"A Coroa", de Kiera Cass

terça-feira, 22 de novembro de 2016


Algumas sagas são boas e A Seleção, da fofíssima Kiera Cass, é uma delas. A história de America Singer e do príncipe Maxon de Illea é maravilhosa, misturando distopia, a questão dos reality shows e um conto de fadas gostosinho pra mocinha nenhuma botar defeito. Muito do sucesso da saga se deve à protagonista que é carismática e mesmo quando se vê dividida sabe sair da situação sem muito mimimi. Tudo isso, porém, foi visto nos três primeiros livros, A Seleção, A Elite e A Escolha. Porque depois deles Cass resolveu inventar de ganhar mais dinheiro em cima da saga. E cagou tudo.

O quarto livro da saga, A Herdeira, se passa vinte anos depois dos eventos narrados em A Escolha. A essa altura do Campeonato Brasileiro já posso falar que America e Maxon ficaram juntos, né, porque senão não vou poder nem começar a falar desse livro. Então, lide com isso, ela não escolheu o Aspen, ela ficou com o príncipe, se casaram, foram coroados e agora são pais de quatro filhos. A mais velha, Eadlyn, por ter nascido alguns minutos antes de seu irmão gêmeo Ahren, acabou se tornando a herdeira do trono e a próxima na linha de sucessão. Neste livro vemos que, pela primeira vez na história do país uma princesa, e não um príncipe, passará pela Seleção, que é meio que um concurso pro herdeiro escolher um par e tudo é televisionado. Sabe a máxima "pão e circo"? É bem por aí. Pra acalmar os ânimos da população que ainda sofre com as mudanças causadas pelo fim do sistema de castas e pra melhorar a imagem da princesa que realmente é UM PORRE, Eadlyn aceita passar pelo terrível desafio de abrigar em seu castelo 35 bofes e sair com todos eles pra escolher apenas um. Triste, né? Me dá até pena dela, no meio daqueles boys maravilhosos... Vida dura essa. Ela torce o nariz, finge que tá 100% nem aí mas acaba por se apegar a alguns dos meninos. Isso aí é mais ou menos a história do quarto livro, mas estou aqui pra falar do quinto.

Em A Coroa vemos o desfecho tour dessa história e o que vemos não é nada bonito como os bofes da princesa. Enquanto sua mãe, a rainha America se restabelece de um infarto e seu pai fica ao lado dela 24 horas por dia, acaba sobrando para a garota o governo do país. Então ela precisa lidar com os problemas do país, com a Seleção, com a ausência do irmão gêmeo que fugiu pra França pra se casar com a princesa de lá, ou seja, várias marimbas para segurar. Nesse meio tempo ela vai diminuindo o número de bofes e acaba por se encantar por três deles. Vou ser sincera, alguns acontecimentos foram imprevisíveis, como dois personagens que acabam se apaixonando e fiquei tipo "QUE?" (embora já imaginasse porque sou dessas) e a decisão final da princesa. Tá, eu torcia praquele bofe mesmo ganhar o coração da garota insuportável, mas não imaginei o final como seria. Apesar disso tudo a história é muito fraca e Kiera deveria mesmo ter parado no terceiro livro; o quarto livro foi legal por mostrar um pouco do que aconteceu depois do final feliz de America e Maxon, mas a protagonista estava longe de ser carismática como a mãe, ao contrário, era insuportável, arrogante e mimada. Neste último livro ela melhora um pouco, mas mesmo assim o conflitos são fracos e fica apenas a sombra do que poderia ser se fosse melhor aproveitado (tipo, como se lida com um povo insatisfeito e um cara poderoso que está determinado a ferrar sua vida? Adiantando o casamento. Really, queen?) Toda a trama parece empurrada com a barriga pra terminar logo e muitos fãs que leram sentiram isso. O clima distópico da trilogia inicial se perde e com ele os conflitos políticos interessantes e tudo se resume à princesa Eadlyn e sua imagem. É realmente triste ver uma série se perder assim.

Então, meus queridinhos, a lição que aprendemos hoje é: não se mexe em time que está ganhando. É melhor parar enquanto está por cima. Não se mexe no que tá quieto. Não estrague uma série maravilhosa só pra ganhar mais dinheirinhos. Se você está lendo a primeira trilogia eu digo: pare no terceiro livro. Sério. Não precisa ler os outros, só vai perder tempo e golpinho$. Fique com a história de America que você ganha mais. É triste ter que dizer isso mas é verdade. Não recomendo os dois últimos livros da série A Seleção. 
OBS: Eu abriria uma exceção se a autora decidisse escrever um conto narrando a história dos dois personagens que se apaixonaram. Aí sim seria interessante. Fica a dica, hein, Kiera. Não estrague tudo.


Minha classificação para esse livro é de  1/6- "Ruim".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

A Coroa (A Seleção #5). Cass, Kiera. Editora Seguinte, 2016, 310 p.


Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela