O Amor de Uma Boa Mulher, de Alice Munro

segunda-feira, 16 de maio de 2016


E assim a vida dela se precipitava, ela estava se tornando uma dessas pessoas que escapam. Uma mulher que, de forma chocante e incompreensível, havia aberto mão de tudo.

O Amor de Uma Boa Mulher é uma coletânea de oito contos vencedora do National Book Critics Circle Award (1998). Por se tratar de um compilado de pequenas histórias, não irei falar muito sobre as tramas em si, para não estragar as descobertas do leitor. 

Como o título sugere, a mulher é o foco da obra. Cada conto explora um tópico relacionado a essa temática, de modo que o livro aborda casamento, maternidade, trabalho fora de casa, entre outros aspectos, questionando a ideia que persistiu durante muito tempo de que a sociedade é responsável por determinar o papel da mulher, tirando-lhe totalmente o poder de escolha, e levantando pensamentos que o feminismo tem trazido à tona nos últimos anos.

Alice Munro ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 2013 e desde que eu vi uma resenha sobre O Amor de Uma Boa Mulher em 2014, se não me engano, fiquei bastante interessada pelo seu trabalho. Finalmente pude conhecê-lo agora em 2016 e me encantei. A escrita da autora é muito envolvente e o modo como ela desenvolve os personagens, os contos e o tópico presente em cada um deles é maravilhosa. 

O livro se passa nos anos 1950, época em que o machismo e outros preconceitos eram ainda mais intensos. Visando retratar a importância da igualdade entre os gêneros e como a sociedade se sentia no direito de impor padrões, principalmente para as mulheres, a autora constrói protagonistas complexas, responsáveis por incentivar o leitor a se colocar no lugar delas e pensar sobre fatores como as dificuldades existentes em relacionamentos entre mães e filhas, a "obrigatoriedade" de ser esposa e mãe e decorrências de uma gravidez não planejada, assuntos abordados nos meus contos favoritos da coletânea.

Um aspecto da narrativa que eu gostei bastante é a maneira como a história é conduzida. É preciso estar atento durante a leitura, pois algumas informações sobre o enredo e os personagens são reveladas em detalhes que podem passar despercebidos. O jeito com que a Alice desenvolve a trama e vai aplicando reflexões nela é muito leve, de modo que nem todas as pistas são captadas pelo leitor. 

É necessário ter em mente que o desenvolvimento dos contos é maravilhoso, porém nem sempre eles possuem um final. Dar um desfecho preciso para cada um não é o objetivo da autora, mas sim explorar cada protagonista e as questões promovidas no decorrer das tramas. Confesso que não gostei tanto dos dois primeiros contos e acho que parte desse sentimento se deu por eu não estar acostumada com a narrativa de Munro, mas o restante deles oscilaram entre 4 e 5 estrelas. 

O caráter feminista é extremamente presente em O Amor de Uma Boa Mulher e os ideais desse movimento são transmitidos de forma muito inteligente. É impossível não parar para refletir durante a leitura, para tentar entender o que se passa na vida daquelas mulheres. Com certeza pretendo ler outras obras da autora e essa leitura está super recomendada. 


Minha classificação para este livro é de ♥ 4/6-  "Muito bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores. 

O Amor de Uma Boa Mulher. Munro, Alice. Companhia das Letras. 2013, 376.








Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela