{Filmes} Velozes e Furiosos 7

quinta-feira, 23 de abril de 2015


Na moral, só de ver esse cartaz eu choro. E esse é o mote principal do filme Velozes e Furiosos 7: a melancolia. Além das deliciosas mentiras que a gente ama.

Carros velozes, tiro, porrada e bomba. E gatos sarados. E mulheres gostosas (pra quem gosta da Michelle Rodrigez, que acho bem feinha. Fico com a Ronda "musa matadora porradeira" Rousey) com direito a close em 3D nos traseiros rebolativos (desnecessário, na minha opinião... u.u). O que mais a gente pode querer num filme de ação? Pra que diálogos profundos, uma história complexa e verossimilhança? O que importa é se divertir. E chorar uns baldes também.

Confesso: fui ao cinema mais por motivos de Paul Walker. E confesso ainda que chorei igual criança desmamada com o final lindo/triste que deram para o personagem do ator, que morreu ano passado num acidente de carro (irônico, né? Em um momento do filme ele fala que carro não voa, e eu quase perdi a compostura e me debulhei em um choro convulsivo. PQ O SEU NÃO VOOU, CACETE??? VOLTA, PAUL!) Enfim, quanto à falta do ator que deixou algumas cenas sem gravar, não dá pra notar. Os irmãos dele, que têm um tipo físico bem parecido, participaram das gravações usando aqueles pontos no rosto que servem pra inserir a imagem do ator depois por computador (não manjo dessas tecnologias, me processem). Percebi apenas em algumas cenas, como na ação final, um certo jogo de câmeras, de sombras, nos quais quase não dá pra ver mesmo o rosto da pessoa. E no final também, que só de escrever dá vontade de chorar... Enfim, foi emocionante a saída que deram ao personagem, e a homenagem merecida faz chorar mesmo. Eu não sou de chorar com filmes e livros, mas nesse, por ser uma coisa real, tipo, sabemos que o ator morreu de forma tão trágica, tão jovem... É muito triste, não tem como não se emocionar. Você vê a emoção no rosto dos atores, principalmente o Vin Diesel, que sentiu horrores a morte do amigo. O filme todo acaba ficando com essa aura de melancolia, uma pontadinha de tristeza.

Agora vamos falar de ação. Ação é o que não falta! A franquia é famosa pelas cenas de ação incríveis e cada vez mais mentirosas também. Sim, é muita mentira. Foi difícil para a Dô e para mim eleger uma mais mentirosa, porque todas são difíceis de acreditar. Mas o mais legal é que a gente gosta! Eu roía as unhas de um modo que não fazia desde "O Senhor dos Anéis - O Retorno do Rei" (não tinha lido os livros ainda e tremia de nervoso na sala do cinema!). Eu sempre reclamo da falta de verossimilhança, mas nesse caso não dá pra reclamar: é muito divertido! Tem carro voando entre prédios, tem carro capotando de penhasco, batendo de frente, caindo e gente saindo ilesa de dentro. Aprendi que, se você for o Dwayne Johnson, você não precisa de enfermeiro pra retirar seu gesso, e nem de fisioterapia: é só estufar os músculos e estalar os ossinhos que pronto! Vamos pra guerra! Chega a ser ridículo reclamar das mentiras; em se tratando de Vin Diesel e companhia, a gente deixa.

Quanto à história, trata-se de uma vingança. O irmão do vilão do sexto filme, vivido pelo Luke "tudodibão" Evans, vai atrás da equipe do Dom a fim de, assim como o demônio, matar e destruir tudo. E o cara é uma máquina de fazer isso. O personagem, vivido por Jason Statham, é o item que amarra todos os filmes, desde "Desafio em Tóquio" e deixa tudo explicadinho. Para ajudar os heróis, que também querem vingança depois dos acontecimentos do terceiro filme, o personagem de Val Kilmer (parênteses aqui pra gritar COMO ELE TÁ VELHO, MEU DEEEEEEUS!) surge como uma bem-vinda mãozinha governamental e tecnológica. E tem outros personagens que aparecem para incrementar a trama. O final sugere possíveis continuações, talvez não com os mesmos personagens, mas na mesma franquia. Somente um deles não estará presente...

Como eu disse no início dessa resenha, a saída para o ex-agente Brian foi muito digna, emocionante e bonita. Fugiu um pouco dos velhos clichês geralmente inventados para esse fim. A homenagem foi belíssima e me fez sair do cinema passando vergonha, com o rosto lavado de lágrimas. Velozes e Furiosos 7 veio para divertir, mas também para arrasar com nosso coração.

Esteja em paz, Paul.

Um comentário:

Any disse...

É muita mentira mesmo, mas mentira fantástica!! Também fiquei impressionada pela morte do Pual... Ainda não assisti a esse filme, mas pretendo futuramente!
Bjos!

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela