A Contadora de Filmes, de Hernán Rivera

terça-feira, 31 de maio de 2016


Como em casa o dinheiro andava a cavalo e a gente andava a pé, quando chegava um filme no acampamento da Mina e meu pai – só pelo nome do ator ou da atriz principal – achava que parecia ser bom, as moedas eram juntadas uma a uma, o preço exato da entrada, e me mandavam assistir.Depois, ao voltar do cinema, eu tinha de contar o filme a família reunida na sala.
Maria Margarita é a caçula e única mulher da família. Vivendo com o pai e os quatro irmãos num pequeno povoado, sua diversão é o cinema. O porém é que após o acidente que deixou o patriarca paralisado da cintura para baixo, motivo pelo qual a mãe abandonou o marido e os filhos, não há dinheiro suficiente para que todos possam ir conferir as novidades cinematográficas. Por conta disso, um concurso se inicia. 

Todo domingo uma das crianças vai ao cinema com uma missão: assistir ao lançamento e memorizar cada detalhe para em seguida narrar a história aos que não puderam ir. Depois que avaliar a narração de todos, o pai declara: Maria venceu, tornou-se oficialmente a contadora de filmes. Com o tempo, a paixão da menina por essa forma de arte aumenta e a sua fama como contadora também. 
Sua filha é uma fada contando filmes, vizinho, e sua varinha mágica é a palavra. Com ela, nos transporta.
A Contadora de Filmes possui pouco mais de cem páginas, portanto não vou falar muito da história para não soltar spoilers. Por meio de capítulos curtos, Hernán Rivera constrói uma trama aparentemente simples, mas que cobre tópicos um tanto obscuros. 

O livro é uma espécie de reunião de memórias de Maria Margarita. A protagonista narra diferentes momentos da sua vida, mostrando como todos os ocorridos, ligados pela sua carreira como contadora de filmes, contribuíram para a situação em que ela se encontra no período atual. 

A medida que a personagem relata sua história, o leitor vai percebendo o porquê de a tarefa de contar filmes possuiu tamanha importância para ela. A paixão que Maria desenvolveu pelo cinema quando passou a ter o compromisso de narrar os lançamentos cinematográficos não só para os irmãos, mas para uma plateia maior, preencheu lacunas da sua existência que devido à dadas circunstâncias se encontravam vazias. 

Através de uma escrita simples e objetiva, o autor desenvolve um enredo bastante sensível. A Contadora de Filmes não possui grandes reviravoltas ou coisas do tipo, mas sim a capacidade de chocar o leitor retratando uma triste realidade enfrentada por várias pessoas ao redor do mundo.



Minha classificação para este livro é de ♥ 3/6-  "Bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores. 

A Contadora de Filmes. Rivera, Hernán. Cosac Naify. 2012, 106.







Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela