"A Profecia das Sombras - As Provações de Apovo #2", de Rick Riordan

sábado, 9 de setembro de 2017

Sabe aquela sensação de quando você desconfia que pode ter sido pai de alguém milhares de anos antes, mas não tem certeza? Aí vê a pessoa já adulta e, ao olhar nos olhos dela, sabe sem dúvida nenhuma que ela é sua filha? É, tenho certeza de que muitos de vocês já passaram por isso.
Só pra deixar registrado, não, eu nunca passei por isso. Mas, enfim, a espera foi longa, (um ano é demais quando você está esperando a continuação de um livro tão bom quanto O Oráculo Oculto) mas finalmente terminou. Depois da minha missão pessoal de ler a saga Os Heróis do Olimpo (ainda bem que fiz isso, ou continuaria boiando com Leo Valdez, Calipso, Festus e vários nomes citados) e de reler o primeiro volume, me entreguei ao segundo livro das Provações de Apolo, feliz da vida. Nesse segundo volume, Apolo precisa enfrentar mais um imperador do Triunvirato, dessa vez um cruel e megalomaníaco ser apaixonado por espetáculos violentos que ele conhece muito bem para proteger mais um dos oráculos, uma obscura caverna que o levará à loucura e à morte. Animador, né? Para isso ele terá a ajuda do semideus favorito de 9 entre 10 fãs de Rick Riordan, Leo Valdez, e da ex deusa Calipso, além de novos e interessantes personagens.

Às vezes uma saga melhora no segundo volume, aliás, é natural que isso aconteça quase sempre. É normal que o primeiro volume seja mais uma apresentação e que no segundo as coisas comecem a pegar fogo de verdade. Infelizmente, não foi o caso aqui. Grande parte do charme da história de Apolo foi vê-lo se descobrindo como humano, seu estranhamento, sua raiva, ele aprendendo a lidar com o fato de que era agora um adolescente espinhento; nesse segundo volume, o ex deus já parece mais humano, mais confortável com sua condição, e isso não tornou a trama melhor, só tirou um pouco da graça. Outra coisa que diminuiu também foram as referências históricas ou ao pop, o que eu achei sensacional no primeiro volume. A mudança de local, saindo do previsível Acampamento Meio Sangue foi até bem-vinda, e a Estação Intermediária é um lugar mágico incrível, assim como suas moradoras, mais uma adição inclusiva maravilhosa à trama, mas achei que o prédio em Indiana prendeu muito a ação, que ficou muito condicionada a apenas um local. Achei que teríamos mais da viagem de Calipso, Leo e Apolo a bordo de Festus pelos EUA, mas a ação em Indiana começou muito rápido e se estendeu por todos o livro. Ficou o pensamento de "tá, mas quando eles vão partir pra outra?" até você perceber que, não, eles só sairiam dali para começar a jornada para o próximo volume. A história, de um modo geral, pareceu menos interessante do que o primeiro volume.

Agora os pontos positivos, já que eu comecei metendo o pau na obra, coisa que não costumo fazer com os livros de Riordan. Como já disse, a Estação Intermediária e seus moradores são super interessantes, e a inclusão de uma família homoafetiva foi realmente fantástica. Gosto do modo como Riordan explora essas relações, sem didatismo, de modo natural. Inclusive a relação de Apolo com o imperador no passado foi tratada da mesma maneira, mas aí já ficou o pensamento de que deveria ter sido melhor aproveitado: um romance foi apresentado e depois foi meio que esquecido. Poderia ter sido melhor explorado. Assim como o romance entre Leo e Calipso. Mas cá estou eu metendo o pau de novo... FOCO! A questão do oráculo sombrio e todas as suas implicações foi muito tensa, o que trouxe um peso dramático à trama, então, ponto para Trofônio! Falando ainda em inclusão, houve a inserção de um personagem de uma outra cultura e mitologia e eu simplesmente QUERO UMA SÉRIE SÓ DESSA MITOLOGIA E EU ESTOU FALANDO SÉRIO! Se não for pra fazer nem que seja um livrinho sobre o Jaime não era nem pra ter colocado ele no livro, É SÉRIO, RIORDAN! E como não poderia nunca deixar de citar, o humor, como sempre, é impecável. A gente pode criticar o quanto quiser, mas a verdade é que a gente morre de rir sim, dei altas gargalhadas, porque o Apolo é muito sem noção e é esse humor cretino dele que salva o livro. Nosso Raio de Sol continua na minha lista dos melhores personagens que já li. 

O final já te deixa com aquela ansiedade para o próximo volume e dessa vez com promessas de uma visita ao Acampamento Júpiter. Mal posso esperar para ver Frank, Hazel e Reyna de novo! E torcendo para que dessa vez a continuação seja melhor do que o anterior, porque Apolo merece só o melhor (ele concordaria comigo).


❤ Série As Provações de Apolo 

A Profecia das Sombras
The Burning Maze (previsto para 2018)


Minha classificação para esse livro é de  3/6- "Bom".
Veja a cotação do livro no SKOOB e a opinião de outros leitores.

A Profecia das Sombras - As Provações de Apolo #2. Riordan, Rick. Editora Intrínseca, 2017, 336 p.


Nenhum comentário:

{Lendo} Dominique

No Facebook:

{Lendo} Daniela