"De Repente, Ana", de Marina Carvalho

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Dessa vez, pousar em Perla implicava outras coisas. Eu seria obrigada a lidar com uma realidade mil vezes mais assustadora do que as incertezas de ser ou não bem recebida nas terras de meu pai.

Ana Carina Bernardes Markov, nossa princesa mineirinha da Krósvia favorita está de volta! Depois da história digna de contos de fadas e do final feliz do primeiro livro, com direito a príncipe encantado e tudo, um novo desafio mostra que essa aventura toda pode não ser o mar de rosas que se poderia imaginar, como vocês podem ver na frase acima.

A vida é boa, nossa mocinha tem um namorado lindo, maravilhoso e apaixonado, um emprego na embaixada da Krósvia, um trabalho voluntário delicioso com as meninas do Lar Irmã Celeste e tudo flui às mil maravilhas. Até que em um belo dia, durante suas férias no Brasil, recebe a notícia de que seu pai, o rei Andrej, sofreu um acidente de helicóptero e está em estado grave. Ana, então, precisa reunir forças para voltar à Krósvia e assumir seu lugar como princesa regente do país enquanto seu pai está em coma. Além disso tudo, do medo de perder o pai recém descoberto, do medo de falhar como rainha e todas as implicações que o novo cargo traz, ela ainda terá que lidar com uma desagradável figura que volta para assombrar seu relacionamento com Alex.

Quando soube que nesse livro Ana teria que dar uma de "rainha", achei que seria muito legal. Queria ver como a mineirinha simpática e bem-humorada se sairia no papel de regente de uma nação europeia. Essa parte, porém, deixou a desejar para mim. Esperava mais da situação, esperava vê-la ter que lidar com toda a etiqueta que envolveria o cargo, os protocolos, as crises e tensões políticas. Tudo isso aparece, mas de modo muito superficial, e vemos uma Ana cansada demais, trabalhando demais, mas vemos pouco em que ela está trabalhando.

Outra coisa que me deixou um pouco incomodada: os capítulos narrados pelo Alex. A ideia foi excelente, mas me incomodou muito o linguajar dele. Primeiro, o uso de expressões e palavrões tipicamente brasileiros. Segundo: nada disso condiz com a posição que ele tem. Bem ou mal, ele é filho de uma rainha, mesmo que tenha nascido antes que ela fosse coroada, mas viveu no palácio quase toda a vida, foi criado pelo rei como um filho. Seria de esperar um pouquinho mais de classe no seu modo de contar sua visão da história.

O humor que me cativou em Simplesmente Ana está lá, graças a Deus! A protagonista continua bem humorada, simples e sem mimimi (coisa que eu AMO nela!). No meio desa profusão de livros adolescentes, ler uma história com um casal apaixonado, maduro e bem resolvido é um bálsamo, nos faz colocar o pé no chão. Até as crises de ciúme e os problemas relacionados à famigerada Laika a.k.a Nome de Cachorro são completamente aceitáveis, por fazerem parte de todo relacionamento saudável. Isso não faz de Ana uma insegura e ciumenta, mas uma mulher normal, como todas nós. A sequência final também é digna de nota, pois vemos uma consequência real e perigosa da posição de Ana, e que dá uma movimentada muito boa. E, como em todo conto de fadas, o final feliz está lá, lindo e surpreendente, com um epílogo delicioso que nos mostra o futuro dos personagens.

O saldo da saga de Ana Markov termina totalmente positivo. O primeiro livro, encantador e surpreendente na sua simplicidade e o segundo, uma continuação bem bolada e bem vinda são boas surpresas no cenário da literatura nacional. Uma história de princesas bem brasileira, ou, melhor dizendo, bem mineira, pois Marina Carvalho consegue expressar sua mineirice através da personagem, e é uma delícia ler expressões típicas do estado e pratos típicos da culinária local (essa parte é bem pessoal, visto que sou filha e neta de mineiros. Rsrs). Marina mostrou que veio para arrasar, e já imprimiu seu nome na literatura atual.

Minha classificação para esse livro é de 3/6- "Bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.
                                                                              
De Repente, Ana. Carvalho, Marina. Editora Novo Conceito, 2014, 320 p. 


17 comentários:

Rayme disse...

eu li este livro não faz muito tempo e adorei a trama. adorei os caminhos que a Marina seguiu nesta nova fase da vida da Ana. quanto aos capítulos do Alex, também senti esses mesmos incômodos que você comentou. não achei digno de sua posição social mesmo...
a autora é uma fofa mesmo, e transparece muito a sua mineirice mesmo. acho isso o mais incrível nas obras da autora. ela merece todo o sucesso que está recebendo, é uma autora incrível! *-*

Marcela E. disse...

Ainda não tive a oportunidade de ler De Repente Ana, mas gostei muito do primeiro. Marina Carvalho me fez sentir como num conto de fadas, e espero poder viver isso de novo no segundo volume!
Abraços,
My Little Wonderland - http://wonderlandmundodoslivros.blogspot.com.br/

Karine disse...

Então corra pra ler que vc vai gostar!

Karine disse...

Que bom que não fui a única a achar. Fico sempre com medo de ser linchada. Kkkkkkkkk

Any disse...

Como eu costumo dizer, é muito difícil você gostar de todos os livros de uma série, sempre vai ter um que vai deixar a desejar.... Simplesmente Ana parece ser mais interessante do que De repente Ana.
A autora, com sua narrativa nos faz embarcar num belíssimo conto de fadas brasileiro. Espero que Marina vem pra ficar!

Também acho que a atitude do Alex não condiz com o seu papel como príncipe, afinal, pra que palavrões, cadê a educação real!?

Bjos !

Karine disse...

Então comece por Simplesmente Ana, o primeiro, É meio Mia mesmo, mas a Ana tem um jeitinho mineiro que dá um tempero todo especial!

Karine disse...

Pois é, geralmente quando há um livro muito bom e vem outro em seguida... Parece que foi algo feito mais pra aproveitar o sucesso do primeiro, mas aí a magia diminui. O mesmo com os filmes.

Flávia Pachêco disse...

Gentemmm, a Marina é uma fofuraaaa, a simpatia em pessoa! Eu a vi na Bienal aqui de SP e foi super atenciosa com todos, uma pena que na época eu não a conhecia muito bem então nem fui falar com ela nem pegar autógrafo :( Mas agora ja comprei um de seus livros, o Azul da Cor do Mar, que parece ser muito meigo. E to com muita vontade de conhecer a história da Ana também! É bom saber que ela é madura, o casal também. Mas fiquei triste de saber do linguajar do Alex :/ Não gosto quando tem palavrões em livros. Mesmo assim ja ta na minha listinha de desejados <3

drielymeira disse...

Ainda não li Simplesmente Ana, mas depois de ver taantos elogios, o coloquei na listinha de desejados. Vejo que muita gente gosta da escrita da Marina, e mal vejo a hora de conhecê-la também :)

ana caroline bastos disse...

Foi lançado De repente mesmo, pois nem divulgaram tanto quanto foi o primeiro, achei uma sequência desnecessária , pois as amigas que leram, nem gostaram tanto, acho que nem é bom lançar nesse caso pois "acaba" aquela imagem perfeita do primeiro livro.

Karine disse...

Exatamente isso! Acaba estragando uma coisa que já era perfeita.

Karine disse...

Então deixe-o na sua listinha, vc vai adorar! Depois me diz o que achou.

Karine disse...

Não tive a oportunidade de conhecê-la em Sampa, pq tava muito cheio, o stand dela tava lotado e ela, rodeada de gente. Mas mesmo no Face ela é uma simpatia,
Quanto aos palavrões, fique tranquila que são poucos, bem poucos. ;-)

Georgia Germer disse...

Que demais poder ler e conhecer mais sobre a nossa cultura em livros como este, além de ser um orgulho termos autores tão talentosos!
Sucesso à Marina!

Gladys Sena disse...

Conheci a autora na bienal daqui e a achei muito simpática.
Tenho Simplesmente Ana e ainda não o li, :(
Bom saber que a continuação está de qualidade.
Bj.

Karine disse...

Não consegui vê-la, tinha muita gente em volta lá na Bienal. Vou ver se esse ano aqui no Rio consigo.

Karine disse...

Né? Orgulho MASTER!

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela