{Filmes} "Moana - Um Mar de Aventuras", Disney (2017)

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017


Lá vem a Disney com mais um filme de "princesa" pra se gente se apaixonar, e mal nos recuperamos de Frozen. A animação que abre esse 2017 é Moana - Um Mar de Aventuras e conta a história da primeira mocinha polinésia da história dos estúdios. Dos mesmos criadores de "Frozen" e "Zootopia", "Moana" nos apresenta à personagem título, filha do chefe de uma ilha polinésia cujo destino é ficar em sua ilha e liderar seu povo no futuro (nada de se casar e ter filhos, benza Deus!). Só que a mocinha quer mais: desde pequena sente o chamado do oceano, que a escolheu para sair em busca do semideus Mauí e restaurar o coração de Te Fiti, a Deusa Mãe de todas as ilhas. O roubo do coração abalou a deusa e espalhou destruição por todas as ilhas que ela criou, chegando a Motonui, a ilha de Moana. Cabe a ela sair nessa aventura, contrariando a vontade de seu pai que não permite que ninguém saia da ilha e vá além dos recifes de coral, e resolver esse problema de uma vez por todas.

Eu quero começar essa resenha indo direto ao ponto e dizendo OBRIGADA, DISNEY, POR MAIS UMA PRINCESA LINDA E EMPODERADA! Moana é linda, é diva, é poderosa, ela faz e acontece, é decidida e esperta e não precisa da ajuda de ninguém para nada, só empurrões. Mauí não é seu príncipe, não é seu ajudante, é simplesmente seu companheiro: ele ensina, ela aprende e os dois se ajudam mutuamente e essa interação é linda de se ver. Em alguns diálogos ela refuta o título de princesa, preferindo ser chamada de filha do chefe, e futuramente uma chefe também. Em suas atribuições futuras não há um casamento, um marido e filhos para perpetuar a linhagem, há apenas o cuidado com a ilha e os moradores, e é isso que o pai ensina a ela logo na primeira canção do filme. Ela tem obrigações de governante, nunca de coadjuvante. Moana não é princesa, Moana é chefe tribal, meu bem. Respeita a moça! Outro ponto importante a falar nesse sentido é a aparência. Moana tem aquele cabelo maravilhoso cacheado e já vi mais de uma mãe dizer que sua filha se viu representada na cabeleira da moça, o que mostra que representatividade importa, sim. Ela tem pernas grossas, um nariz largo e até uns dentinhos meio separados na frente. É linda e é exatamente igual a tantas meninas que vemos por aí. Muito foi falado do Mauí também, em tom de crítica, que a Disney colocou um personagem masculino parecido com um ogro, mas a verdade é que eu achei o semideus um charme. Sobrepeso? Não, o que eu vi foi um personagem forte e parrudo com traços marcantes e uma personalidade adorável. A amizade dos dois é linda e prova que dá pra viver uma aventura sem ter um grande romance no final, porque a vida é feita de mais do que isso, como salvar seu povo e restaurar o coração de uma deusa ancestral, por exemplo.

Foto da baby Moana pra chamar atenção
O visual todo do filme é sensacional. As ilhas, o mar (Deus, o mar, que trabalho mais lindo!), as cores do mundo dos monstros (Tamatoa maior divo que você respeita), tudo é impecável e um deleite para os olhos. O humor afiado de sempre dessas animações está lá (Morri quando o Mauí pergunta se ela vai começar com a cantoria, senão ele vai embora. Prova de que a Disney sabe se auto zoar) e alguns personagens cativantes e cenas memoráveis. Preciso dizer que a avó dela é a melhor pessoa do mundo, inclusive. O roteiro é consistente e o final foi surpreendente pra mim e emocionante. Eu não sou de chorar com filmes, mas esse me fez chorar duas vezes e uma delas foi nos minutos finais. Aliás, esse foi um dos melhores finais que já vi, uma das melhores derrotas de vilão (sério, é muito maravilhoso o final), enfim, uma coisa linda de se ver. A trilha sonora é incrível, com algumas músicas típicas e alguma cantoria "disneycessária". Depois de ver o filme fui conferir a trilha original e é muito melhor do que a brasileira, embora a dublagem seja ótima, simplesmente fica muito melhor no original. E acabei descobrindo que Dwayne Johnson interpreta o Mauí e fiquei encantada com ele cantando "You're Welcome", a música de apresentação do semideus. 

Eu poderia dizer que recomendo Moana para vocês levarem as crianças no cinema agora nas férias e tal, mas o que eu realmente quero dizer é, vá ver Moana você! Claro que as crianças vão adorar (o menininho chato que não calava a boca atrás de mim no cinema é uma prova disso. Mamães, ensinem seus filhotinhos pequenos a ficarem quetinhos no cinema, PLISSSS!) mas o filme vai encantar espectadores de todas as idades. Não tem como não se emocionar, se deleitar com as belas imagens, se divertir e se orgulhar dessa princesa, a maior chefe tribal que você respeita.



Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela