{Séries} "Marvel's Agents of S.H.I.E.L.D - 4ª Temporada", ABC (2016)

quarta-feira, 24 de maio de 2017


Uma das melhores séries em sua temporada ano passado foi Agents of S.H.I.E.L.D. A série, que já vinha melhorando a cada nova temporada, desde meados da primeira quando começou a engrenar até a ótima terceira com os inumanos e o vilão Hive, só se consagrou ainda mais nessa nova fase como uma das melhores séries de quadrinhos/heróis da atualidade. O roteiro muito bem escrito e amarrado esse ano ganhou uma novidade que foi a divisão em 3 partes da temporada, ao invés de duas. E tudo começou com o Ghost Rider, o famoso Motorista Fantasma.

Um chuchuzinho desses, bicho
Não, eu não escrevi errado, não sou tão noob assim, é Motorista mesmo. Robbie Reyes, o cara que encarna o Espírito da Vingança da vez, não é um motoqueiro fantasma, mas dirige um carro muito daora e esse personagem vem direto dos quadrinhos, não é invenção da TV (eu pesquisei, viu). O personagem é envolvente, o ator é carismático (me bêja Gabriel Luna) e a trama que o envolve é interessante. Cada vez que o menino Robbie acendia os zói eu berrava F*DEU! Sério, muito épico, efeitos especiais incríveis, eu queria ver mais e mais de Ghost Rider (alô @ABC, vamo fechá um spin off) Sua parceria com Daisy Johnson foi uma das melhores coisas dessa fase e sua relação com o irmão mais novo e com sua vizinhança também. Habemus um "herói" latino, bitches! E com tudo o que tem direito, briga de gangues, rachas e o escambau. É com o atormentado jovem latino que se inicia a busca pelo livro Darkhold, que é uma conexão básica com o filme Doutor Estranho, inclusive. Quando o tomo perigoso cai em mãos erradas, porque desgraça pouca é bobagem, é aí que se inicia uma nova fase, a fase dos LMDs.


Os LMDs nada mais são do que robôs, formas de vida artificiais, androides, já deu pra sacar, né. É aí que somos apresentados à assustadora Aida, uma robô com síndrome de Pinóquio e à atriz Mallory Jansen que fez um puta dum trabalho dando vida a nada menos que quatro personagens iguais mas ao mesmo tempo diferentes. Troféu Orphan Black pra ela!. Nessa fase também vemos nossa May passar um sufoco (MINHA MAY NINGUÉM SAI) e um dos maiores shipps da série acontecer, só que não da maneira que esperamos, porque nada nessa vida vem fácil. Durante toda a temporada vemos ainda as consequências do Tratado de Sokovia na vida dos inumanos e como a SHIELD está lidando com isso. O aparecimento de androides idênticos a pessoas reais, com seus pensamentos, ações parecidas, enfim, cópias exatas, só piora a situação da organização secreta. O final desse arco rendeu um dos melhores episódios que já vi, uma obra de arte de direção impecável, roteiro perfeito, atuações maravilhosas e um clima de tensão, desespero e desconfiança que me fez passar mal ao assistir. O episódio de número 15 foi aclamado pela crítica por seu roteiro e direção de tirar o fôlego. Seu final culminou com o início de uma terceira fase na mesma temporada, uma visita ao Framework, uma realidade alternativa assustadora.


AGENTS OF HYDRA! Na nova realidade alternativa nada é o que parece, o mundo mudou e há uma nova ordem, um novo governo e é a Hydra quem manda em tudo, comandada por sua chefe, Ophelia, a tenebrosa Madame Hydra. Apenas Daisy e Jemma sabem quem são nessa realidade e tentam de tudo para acordar os outros e tirá-los de lá. Mas nada é tão fácil, porque alguns estão do lado oposto na guerra. Destaque para Ian de Caestecker, o Fitz, pelo brilhante trabalho nessa parte, mostrando ser um ator super versátil, algo que eu nem imaginava, vendo-o fazer o nerd fofinho durante três temporadas inteiras. Essa fase foi tensa e nos brindou com a volta de um personagem muito querido, ele, o primeiro, o único ALERTA DE SPOILER Grant Ward! Sim, senhoras e senhores, ele está lá, no Framework, e não estou sabendo lidar com isso até agora. Essa série não existe sem o nosso fdp favorito, né non? Os últimos sete episódios que fecham a temporada são tensos, densos, intensos, desesperadores e o de número 20 me fez passar mal porque assisti enquanto almoçava e quase tive uma indigestão de nervoso. Temos uma boa dose de drama e a perda de um personagem muito amorzinho no processo. 

Filma essa demônia
O drama da renovação vem para todas no fim de cada temporada. Apesar da trama excelente, do ótimo roteiro e de estar sendo maravilhosa, a série está sofrendo com baixas audiências nos EUA e quase foi cancelada, mas a quinta temporada foi garantida. Agents é um exemplo de série que não se pode desistir ao ver um ou dois episódios (ou três ou quatro...) porque ela só vai melhorando e aumentando a qualidade. Essa quarta temporada foi uma consagração, envolvente, bem escrita, bem amarrada, repleta de personagens profundos e atuações excelentes. Uma série de herói pra ninguém botar defeito. Aguardando ansiosa a quinta temporada, sua conexão de sempre com o Universo Cinemático Marvel e o que mais vem pela frente por aí agora que a série Inumanos também vai estrear!


Minha classificação para essa temporada é de  5/6- "Muito Boa".
Veja a cotação da série no IMDb e a opinião de outros espectadores.


Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela