{Séries} "Punho de Ferro", Marvel/Netflix (2017)

segunda-feira, 19 de junho de 2017


Bom, vamos lá, precisamos falar sobre Punho de Ferro, a mais nova série do mundo Marvel/Netflix. Eu tava ansiosa por ela, afinal, é uma série de herói da Marvel. Tem o menino Finn Jones, o famoso Sir Loras Tyrell, de Game of Thrones. Nada pode dar errado. Bem, eu estava com medo também. Jessica Jones tinha sido bem mediana pra mim, só começou a ficar boa quando o vilão Kilgrave apareceu. E Luke Cage... Digamos que assisti a alguns episódios totalmente desinteressada, mexendo no celular e até hoje não terminei. E nem sei se quero terminar. Quando os quatro primeiros episódios da série foram exibidos para a imprensa e as primeiras críticas começaram a surgir... Foi chocante. A avaliação no IMDb foi muito baixa, quase zerada. Os críticos foram muito cruéis. Punho de Ferro, assim como Lana Del Rey, tinha nascido para morrer. Era muito ruim. Era o desastre do século. Deu tudo errado. Matem a Marvel. Deus nos dibre. mas o que vou dizer agora pode ser chocante ou posso ser bastante criticada pelo Brasil todo (ou pelos leitores que aparecem de vez em quando e nem deixam um comentário): NÃO FOI TÃO RUIM.

Ok, foi ruim. Mas não foi tão ruim como pintaram. Eu parei minha maratona de Sons of Anarchy pra assistir à série e vi o primeiro episódio quase dormindo. Quase uma hora de um troço muito parado e desinteressante. Fui para o segundo: MAIS DE UMA HORA DE DURAÇÃO. Fechei a série e voltei pros motoqueiros de Charming que não me decepcionaram e me entregaram um final de temporada impecável e episódios cheios de ação, muito tiro, porrada e bomba. Só depois de muito enrolar, voltei pro menino Danny Rand e suas desventuras. Os primeiros episódios não são tão ruins. A trama é fraca, a direção é entediante e as lutas deixam um pouco a desejar, mas não vi grandes defeitos nem em roteiro nem em questão das lutas. Mas o que eu entendo de lutas, não é mesmo? Quem sou eu na fila do monastério pra dizer alguma coisa, né non? O negócio fica até interessante lá pela metade da temporada, para depois cair de novo de produção. O personagem principal é muito ingênuo, e ele deveria ser assim mesmo, visto que cresceu longe da civilização, mas chega a ser irritante o modo como ele nem sequer desconfia da maldade humana. E como guerreiro imortal deixa muito a desejar, acaba sendo mesmo só um cara bonitinho bom de artes marciais com um punho que brilha de vez em quando. Seu maior talento é ser uma gracinha com aquela carinha de anjo barroco cirandeiro gourmet e citar uns provérbios chineses sem graça. Ele não tem carisma, não tem liga, não tem sustança. Seu par romântico, inicialmente uma professora de artes marciais muito da badass, acaba se resumindo a isso, um par romântico. E o que é aquele Ward? Meu maior medo é sair à noite e encontrar o Ward louco na droga num beco escuro. Tem também o tio que ressuscitou depois de três dias just like Jesus. Mano, é um negócio muito louco. Mas fé no Pai que a temporada sai. O bagulho entorna de vez quando Claire Temple aparece DO NADA desnecessariamente só pra fazer a ponte obrigatória entre os quatro heróis que formarão os Defensores. Vergonha alheia da maioria das cenas dela. Minha Claire está morta.

É aquele ditado, né, não acredite nas críticas que você lê. A série não é tão ruim. A impressão que me deu foi que todo mundo leu as primeiras críticas que saíram e se inspiraram nelas pra fazer suas resenhas e emitir suas próprias opiniões. Eu mesma já fui com muitos pré-conceitos formados na cabeça, catando furos no roteiro, observando cada luta à procura de falhas e isso não é legal. Depois que me permiti relaxar e assistir percebi que muito do que li foi puro exagero e reprodução de críticas anteriores. O negócio é bom? Não, não é, tem seus problemas. Mas não é a pior série do mundo, não. Dá pra passar o tempo. Dá até pra aproveitar, e aqui estou falando da cena do melhor personagem da série, o bêbado. Melhor cena. Eu indico se você estiver querendo assistir e estiver em dúvida se vê ou não. Veja. Tire suas próprias conclusões. Se não estiver gostando, abandone sem dó nem piedade, porque a vida é muito curta pra insistir em série ruim. Se quiser ver por causa dos Defensores, que chegam ainda esse ano, bem, aí talvez você deva mesmo. A questão é, vá ver com seus olhos, esqueça as resenhas que você leu, os vídeos que você viu metendo o pau e pense com sua própria cabeça. Quem sabe você também não descubra, assim como eu, que o diabo não é tão feio como pintam?


Minha classificação para essa temporada é de  2/6- "Razoável".
Veja a cotação da série no IMDb e a opinião de outros espectadores.


Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela