"Filhos de Lilith - O Despertar", de Elaine Velasco

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Imaginem como seria a Terra, se as criaturas da noite, predadores naturais para os humanos, não existissem? Seria o caos, o planeta logo seria consumido e destruído por essas criaturas cada vez mais ávidas por poder e consumo. Vocês têm o direito de existir e, mais ainda, de resistir!"
O Despertar é o primeiro livro da série Filhos de Lilith e primeiro livro publicado pelo novo selo Madras Teen, da Editora Madras, famosa por livros exotéricos e ligados ao sobrenatural. O novo selo foi lançado muito recentemente, e o Livros, Filmes e Músicas teve a honra de ser escolhido como um dos blogs parceiros! A autora, Elaine Velasco, tem outros livros publicados, e este pode ser considerado um spin off de sua trilogia anterior, Limiar. Apesar disso, não há necessidade de se ler a história anterior, dá para entender de boas a história de Alice, uma garota que acordou uma bela noite sem saber quem era e, principalmente, o que é agora.

Ao som da apropriada canção Vampire, da banda Xandria, começo a escrever essa resenha dizendo: VAMPIROS!!!! Cês sabem que eu amo vampiros, histórias de vampiros, músicas de vampiros, filmes de vampiros e... Tá, já deu pra entender. O que nós, amantes dos sugadores de sangue tínhamos carência, principalmente depois do fenômeno Crepúsculo e seus vampiros vegetarianos human friendly era de vampiros realmente badasses, daqueles que botam pra foder (literalmente, inclusive) geral, que bebem sangue sem mimimi, sem remorso, sem culpa! Daqueles que são "viciados" em prazer, sangue e morte. Desses que vivem la vida loca mesmo, usufruindo de tudo o que seus poderes têm a oferecer, mesmo que os meios sejam pouco ou nada ortodoxos e éticos. Mesmo que alguns tenham como filosofia apenas matar os maus (preciso abrir aqui um parênteses pra contar um spoiler pequenininho. Imagine uma horda de vampiros invadindo uma clínica clandestina de aborto, sedentos de sangue e de matar gente malvada. Bom, EU sou totalmente contra o aborto, e ri feito uma idiota dentro do ônibus enquanto lia essa cena. Eu sei, desejar a morte cruel e agonizante de qualquer pessoa é errado. Mas eu bem que gostei.). Os vampiros desse livro chegam bem próximo da maioria das lendas consideradas corretas (nada de brilhar no sol e tals...): eles podem comer (mas não devem), podem beber e até podem ficar acordados durante o dia, contanto que não ao sol, porque aí já é querer demais. Esses vampiros são quase... humanos. Eles dirigem carros, usam tecnologia, têm apartamentos legais, choram, sentem dor... Embora, claaaaaro, tenham seus poderes fodásticos que todo mundo ama. Agora, junte a esses vampiros súcubos e íncubos e anjos caídos... Bem, teremos um livro repleto de sangue e sexo. FUCK YEAH!

Alice Layil é a protagonista, e ao contrário de sua xará de Resident Evil, não se lembra de nada. Só sabe que, agora, teme a luz, tem sede de sangue e prazer. Em seu caminho pela redescoberta de si mesma e do mistério que envolve a si e à sua família, encontra alguns personagens interessantes como Carol, uma vampira mais antiga que vira sua BFF e João Eduardo, um vampiro magia delícia com pinta de galã mexicano. O encontro com esses dois a coloca no meio de dois clãs de vampiros poderosíssimos: o de Sebastian, íncubo criador de Carol e Victor, líder dos Filhos de Lilith, clã rival que serve à deusa dos bruxos e vampiros, Lilith, primeira esposa de Adão e senhora do inferno. É, eu sei, aterrorizante. E não posso me esquecer de Batharyal, o anjo caído que surge pra acabar de derrubar os forninhos infernais e Alejandro, íncubo e música da Lady Gaga (canta comigo "Don't call my name, don't call my name, Alejandro... Ale-Alejandro, Ale-Alejandro..." Não resisti. Procura no Youtube) o misterioso criador de Alice.

O livro é bem pequeno, só 160 páginas. Não curto muito livros grandes que enchem linguiça, mas alguns realmente merecem ser maiores! Fica um gosto de "podia ter mais". Quando você vai ver, puff, acabou e você ficou ali dentro daquele ônibus em direção a Duque de Caxias com cara de WTF, pelamordeLilith, não faz isso comigo! Não pode acabar assim, cacete! Mas acabou. E você vai ter que esperar pelo próximo pacientemente, mesmo que o final tenha sido daqueles que merecem um palavrão dito bem alto, tipo CA****OOOOOOW! O livro é ágil, de fácil leitura, os acontecimentos vão se desenrolando normalmente, e calmamente, apesar de ser um livro pequeno, e a trama é bem construída e amarrada, tudo convergindo lindamente para aquele final PQP PQ FAS ISSU? Para quem gosta, como eu disse antes, o livro é violento, bem sangrento e tem bastante sexo, mas nada é gratuito por se tratar exatamente de vampiros e demônios sexuais (íncubos e súcubos) e por tudo fazer parte das novas descobertas de Alice sobre sua nova condição. A própria Alice é uma personagem interessante, e apesar de ser uma novata, não é uma chata, é forte, tem personalidade, e vai aprendendo conforme a história avança. Algumas menções à sua família te deixam curioso na medida certa para ler os outros livros da autora, mas não a ponto de te deixar confuso, o que é muito legal! Fisicamente falando, a capa é linda, de papel brilhante e a diagramação é simples e elegante, embora algumas páginas tenham vindo um pouquiiiiiiiinho tortas (mas você nem nota depois que mergulha na história, juro!) e alguns errinhos tenham passado pela revisão.


Super recomendo Filhos de Lilith, pois é um livro rápido e envolvente ao extremo, e que vai te deixar com um gostinho de quero mais, tanto de saber mais sobre o passado quanto para saber sobre o futuro. Pra quem gosta de vampiros tradicionais e outros seres infernais (rima não-proposital, desculpem), essa é uma boa pedida. Você pode adquirir seu livro pelo site da Madras Teen e ficar sabendo das novidades também pelo Facebook. Aproveite! Mergulhe nesse mundo sombrio e sangrento, de anjos, demônios e vampiros!

- Ei, mas as mulheres são donas de seus corpos e podem fazer deles o que quiserem - defendeu Carol.
- De seus corpos sim, mas os corpos de seus filhos não lhes pertence. Mesmo sendo assassinos por natureza, nem mesmo nós vampiros podemos suportar a ideia de uma mulher que mata seu próprio filho. É algo errado, que vai contra todas as leis da natureza. Em nenhuma outra espécie a mãe mata o próprio filho, saudável, ainda em seu ventre. Isso é uma brutalidade sem precedentes. A criança não tem como se defender daquela que deveria amá-la e protegê-la, acima de tudo.
João Eduardo me representa. <3

Minha classificação para esse livro é de  5/6- "Excelente".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

Filhos de Lilith - O Despertar, Velasco, Elaine. Madras Teen, 2015, 160 p.


10 comentários:

Emanoelle Souza disse...

ai eu gostei, adoro historias de vampiros e outros serem fantásticos digamos assim, adorei a resenha, nao conhecia esse livro nem a autora mas já gostei e to ansiosa pra ler.

Maisanara F. disse...

Nossa, agora fiquei sem o que falar. Estava pensando que era um livro só de vampiros no começo da resenha, mas depois ainda descubro que tem anjos caídos! Caramba, agora quero ler!!!

Karine disse...

Anjos caídos, íncubos, súcubos, a parada toda, amiga!

Karine disse...

Então dá uma olhada lá no Facebook, no link que eu coloquei. ;-)

Nadja disse...

Cara! Passada com sua resenha! Super parabéns!!! Li e gostei muito do livro embora não tenha conseguido me expressar tão bem! 😀😀😀

Beijos!!!

Www.escrevarte.com.br

Any disse...

Kkkkkk a entrada da música da Lady Gaga foi hilária! Kkkkkk Ameiiii a resenha, Karine!
Acho horrível quando o livro termina na melhor parte, e como não tenho paciência para esperar o próximo volume ser lançado, ficaria contando os dias pro próximo lançamento... A história parece possuir personagens interessantes, bem construídos.
Apoio cada palavra da fala de João Eduardo no final da resenha!
Bjos!

Adriana disse...

Também gosto muito de vampiros *-* Ótima resenha vc se empolgou muito rs rs a história deve ser demais!

Luis Carlos disse...

Ale-Alejandro Ale-Alejandro HAHAHAH Não tem como ler esse nome sem pensar na música da Gaga <3 O que me chamou mais atenção nesse livro, além da capa, que é belíssima, foi o enredo. Adorei essa temática de vampiros, que saem por aí matando, mordendo etc. Adorei a resenha!

Jois Duarte disse...

Estão falando muito bem desse livro, então é impossível não sentir curiosidade.
A capa é linda, a sinopse é chamativa e ainda tem as boas resenhas... tudo o que um bom livro precisa ter.

Amália Machado disse...

Já tinha lido resenha sobre esse livro, e até achei legal a história, mas não tenho vontade de lê-lo por ser sobrenatural, pois não é meu gênero favorito. Já até tentei ler alguns com essa temática, mas bem poucos cheguei até o final, a maioria abandono.

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela