{Especial Músicas} Trilhas Sonoras #1 - Kill Bill vol. 1 & 2

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015


"Eu matei gente pra cacete para chegar até aqui, mas ainda resta um. O último. Para onde estou indo neste exato momento, o último que resta. E quando eu chegar em meu destino final, eu vou matar o Bill."
Gente, uma coisa é fato: os filmes do colega Tarantino são de qualidade absurdamente maravilhosa. O cara consegue contar uma história em uma linha do tempo maluca, com muito sangue, palavrão, sexo e violência envolvidas. Mas não é só isso que se destaca em seus filmes não. As trilhas sonoras que o homem escolhe são EXCELENTES!

Eu fiquei quase um dia inteiro pensando sobre qual trilha sonora eu queria postar primeiro, então decidi ouvir algumas para ter alguma inspiração, e cheguei à conclusão que eu não poderia escolher outra se não a de Kill Bill.

Se você nunca assistiu os filmes, eu sugiro que o façam. Tem os dois na Netflix (NETFLIX, ME PATROCINA!!).

Pois então, como eu estava falando, as músicas, além de ótimas, são muito bem colocadas no filme. Existe também um pequeno detalhe sobre as trilhas sonoras nos filmes do mestre Tarantino: a música acaba de uma hora para outra. Reparem nisso na próxima vez que forem assistir a um de seus filmes.

Bom gente, acho que eu não podia deixar de começar comentando sobre a música Bang Bang de Nancy Sinatra, que conta basicamente a história da personagem principal e o que lhe aconteceu.


Outra musica que ficou na cabeça das pessoas por um bom tempo... Que eu inclusive assobio direto quando estou lavando louça ou tomando bando, é a Twisted Nerve de Bernard Herrmann. Quem não lembra daquela maluca caolha dos Crazy Eighty Eights andando pelos corredores do hospital com uma seringa numa bandeja e assobiando enquanto se encaminhava para matar a antiga coleguinha?


Outra clássica é a Battle Without Honor or Humanity de Tomoyasu Hotei. Não tenho nem o que dizer aqui.


Agora essa música marcou minha vida. Por dois motivos. Primeiro: quando eu fazia balé por volta dos meus dez, onze anos, as meninas mais experientes dançaram essa música e eu adorava assistir elas ensaiando (e às vezes eu me intrometia nas partes mais fáceis). E segundo: eu lembro muito bem quando eu era criança, ainda mais nova do que na época do balé, e minha amiga de infância me falou que tinha visto um filme muito violento na TV e que a cena de luta que essa música acompanha era muito tensa. Acabou que ela me colocou tanto medo que eu acabei achando até light.


Agora essa música é pequena, mas é simbólica demais. Sempre que o titio Tarantino dava seus zooms nos olhos de Breatrix Kiddo e ela estava prestes a lidar com um dos filhos da puta que zoaram sua vida, essa música aparecia.


Outra coisa bem comum nas trilhas sonoras dos filmes do diretor em questão é termos pequenas faixas de diálogo ou uma simples fala dos personagens nos filmes, como essa pequena introdução da Noiva.


Galera, as trilhas sonoras de ambos os filmes são mais extensas que esse post. Aqui eu coloquei as que eu mais gosto para dar um gostinho do que vocês podem esperar caso decidam baixar ilegalmente afinal de contas o Brasil tá foda... eu mesma paguei dez reais de imposto no mercado esses dias atrás comprar os CDs. Espero que tenham gostado do post, pois eu pretendo fazer mais alguns destes sobre vááááárias outras trilhas sonoras, tão boas quanto.

Então é isso por enquanto, pessoal. Beijo na bunda e cuidado com a poça de sangue ai.



Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela