"Quase Uma Rockstar" de Matthew Quick

segunda-feira, 4 de maio de 2015



Devemos considerar perdido todo dia em que não dançamos pelo menos uma vez. E devemos chamar de mentira toda verdade que não for acompanhada por pelo menos um sorriso. (Pág. 270)
Sinopse 
Desde que o namorado da mãe as expulsou de casa, Amber Appleton, a mãe e o cachorro moram em um ônibus escolar. Aos dezessete anos e no segundo ano do ensino médio, Amber se autoproclama princesa da esperança e é dona de um otimismo incansável, mas quando uma tragédia faz seu mundo desabar por completo, ela não consegue mais enxergar a vida com os mesmos olhos. Será que no meio de tanta tristeza e sofrimento Amber vai recuperar a fé na vida? Com personagens cativantes e uma protagonista apaixonante, Matthew Quick constrói de forma encantadora um universo de risadas, lealdade e esperança conquistada a duras penas.

~ ~ ❤ ~ ~

É impossível não amar Amber Appeton e não torcer com todas as forças por sua felicidade. Apesar de querer ler faz tempo O lado bom da vida também do Matthew Quick, o primeiro livro que tive a oportunidade de ler dele foi Quase uma rockstar e amei de verdade. Amber não somente é a Princesa da Esperança, mas também a personificação da bondade e da fé. 

Amber tem apenas dezessete anos, mora em um ônibus escolar - dorme nos bancos, não tem um agasalho decente e o frio é intenso -, mas mesmo assim, não critica sua mãe que não consegue encontrar um emprego melhor e dar-lhes melhores condições de vida. Exceto quando ela arruma um namorado com apartamento e vai morar com ele, sofrendo todas as injúrias e abusos possíveis. Amber aguenta tudo calada e com resignação. Mesmo vivendo a duras penas, ela encontra tempo para se dedicar a Jesus ou JC como gosta de chamá-lo em seus pensamentos e orações, ainda se dedica a ensinar o inglês para um grupo de coreanas na igreja local, a entreter idosos em uma casa de repouso e fez amizade com um soldado recluso que lutou na guerra do Vietnã. Sobretudo, uniu um grupo de "rejeitados sociais" de sua escola e deu-lhes um motivo para aguentar dia após dia: uma amizade firme, sincera e leal, denominados de "OS CINCO". Qualquer pessoa no lugar de Amber já teria perdido a esperança e a fé na humanidade, mas não ela, mesmo depois de sofrer uma tragédia terrível demais. Ela é quase uma Pollyanna! Sério!

Matthew Quick me conquistou para valer. Confesso que no início achei Amber maluquinha demais, vivendo numa bolha imaginária repleta de esperança na humanidade e fé nos outros, mas conforme a leitura avança e os fatos se sucedem, percebemos o qual bonita e invencível foram as relações que ela construiu. O pior assassino é aquele que rouba nossa fé, nossa esperança e alegria. Deixar ou não deixar, eis a questão. A história dela me lembrou muito o filme A Corrente do Bem, que já me fez ir as lágrimas várias vezes. 

A história não somente gira em torno da fé inabalável de Amber, mas também encontra espaço para discutir temas como bullying contra negros e deficientes, espaços mais acessíveis para quem é deficiente, o descaso das famílias para com os idosos, solidão, anorexia, entre outros assuntos. Tudo imiscuído na história, sem discussões cansativas, mas apenas mostrando a realidade e argumentando o motivo pelo qual ninguém muda a realidade e tenta fazer diferente, mesmo quando fica claro a injustiça. 

Em muitos momentos, eu fiquei com raiva da mãe de Amber e pensei em porque ela não morria logo ou sumia para deixar que Donna - mãe de um dos melhores amigos de Amber, cuidasse de vez da garota. Mas mesmo sendo imperfeita de todos os modos possíveis, ainda assim era a única família da garota e há de se respeitar isso. 

O mais interessante foi a construção do personagem de Amber que fala gírias, tem sonhos, objetivos como qualquer jovem, sem ser a chatinha beata. Apesar dela ser católica e adorar JC, como diz. Rs! Aliás, a forma como a imagem de Jesus Cristo foi construída também me chamou atenção, pois Amber conversa com ele como se fosse um amigo, um pai ou irmão, e menos como uma divindade. A confiança e a fé que ela tem em Deus e Jesus é enorme que transcende a religião e se transforma em atos. Enfim, é um livro perfeito demais e adorável, eu não sabia se eu chorava ou se sorria! Mal vejo a hora de vê-lo adaptado nas telonas.


Minha classificação para esse livro é de  4/6- "Muito Bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

Quase uma rockstar. Quick, Matthew. Editora Intrínseca, 2015, 256 p.


14 comentários:

Evelise Ciriaco disse...

Oi!
Ainda não li nada desse autor, mas Quase uma rockstar chamou minha atenção assim que li a sinopse. Eu também fiquei pensando que a protagonista parece a Pollyana, mas pela sua resenha deu para perceber que isso não vai me irritar, mas fazer com que eu torça muito por ela!
Bjs
sobrelivrosesonhos.blospot.com.br

Milena Soares disse...

Gostei muito do livro O Lado Bom da Vida desse autor e esse seu novo livro parece ser ótimo também, história bastante emocionante e essa resenha me deixou ainda mais interessada em conferi essa história.

Any disse...

Oi, Dominique!
Ainda não tive a oportunidade de ler nenhum livro desse autor.
Lendo a resenha também achei uma semelhança da Amber com a Pollyanna e seu jogo do contente. Esse livro parece ser formidável, abordando assuntos tão importantes como anorexia, descaso das famílias para com os idosos...
Uma história deliciosa de se ler, e igual a você espero que seja adaptado para os cinemas como O Lado Bom da Vida foi!
Bjos!

Adriana disse...

Pela sua resenha esse livro parece ser incrível, é daqueles livros que dão lições para os leitores e também percebi que o livro não se tornou pesado apesar dos assuntos fortes que são tratados e o que mais gostei foi o fato dela ser cristã então com certeza a leitura deve ser muito gostosa!

Karine disse...

Parece ser ótimo! Já gostei!

Maisanara F. disse...

Já tinha visto esse livro e não sabia do que se tratava. Não imaginava que essa é a história do livro e agora estou querendo muito lê-lo. Tenho certeza de que vou gostar muitíssimo dele.

Emanoelle Souza disse...

o unico livros de Matthew Quick que eu li foi o lado bom da vida e adorei, gosto do jeito que o autor conta historias comuns mas ao mesmo tempo interessantes. espero gosta de quase uma rockstar tanto quanto gostei de o lado bom da vida.

Jack Moura disse...

Nao recordo de nenhum livro que eu tenha lido do Matthew, mas como vc diz, a protagonista parece um amor. Pela descriçao ela me lembrou a Janie de Um amor pra recordar kkk acho q foi por ser uma boa pessoa, religiosa, mas sem ser chata! fiquei curiosa

Wal Bandeira disse...

Não cheguei a ler nada deste autor ainda, mas ja li ótimas coisas sobre seus livros.
Eu não sei se eu ia conseguir gostar da protagonista rs, ela é otimista demais pelo que me parece e isso soa muito fantasiosa no mundo que vivemos hoje, onde não da pra confiar muito facil nas pessoas, mas fico curiosa pois assim como você vejo muitas pessoas elogiando muito o livro, e trazer mesmo que de uma forma diferente a crença aos jovens e interessante,
beijos.

Patricia Moreira disse...

Sou bem curiosa com o autor principalmente com Perdão, Leonard Peacock. Soube do lançamento desse livro, mas não dei muita atenção. Já adionei nas futuras leituras. Espero gostar da Amber haha tenho um pé atrás com personagens que são muito positivas xD


Bjs

brenda amorim disse...

Não me lembro de ter lido nenhum lido desse autor, mas ja tinha visto ese e adorei essa capa. Quanto a história acho que eu leria sim pois fique muito curiosa

Jois Duarte disse...

Nunca li nada do autor, mas tenho curiosidade. Amber me pareceu fantasiosa demais. Eu não tenho a mesma fé inabalável, então é um pouco difícil, digamos, "entender" isso.

Bea Stylinski disse...

Nunca li nada do autor :/ (que vergonha) Mas essa pode ser uma boa deixa né? haha amei a resenha e me deixou muito curiosa para ler o livro
Beijinhos

Amália Machado disse...

Já tinha visto esse livro, Dominique, mas como não tinha lido nenhuma sinopse sobre ele, achei, por causa do título, que ele era um livro mais juvenil, e não fazia ideia que abordava tantos temas polêmicos assim. Gosto bastante de livros com essas temáticas. Vou acrescentá-lo na minha lista.

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela