"Dom Pedro I Vampiro", de Nazarethe Fonseca

segunda-feira, 4 de abril de 2016

"- Quer que declare a Independência do Brasil mais uma vez?"
Há alguns meses eu estava conversando com um amigo sobre filmes quando surgiu o nome de "Abraham Lincoln Caçador de Vampiros". Falando para ele sobre o filme, zoei que seria legal se tivesse um filme tipo "Dom Pedro caçador de vampiros". Poucos dias depois recebi a notícia do lançamento deste livro no Facebook da autora. Coincidência? Será?

Imaginem vocês que nosso controverso primeiro imperador tivesse sido um sugador de sangue e que ainda esteja por aí, vivendo, bebendo sangue, andando pelas ruas de São Paulo com a cabeleira ao vento, vendo as adaptações de sua vida na TV... (Tarcísio Meira, Marcos Pasquim ou Reynaldo Gianecchini?) O príncipe português mulherengo ao extremo, fanfarrão e rebelde seria a escolha perfeita para virar um vampiro nas mãos talentosas de algum escritor, e Nazarethe Fonseca fez isso magistralmente, com muita pesquisa e misturando o passado com o presente sem perder o equilíbrio.

Súcubos, íncubos, vampiros, bruxas, todos transitando entre o Brasil Corte e Reino e o presente mas de uma forma totalmente nova. Nazarethe nos apresenta esses personagens de um modo novo e diferente de tudo o que já tinha visto. As partes do passado, para mim, foram as mais interessantes, simplesmente porque AMO romances históricos baseados em personagens reais, e era muito legal ver Pedro, Leopoldina, Carlota, Dom João e outras figuras dos livros de História transitando entre as páginas com seus amores, medos, tristezas e alegrias. Ler algo assim retratando nosso Brasilzão e ainda por cima tão bem escrito e pesquisado foi maravilhoso! A parte do presente foi interessante também, mas eu meio que imaginava algo diferente, mais referências diretas ao passado de Pedro, talvez, a quem ele era, como ele pensa agora (se fosse narrado em primeira pessoa talvez ficasse sensacional. Pense em estar na mente do imperador nos dias atuais!). O romance está lá também, CLAAAAAARO, estamos falando de Dom Pedro I e sua fama com as mulheres simplesmente o precede. Vemos suas amantes, amadas e esposas e o papel de personagens como Domitila, a Marquesa de Santos, nessa história. No presente temos Eva, um mistério ambulante até para ela mesma.

Apesar de tudo o que eu falei, senti que a história poderia ter sido mais desenvolvida. O livro não é pequeno, mas mesmo assim fica a sensação de que falta alguma coisa. A parte dos dias atuais é muito rápida e quase não há conexões reais com o passado, que fica solto nas páginas. Talvez eu quisesse mais "Imperador vampiro" e menos Pedro, tanto no passado quanto no presente. Talvez eu quisesse algo mais como "O Vampiro que Descobriu o Brasil", de Ivan Jaf, um dos meus livros preferidos da infância, que colocou um vampiro português no meio dos acontecimentos mais importantes da História do Brasil e com muito humor. Não sei realmente dizer o que falta, mas fica a sensação de que a premissa era excelente, mas que poderia ser melhor aproveitada. A escrita de Nazarethe é impecável e sabe transitar bem entre as duas épocas totalmente diferentes e a pesquisa que ela fez para esse livro nem se fala, fica nítido o esforço da autora para escrever sabendo do que tá falando e isso eu admiro demais!

No fim das contas eu recomendo o livro porque, cara, é Dom Pedro I vampiro! É o Imperador do Brasil vampiro! Simplesmente não tem como não ficar pelo menos um pouquinho curiosa de saber como isso aconteceu, não tem (tanto que fiz questão de comprá-lo na última Bienal do Rio apenas porque TINHA QUE LER ISSO!). A escrita é boa, a narrativa também, temos todos os elementos sobrenaturais que todo mundo adora, temos personagens conhecidos de uma maneira que nunca se viu, então, é uma leitura ótima para aqueles dias em que não queremos algo mais sério para se afundar. Vá em frente e se deixe seduzir.


Minha classificação para esse livro é de  3/6- "Bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

Dom Pedro I Vampiro. Fonseca, Nazarethe. Editora Planeta, 2015, 336 p.


Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela