"Ratos", de Gordon Reece

quarta-feira, 29 de julho de 2015


Talvez, pensei, aquilo que não conseguimos compartilhar como os outros seja o que realmente define quem somos. (Pág. 33)

Shelley e a mãe foram maltratadas durante um bom tempo, o que causou-lhes danos não só físicos, como as cicatrizes que marcam o rosto da jovem, mas principalmente psicológicos. Shelley, depois de sofrer um longo período de bullying por parte daquelas que um dia foram suas melhores amigas, não frequenta mais a escola. Sua mãe, após o divórcio, perdeu o prestígio e deixou de ser reconhecida como a ótima advogada que é. Sem saber como reagir a tudo isso, a única saída que as duas encontram é buscar um lugar afastado de tudo e de todos para tentar recomeçar. 

Depois de muita procura, o imóvel escolhido é o Chalé Madressilva, localizado num local bem distante da cidade e ausente de vizinhos nas suas proximidades. Certas de que tudo de ruim ficou no passado, mãe e filha vivem tranquilas, compartilhando livros, instrumentos musicais e momentos de conforto. Acontece que o maior pesadelo de suas vidas está só começando. 

Na madrugada do aniversário de dezesseis anos de Shelley, um estranho invade a casa. Após essa invasão, os acontecimentos que se seguem instauram um caos e colocam fim na tranquilidade das duas. Mesmo vivendo como ratos, Shelley e a mãe têm um limite e ele acabou de ser alcançado. 

Mas não estamos em um filme: essa é a vida real. E na vida real as pessoas ficam impunes o tempo todo. (Pág. 139)

Os últimos anos não foram fáceis para Shelley e sua mãe. Afinal, enfrentar um divórcio e um longo período de bullying são tarefas bem complicadas. Depois de passarem por momentos tão difíceis, as duas nem imaginam o que as aguardava num futuro bem próximo. Algo que as afetaria e que elas lembrariam em cada dia de suas vidas. 

Gordon Reece retrata assuntos bem fortes através de uma linguagem simples e capaz de prender o leitor, deixando-o mais curioso a cada página. Ao falar sobre bullying, divórcio e principalmente sobre medo, o autor apresenta personagens que vivem como ratos, pois suas características são bem semelhantes às desse animal. 

Com capítulos relativamente curtos e uma escrita envolvente, Ratos é uma ótima opção de leitura se você gosta de suspense e drama. O livro é fininho e dá pra ler em pouco tempo. Gostei muito da história e me surpreendi bastante com o desenrolar dela. A única coisa que eu mudaria seria o final, que, na minha opinião, não é dos melhores, mas é aceitável. 


Minha classificação para este livro é de ♥ 4/6-  "Muito bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores. 

Ratos. Reece, Gordon. Intrínseca. 2011, 240 p.




Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela