"A Última Chance" de Karen Kingsbury

domingo, 30 de novembro de 2014




Quando iniciei a leitura de A Última Chance, eu não imaginava que iria me emocionar e me identificar tanto com os personagens. A princípio, a história criada por Karen Kingsbury lembrou bastante os romances do Nicholas Sparks, entretanto, conforme fui avançando na leitura ficou claro que a autora tem uma característica própria de escrever e conquistar seus leitores.

Ellen é uma garota de apenas quinze anos, mas que passará por provações e dificuldades que adolescente nenhuma deveria passar. Ela mora com os pais, estuda em um colégio que adora, mas principalmente, tem o melhor amigo do mundo - Nolan, também seu primeiro amor. Eles são inseparáveis e sabem tudo a respeito do outro, não precisam de palavras para se entender, apenas um olhar. Por isso, Nolan tem a certeza de que quando crescerem, eles irão se casar com a permissão dos pais e de Deus. 

Entretanto, o destino os separou irrevogavelmente quando os pais de Ellie se separam devido a infidelidade conjugal. Para punir a esposa, o pai de Ellie a leva para outro estado, longe de tudo o que a filha mais ama - a mãe e Nolan. 

Um dia antes de partir, Ellie e Nolan escrevem uma carta um para o outro e enterram debaixo de uma árvore que eles costumam sentar para conversar e passar tempo. O plano é eles se reencontraram dali a onze anos e lerem o que escreveram e se o destino os separou realmente, eles terem uma última chance de tornar realidade os sentimentos que nutrem em seus corações. 

Karen Kingsbury construiu uma história magnífica onde o amor, a fé e a esperança andam de mãos dadas. Seus personagens são extremamente humanos e falhos, mas devotos de coração e alma a Jesus e a Deus. Não costumo ler histórias onde a religiosidade dos personagens é tão explorada no sentido de cada ação diária ser voltada a Deus e suas crenças e como essa fé inabalável modifica-lhes o rumo de seus destinos.

Nolan é o mais devoto e crente a Deus da história. Mais tarde, quando ele se torna um famoso jogador de basquete, ele não somente é conhecido por seu talento, mas também por sua fé em Deus e pelos trabalhos assistenciais do qual faz parte. Em contrapartida quando Ellie se afasta abruptamente de tudo o que lhe é mais caro, ela se afasta da igreja e perde a fé na vida, nos seus sonhos e em si mesma. Ela sente uma profunda mágoa do seu pai e de sua mãe e de como as falhas dos dois interferiram na sua vida. 

A autora tem uma sensibilidade incrível para aliar um romance lindo e inspirador com religiosidade sem cair na pieguisse. O que mais me chamou atenção foi como ela trabalhou a questão do fanatismo representado pelo pai de Ellie, que usava a bíblia como uma "arma" contra sua esposa e sua filha, tratando-as como subordinadas e sempre as sufocando e ameaçando que elas iriam para o inferno se agissem dessa ou daquela forma. A reviravolta na vida dessa família separada pelas circunstâncias da vida é simplesmente sublime. 

Detalhe: não sou evangélica, nem católica, mas essa história é realmente bonita e vale muito a pena ser lida. Lycia Barros, autora brasileira de A Bandeja - Qual pecado te seduz? também costuma aliar um romance arrebatador com a fé e a religiosidade presente na vida de seus personagens. Foi por causa desses aspectos que a semelhança com Nicholas Sparks foi bastante intensa. 

Amor, fé, esperança, perdão! Essa também é uma história sobre perdoar tanto a quem nos prejudicou quanto a si mesmo pelas falhas cometidas. Uma história sobre recomeços e não perder nunca a fé sobretudo nos momentos de dificuldades! 


Minha classificação para esse livro é de  4/6- "Muito Bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

A última chance. Kingsbury, Karen. Editora Verus, 2014, 336 p.



9 comentários:

Rayme disse...

ah, parece ser uma história de amor linda demais! *-*
fiquei super curiosa para ler ele. confesso que a capa me fez pensar que seria um romance histórico, mas ainda assim fiquei curiosa hehe
adorei esta capa. super a cara da trama mesmo! :P

Any disse...

Não ouvi falar desse livro nem dessa autora,
também não costumo ler livros com o foco na religiosidade, mas pela resenha, A
Última Carta parece ser interessante; o livro pra mim tendo romance já tá
valendo. O amor entre Ellen e Nolan parece ser tão meigo na adolescência, tão
perfeito...

Flávia Pachêco disse...

Os nomes dos protagonistas me lembraram os de Diário de Uma Paixão! E eu gostei logo pela capa e pelo título. Que capa mais fofa, com ar de magia sabe, amei *-*
Eu PRECISO ler esse livro. Duas coisas que amo: romance e religiosidade. Em um livro só. Eu ja conhecia a Lycia e os livros dela parecem ser muito bons também! To indo comprar esse livro, tchau.

Jois Duarte disse...

A capa é linda. Simples e linda.
Olha, tbm não costumo ler histórias que sejam focadas na religiosidade de cada um... não gosto de coisas extremas.
Mas gostei do que li, da provação que passaram.

drielymeira disse...

Não conhecia o livro, mas não fiquei muito curiosa para lê-lo. A capa é bonita e chamou a minha atenção, mas a história em si não.

Georgia Germer disse...

Meu receio com estes livros é que parece uma leitura um tanto lenta e nada dinâmica. Mesmo com a nota da classificação alta, não sei se eu encaro.

Iuana Karin disse...

Linda História, vale a pena ler o livro, Escritora toca em assuntos com esperança, fé, amor verdadeiro e contra-tempos. Muito inteligente em suas colocações, faz a gente não largar o livro.

ana caroline bastos disse...

Gostei muito da resenha, achei bem diferente um romance que é meio religioso, fiquei com vontade de ler.Antes quando vi a capa , pensei que fosse sobre um romance histórico.

Gladys Sena disse...

Esse livro me chamou a atenção quando vi a capa. Achei bem bonitinha e cheia de significado, apesar de não saber qual, rsrs.
Curtir o enredo, gosto de tramas que emocionam.
Bj.

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela