"Star Wars: Estrelas Perdidas", de Claudia Gray

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Escute-me - Ciena disse - Por mais loucas que as coisas estejam, vamos ficar juntos de novo. Não sei onde nem quando, mas isso vai acontecer. / Vai - ele confirmou, animado - Não importa o que aconteça, vou encontrar você."
Confesso que quando vi o nome de Claudia Gray como autora de um livro sobre Star Wars, pensei "ferrou! Essa mulher vai transformar toda uma rica mitologia cinematográfica em um romance adolescente!". Isso porque a referência literária que tinha da autora era a série vampiresca young adult "Noite Eterna", que por sinal é ótima, porém não faz bem o perfil de uma saga intergalática. Bem, se eu abri o livro esperando um romance adolescente meloso, estava redondamente enganada.

Claro que o mote do livro é um romance adolescente, isso fica bem claro. O cerne da história é o romance entre Ciena e Thane, dois oficiais do Império que se conheceram ainda crianças em seu planeta natal, o distante Jelucan. A paixão por voar uniu as duas crianças de origens diferentes (enquanto um era de família aristocrata, a outra era de uma humilde família do vale) e os levou até a Academia, onde a amizade e o companheirismo acabaram por se tornar um romance enquanto eles cresciam. O relacionamento nascente se torna um amor proibido depois que os dois acabam por tomar rumos diferentes diante dos acontecimentos que abalam a galáxia: enquanto Ciena permanece leal ao seu juramento ao Império, Thane se desilude com os métodos imperiais e deserta, passando a integrar a crescente Aliança Rebelde. Essa história de amor bem "romance Y. A" no entanto, serve mais como pano de fundo para algo maior: os bastidores da ascensão do Império Galático de Palpatine, o nascimento da Aliança Rebelde e, em meio às visões de Ciena e Thane, vislumbres de personagens conhecidos e consagrados como a princesa Leia Organa, Luke Skywalker, Han Solo, o imperador Palpatine e Darth Vader (e aqui o ataque de fangirlismo foi inevitável, porque simplesmente AMO o Darth Vader e tinha ataques de histeria quando ele aparecia na história). Passagens dos filmes da trilogia clássica dos cinemas são mostrados nos bastidores e os fãs podem se divertir ao encontrar referências a importantes acontecimentos e grandes batalhas já conhecidas. O livro ainda dá pistas do que aconteceu logo após os acontecimentos de "O Retorno de Jedi" e faz algumas pontes com o mais recente filme, "O Despertar da Força" (sabe aquela nave IMENSA onde a Rey aparece logo no começo do filme, catando peças, em Jakku? Então, descobrimos como ela foi parar ali. Sim, é MUITO LEGAL!)

Além das referências aos filmes e do romance de pano de fundo, o livro traz uma mensagem política e filosófica a respeito de ideologia e de lealdade, e é exatamente esse o ponto forte da história e o que a torna mais interessante (claro que as batalhas no espaço e as naves também ajudam muito, porque são FODÁSTICAS) . A narrativa de Gray é envolvente e mescla a ficção especial com romance na medida certa para não se tornar chato demais para nenhum dos lados. As descrições de naves, batalhas e espécies exóticas são extremamente bem feitas e percebemos que é mesmo fruto de trabalho de uma fã dedicada, e as descrições da história de amor são tão boas que em certas ocasiões dá vontade de socar a cara dos dois protagonistas teimosos!

"Estrelas Perdidas" faz parte do cânone oficial de Star Wars, mas de uma nova leva de livros do Universo Estendido (novo cânone) e originalmente foi lançado pelo selo Disney, que atualmente tem os direitos da saga. Por esse motivo, vai agradar muito aos fãs da saga, mas até mesmo quem não conhece nada do universo vai se sentir confortável com uma boa história, sem perder nada. Recomendo para os dois públicos, sem medo de ser feliz. Apenas entregue-se a uma ótima história e que a Força esteja com vocês.


Veja também minha Maratona Star Wars, com minhas resenhas noobs da Trilogia Prequel (Episódios I, II e III) e da Trilogia Clássica (Episódios IV, V e VI).


Minha classificação para esse livro é de  5/6- "Excelente".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

Star Wars: Estrelas Perdidas - Jornada para Star Wars: O Despertar da Força. Gray, Claudia. Editora Seguinte, 2015, 448 p.


Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela