 de setembro de 2014


Tenho o livro Tony & Susan há mais de um ano e, após a leitura, fiquei (também) me perguntando por que o livro ficou tanto tempo aguardando minha atenção. Descobri uma leitura densa, que mescla sentimentos diversos e aponta para os nossos medos, dos reais aos mais escondidos, aqueles que não queremos enfrentar. Talvez esteja aí a resposta: a intuição me levou à leitura no momento certo.

Ao contrário do que possa parecer, o título do livro não se refere a um casal. Tony é personagem de um livro e Susan é a leitora voraz. Dessa forma, Susan se conecta a Tony ao questionar suas decisões e passividade diante de fatos tão cruéis. Na verdade, Tony conduz Susan a uma reflexão sobre sua própria vida, como muitas vezes os personagens de um livro fazem conosco, leitores. Quem nunca se identificou, sofreu, torceu e até chorou ao lado de um personagem incrível? Ou ainda, reconheceu nele suas dificuldades e fraquezas, e por isso sentiu aversão ou compaixão (negação das sombras ou condescendência)?

De noite, Susan lê; prefere isso a ver televisão. Lê a fim de afastar seus pensamentos de si mesma. (p. 8)

Susan é uma dedicada mãe de família, casada com Arnold, médico, tem três filhos e trabalha como professora de Inglês. Vive confortavelmente e aceita a rotina que um casamento longo lhe impôs. Há vinte e cinco anos separou-se de Edward, que tentou ser escritor e acabou desistindo do sonho. Agora, tanto tempo depois, Edward lhe envia o manuscrito de seu primeiro romance para que avalie, já que a considera sua melhor crítica.

O livro de Edward – Animais Noturnos – compreende a maior parte da leitura, intercalado com as observações de Susan (ao começar e findar um capítulo) e alguns flashbacks, quando Susan relembra sua juventude ao lado de Edward, o casamento fracassado e a chegada de Arnold, atual marido, à sua vida. 

Durante a Leitura, Susan descobre um talentoso escritor no até então desacreditado Edward, agora maduro e contando uma trama de alta voltagem. Tony, personagem principal de Animais Noturnos, é um professor universitário que encontra o terror numa viagem com a esposa e a filha. Há muita tensão e suspense nessa escrita, tive medo em vários momentos e me perguntava, exatamente como Susan fez: o que será que vem pela frente? Impotente diante do drama que está vivendo, Tony encanta e amedronta Susan na mesma intensidade. Estaria Edward tentando dizer algo à ex-mulher? 

Entre os afazeres domésticos e o cuidado com os filhos, Susan avança na leitura com curiosidade e paixão, deliciando o leitor com suas pausas reflexivas sobre o que acaba de ler, numa (re)descoberta de si mesma, os caminhos que escolheu na vida (como Tony), a constatação de seus erros e a passividade diante do que lhe desagrada, recusando sair de sua zona de conforto. É o momento de Tony e Susan, juntos (para deleite do leitor mais aplicado), expurgarem seus medos. Nas palavras do autor, “a precariedade de nossas vidas bem protegidas.” Assim, Susan passa a ser o olhar do leitor que encontra um livro cheio de significados para a própria vida... enquanto Tony e Susan se misturam e quase se confundem diante do leitor.

Mais uma vez encontro um livro que avisa: não é para qualquer leitor. É preciso atenção à narrativa, há muito a considerar nas entrelinhas, numa genial sacada do autor, que instiga o leitor com o drama pessoal de Susan enquanto Edward provoca Susan através de Tony. Curioso como Austin Wright escreve de maneira distinta de Edward (seu próprio personagem), numa prosa perspicaz que solicita do leitor muita astúcia e sensibilidade. 

Ontem, ao final da leitura, achei que classificaria a leitura entre quatro e cinco estrelas. Será que meus fantasmas me impediram de atribuir mais valor à obra? (Mais uma reflexão anotada). Nada que uma noite bem dormida e uma história bem digerida entre uma e outra virada no travesseiro não reconsiderasse: amanheci com as cinco estrelas brilhando, em deferência à elegância da escrita de Wright. E todas as emoções que despertou em mim.


Minha classificação para esse livro é de  5/6- "Excelente".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

Tony & Susan. Wright, Austin. Editora Intrínseca, 2011, 336 p. 



13 comentários:

Rayme disse...

Oii Manuh
fiquei encantada com a sua resenha! já vi este livro incontáveis vezes em promoção, mas nunca tive coragem de comprar por não ter lido nada sobre ele.
imaginava uma história totalmente diferente! não tinha lido a sinopse dele, mas pela capa me fazia pensar em algo diferente, não sei explicar hahaha
fiquei curiosa pela trama sim! é algo comum que acontece com nós, leitores, né hahaha

Gustavo Mendes disse...

Que resenha maravilhosa. Eu fiquei extremamente apaixonado pelo livro, ainda mais por ser um livro com uma história que eu nunca tinha visto antes. Livros que nos fazem enfrentar nossos medos são os melhores, por nos fazerem refletir sobre o que somos e o que nos tornamos.

Ah e a capa é encantadora, diferente de tudo que eu já vi !

Beijos

http://ummundochamadolivros.blogspot.com.br/

Daniela Tiemi disse...

Oi, Manu! Bem-vinda ao LF&M. Gostei mto da sua resenha, ja tinha visto esse livro, mas nao sabia sobre oq se tratava. Gostei da premissa e acho q eh uma leitura que vou apreciar. Bjos.

Kris Oliveira disse...

Eu não conhecia o livro, gostei da capa, bem peculiar.
Adorei a sua resenha muito intensa, quase passou a nós todo sentimento que o livro passou a você.
beijos

Raquel Araujo disse...

Oi Dominique, tudo bem?


Estou conhecendo o seu blog agora. Parabéns pelo seu trabalho. =) Muitos livros eu preciso refletir um pouco para me entender, para saber o meu sentimento pelo livro. Foi assim com Esperança. Confesso que Tony e Susan, apesar de já ter visto resenhas e em exposição nas livrarias, nunca me chamou a atenção. Mas gostei bastante da sua resenha. Espero que o livro me surpreenda


beijos
Kel
www.porumaboaleitura.com.br

Lia Christo disse...

Oi Manu, que resenha perfeita!
Eu não conhecia o livro, mas achei a premissa da história bem interessante.
É muito bom quando nos deparamos com textos bem escritos e que nos façam pensar e interagir com a história.
Valeu pela dica. Bjus
Lia Christo
www.docesletras.com.br

giovana diniz disse...

Oi, tudo bem?

Eu não me interessei muito pelo livro, não faz meu gênero, mas que bom que gostou.

http://fonte-da-leitura.blogspot.com.br/

Elis Culceag disse...

Uau Manuh, que leitura louca!! Através de seus olhos, fiquei mega interessada nesse enredo, será que eu negaria meus medos ou seria condescendente com a Susan??
Ótima resenha =)
Beijos... Elis Culceag.
www.arquivopassional.com

Vivian Rocha disse...

Oi Manuh!
Apesar de todos os seus elogios não senti vontade de ler o livro, mas como você mesma disse não é pra qualquer tipo de leitor, como é uma leitura densa e que exigi atenção nem todo mundo acaba gostando :/
Achei o livro meio complexo para a minha pessoa rsrsrs
Bjs

BEmpoeirada disse...

Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas parece ser bom mesmo. Gosto de livros que instigam o leitor, nos obrigam a prestar mais atenção e nos trazem uma boa reflexão. É aquele tipo gostoso de leitura que ao mesmo tempo acrescenta, e você falou tãooooooo bem desse livro que não tem como não colocar na listinha né?!
Gostei muito mesmo da proposta e fiquei super interessada pela leitura. Adoro quando deixamos alguns livros de lado e depois temos uma bela surpresa. E uma pena o fato da editora não ter dado muito crédito ao livro, porque eu nunca nem tinha ouvido falar.

Ótima resenha Manu, agora vou ali comprar esse livro ;)

Bjks

Lara Lange disse...

Oi Manuuh!

naaaaaaaao conhecia o livro MESMO! mas parece ser um livro que deve ser lido com calma. que temos que ir nos entregando a leitura e nos envolvendo com ela...!

acho que mesmo com todo seu carinho pelo livro, não é algo que me chama a atenção agora. mas deve ser uma ótima pedida para minha mãe - o bom de dar livros à ela, que quando a vontade de ler algo diferente assim o livro já tá ali {hihi}.

nunca tinha visto uma proposta dessas e é bem sedutora, para nós, as leitoras vorazes de plantão..

Um beeijo Lara.

Blog Meus Mundos no Mundo | | Página Coração Furta-Cor

Bianca Martins disse...

Q lindo!
Adoro livros profundos assim. Principalmente qnd tenho tempo p poder digeri-lo com atenção e calma.
Eu n conhecei esse livro mas agora com certeza ele vai p a minha lista de desejados.
Amei a capa e o enredo!

Wal Bandeira disse...

Eu tenho este livro aqui ja a algum tempo, mas fico me enrolando para le lo rs,
nossa ele é mais profundo do que eu acreditava que seria, eu jurava que era um romance fofinho de um casal e descubro que fala da vida..e não somente um romance, logo começo a leitura do meu,
beijos.

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela