"Por Um Toque de Ouro", de Carolina Munhóz

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Todas as mulheres queriam ser Emily. / Mas nenhuma teria coragem de apostar tão alto naquela mesa (...) Sentia-se com sorte. Sentia-se no topo do mundo. / Sentia-se abençoada.
Emily O'Connel nasceu com o traseiro virado pra Lua. Nasceu em berço de ouro, herdeira de uma das famílias mais ricas da Irlanda e de uma empresa de bolsas de luxo, sempre consegue o que quer, ganha milhões em jogatinas, vive em baladas rodeada de gente linda e super rica. É uma Paris Hilton de Dublin. A garota tem tanta sorte, tanta sorte, que parece até mágica. Quando um estranho incidente ocorre numa festa do Dia de St. Patrick e ela conhece o misterioso americano Aaron Locky, sua vida vira de cabeça para baixo e ela se vê envolta em algo além da sua compreensão.

Eu tenho preconceito literário. Não me orgulho disso, ao contrário, tenho vergonha. Quando vi o livro "O Inverno das Fadas" nas lojas logo me interessei, mas quando li as resenhas sobre ele e sobre "A Fada", desanimei. Eram muitas críticas super negativas, falando mal de narrativa, de construção, de várias coisas. Desisti de ler. Soube que o último livro de Munhóz, "O Reino das Vozes que Não se Calam", escrito em parceria com a atriz Sophia Abraão, foi muito bem aceito e já pensei em ler (embora tenha lido algumas críticas bem negativas de que o livro era chato mesmo). Enfim, até que "Por Um Toque de Ouro" caiu em minhas mãos e resolvi dar uma chance a ele. E não me arrependi.

Se os primeiros livros de Carolina eram realmente tão ruins quanto diziam, ou era só mesmo opinião dos inúmeros resenhistas que li, ou ela aprendeu uma ou duas coisinhas sobre escrita. O livro é bem estruturado, redondinho, bem escrito. A temática envolvendo a riquíssima cultura irlandesa é uma bola dentro, afinal, leprechauns não são tão recorrentes na literatura fantástica atual, e isso torna a leitura interessante (apesar de de veeeeez em quando escorregar na famigerada didática, ou seja, explicações sobre coisas e lugares. A descrição dos lugares, inclusive, nos mostra que a autora viajou para Dublin para conhecer as locações, e isso transparece. Não se parece com um livro escrito por uma nativa, mas por uma turista). A construção dos personagens é certinha também e nem senti tanta raiva de Emily, embora ela seja uma patricinha bem egoísta e metida a besta, MUITO metida a besta, aliás. Ela é a diva que todo mundo quer copiar, linda, maravilhosa, gostosa, RYCAAAA, famosa e esbanjadora, ou seja, tinha tudo para ser uma chata insuportável. Mas não é. O que incomoda mesmo é a relação dela com o Aaron, clichê DEMAAAAAAIS da conta, embora o final seja imprevisível. O americano, aliás, é um personagem que se mostra até desinteressante até certa parte do livro, mas no final é que mostra a que veio. O livro é bem curto e a história flui bem em sua narrativa impecável. Impecável até demais.

Por ser um livro tão certinho, parece que Munhóz andou lendo uma cartilha de narrativa, ou teve aulas: a trama é certinha demais, com uma única surpresa no final, e a leitura segue morna por boa parte do livro. Isso é facilmente explicado pelo fato de que "Por Um Toque..." é apenas o primeiro livro da "Trindade Leprechaun", ou seja, o negócio vai pegar fogo mesmo é a partir do segundo, e esse primeiro foi apenas a apresentação dos personagens e da trama central. Mesmo assim ficou aquela mesma sensação que tive quando vi "O Hobbit - Uma Jornada Inesperada": história morna para um fim quente que... bem, é o fim, vai ter que esperar outro pra ver o bicho pegar fogo. Como já disse antes, o clichê que envolve Emily e Aaron tá mais batido que novela do Manoel Carlos (fala sério, ATÉ QUANDO vamos ter a famosa história "te odeio / me apaixonei por você"? Isso tá muito chato), embora o final tenha salvado um pouco a história toda.

Apesar disso, recomendo o livro pois é a porta de entrada para uma história maior que certamente será muito boa nos próximos volumes, pois alguns ganchos muito bons ficaram propositalmente sem explicação e o final já chama para o segundo livro (e preciso dizer, você VAI QUERER a continuação). O tema dos Leprechauns, a cultura celta e as paisagens deslumbrantes da Irlanda (mesmo que nas páginas) são mais do que motivos para ler esse livro, assim como o mundo "mágico" dos milionários, pra quem gosta de histórias repletas de luxo e glamour. Vale a pena esperar pelos próximos capítulos da história da sortuda Emily O'Connel e vale a pena começar por este.


Minha classificação para esse livro é de  3/6- "Bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

Por Um Toque de Ouro, Munhóz, Carolina. Editora Fantástica Rocco, 2015, 272 p.


Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela